20 dezembro, 2013

Apocalipse – Capítulo V

Posted in Crônicas e contos às 10:50 am por Deborah Sá

Um estranho acontecimento mudou embalagens e enlatados, cada supermercado, vendinha, restaurante e lanchonete. A dispensa dos lares, todos os bares. O industrializado ganhou um microscópico selo prateado: V. Os queijos não derretiam, o leite tinha gosto de soja, arroz, amêndoa, abacate. Tudo, menos leite. Os consumidores voltavam ao supermercado com as embalagens estourando de tão pesadas, os comerciantes recusavam a devolver o dinheiro, afinal, estava no prazo de validade. Era domingo. Augusta, aposentada, viúva, dona de casa, temente a Deus, seguiu a rotina. Fez o macarrão, colocou a coca-cola na mesa e esperou os netos chegarem com o frango. Demoraram, resolveu ligar. O neto, em soluços do outro lado da linha, dizia que as granjas e as padarias amanheceram rodando grandes máquinas vazias. As estruturas metálicas rangiam, brilhando, limpas. Augusta, falando pausadamente pediu para que ele viesse mesmo assim, tinha macarrão em casa, era final de ano. É natural as pessoas gastarem mais dinheiro do que gastam quando já não tem.  Ele disse que não estava em condições, chamou ela para a missa, era momento de esperança e fé. Ela achou melhor comer antes de sair e assim o fez. O pastor, Cléber, estava com os fiéis em um vigília e depois do jejum, decidiu comprar presunto e queijo. Apertando a bíblia mole contra o peito, andou pelos corredores, o mercadinho estava completamente revirado, as embalagens rasgadas, a sessão de frios reluzente com a luz branca quase hospitalar. Televisão não falava de outra coisa. A revista semanal mais vendida dizia com todas as letras ser plano de dominação mundial dos barbudos comunistas, eles se defendiam com argumento irrefutável de inocência: – Não fomos nós, ainda existe coca-cola.

1 Comentário

  1. Dio Aloke said,

    O que será mais terrível: vivenciar o fim do mundo ou sobreviver a ele? Talvez, no final, seja sobreviver a si mesmo.


Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: