16 janeiro, 2013

Eu peço desculpa

Posted in Baú, Memórias tagged , às 8:42 pm por Deborah Sá

:: Quarta-feira, Junho 27, 2007 ::

Eu peço desculpa

Sinceramente eu peço desculpa
Eu não sou de todo obrigada
Mas assim fui educada
Talvez você não entenda
E talvez saiba melhor que eu
Mas lhe peço desculpa caro amigo
Eu peço desculpa por ser tão hipócrita
Eu peço desculpa por te fatiar
Eu peço desculpa por te dar tanto amor
E me corta o peito ver sua carinha sorridente
E me dói saber o quanto eu sou má
Sim, justo pra quem nunca me fez nada.
Eu sinto muito, mas eu nem sei como.
Acho que é mal da minha espécie
Eu não sei prolongar a paz
Eu não sei viver em harmonia
Eu consigo apunhalar as costas e achar bom
Sinceramente me desculpa
Eu não consigo ver sua carne temperada e não salivar
Eu não me sentiria tão mal em comer meu semelhante
Nem tão mal assim
Comer você me mostra o quanto não importa
Não importa que você sofra
Não importa que você sangre
Não importa que você grite
Não, não vou ouvir.
Eu não ouço o mendigo
Mas eu olho o cachorro
E ainda me chamam de insensível!
Não, o mendigo não é vagabundo.
Nem o cachorro
Mas o cachorro já foi meu amigo
Bah! Não aquele, mas outro!
O humano se corrompeu
O cachorro não
O cachorro vive da vontade dele
Ele vive talvez da melhor maneira
O cachorro é o impulso
E o homem é o medo
O cachorro é tão bonito na vitrine
Tão bonito que quase me faz chorar
Como um pôr do sol
Só que o cão eu posso tocar
Eu posso ganhar carinho e até me faz rir
O cão mais levado o mais inquieto
Este é o melhor cão
Mas preferem os castrados
E porque preferir estes?
Pois estes se transformam em humanos
O humano é um bicho castrado
E o bicho cão pula
E pede atenção
E o bicho homem está bravo
E bate no cachorro porque está bravo
E grita porque está bravo
E se o cachorro late bravo
O humano não gosta e manda calar a boca
E coloca uma focinheira que custou um trocado
Assim o bicho sossega e dorme
Depois o dono abre a geladeira e frita bife no fogão
Assiste a TV
Pra ver o mundo injusto não é preciso ligar a TV
Basta nascer

Escrito por: Deborah Sá

Esse é um dos textos do meu antigo blog do qual fiz backup. Em 2007 foi o ano em que me tornei vegetariana.

%d blogueiros gostam disto: