11 março, 2012

Quando passei na faculdade

Posted in Desabafos às 10:34 pm por Deborah Sá

Imaginei euforia, imaginei gritaria mas não previa que o momento tão aguardado me traria silêncio, vontade de ficar só, lágrimas. E me perguntavam porque transparecia tanta tristeza em alcançar o que almejei  por anos.

Larguei meu antigo emprego, o último dia foi em uma sexta, entrei no novo na segunda, ou seja, não experimentei o desemprego o que é ótimo em termos de economia pessoal já que meu pé de meia nem é tão grande assim, no entanto é conturbado no sentido de adapta-me. Sou expansiva e sabia que para trabalhar no ramo que tenho experiência significaria colocar no “armário” algumas coisas que são importantes ao expressar individualidade. Cobri os fios laranjas com tinta preta, coloquei roupas mais sóbrias, tenho guardado meus decotes para os fins de semana, tenho de mudar e isso pode parecer bobo para quem não teve um histórico conservador e cristão, demorei uma “caralhada” de tempo pra assumir o que sou e agora me sinto triste em ter que sufocar isso pra atender uma demanda de mercado.  Somado, ainda não dominei todas as atividades que assumirei nesse novo cargo e estou naquela fase de treinamento quase infantil quando o “não” impera. “Você não deve fazer isso, aquilo, aquilo outro”. Difícil ter segurança em um ambiente desses, mas pode ser apenas a fase de adaptação, então sigo.

No dia da matrícula da faculdade compareci por horas esperando a secretaria abrir, a hora da matrícula começar e minhas supervisoras no serviço não gostaram pois houve desencontro de informações. Me desesperei e sentada nos bancos de madeira da Unifesp apoiei o rosto nas mãos e chorei de lavar a alma, muita pressão, muita insegurança, muito de não saber do que será daqui para frente, as funcionárias da limpeza vieram perguntar se eu passava mal prometendo colocar meu nome na caixinha de orações da igreja. Fiz a inscrição e dias após vi uma palestra (?) no teatro (?) e encontrei um amigo (ele estudará comigo).

Um lado meu está tremendamente feliz por ter passado na Unifesp em Pedagogia (depois peço transferência para História), mas estou em um período forte de instabilidade, de não saber se serei hostilizada na faculdade, no serviço, se darei conta de conciliar os estudos e o trabalho.  Sei que muito dessa incerteza está enraizada no meu passado, de me dizerem, de me agredirem, de me privarem, de lutar muito pra entrar em uma faculdade pública e agora arcar com mais responsabilidade, então não é um período de festa, é de refazer-se, de flexibilizar-se, de recriar-me na medida que as circunstancias surgem.

Amanhã começam as aulas e o que será daqui pra frente é uma incógnita, não vou me perder por aí, isso que importa. Se não fujo da alegria, tampouco ignoro a angústia e a incerteza, seja lá o que me aguarda, há forças para manter a cabeça erguida.

31 Comentários

  1. Parabéns, dona Deborah! e boa sorte! Espero que você consiga superar isso tudo. :)

    • Deborah Sá said,

      Obrigada, lindo, vai passar <3

  2. bianca said,

    deborah querida, a angústia e até a tristeza nos fortalecem. é difícil encarar o novo, adaptar-se, ainda mais quando vem tanto novo de uma vez. mas os traumas do passado estão no passado e você é uma mulher forte e lutadora hoje.
    você vai se dar bem.

    • Deborah Sá said,

      Sim, sim, aos poucos vou me adaptando :)

      Beijo!

  3. Juliana said,

    um orgulho só! <3

    • Deborah Sá said,

      A recíproca é verdadeira ^_^

  4. rora said,

    Tia Deba, força, tô torcendo pra dar tudo certo. Competente, forte e inteligente vc é! Além de uma fofa querida demais, né? =*
    Tô começando faculdade agora tbm, vamos juntas nessa!

    • Deborah Sá said,

      Nhom, obrigada :)

      Qual é sua faculdade, qual curso :D

      Beijo!

  5. Mari Biddle said,

    Parabéns, parabéns!

    Você vai conseguir se estabilizar no emprego novo e ninguém vai te hostilizar na facu – certeza! Você não tem noção do quanto vc é forte!

    Beijocas,
    M.

    • Deborah Sá said,

      Obrigada Mari, quanto ao emprego eu já pedi para sair, embora não fosse um trabalho difícil de executar o volume de trabalho era tanto que fico sobrecarregada, mas ao final foi uma boa experiência (embora curta), fiz amizade com um cara ótimo :)

      Beijo e obrigada!

  6. Roy Frenkiel said,

    Oi, Deborah,
    Primeiro, parabéns, porque começar, ainda mais nesse sentido e se é o que você quer, já é difícil. Eu estudava e trabalhava em tempo integral, tendo semanas de 80 horas, além de projetos de grupo, trabalhos de casa, provas e mil e uma tarefas exigidas pela faculdade. No trabalho, minha função me obrigava a, às vezes viajar ao escritório de madrugada e atender clientes com vôos parados por falta de peças. Antes de começar, parecia impossível, mas depois percebo que mesmo com todo o stress e dificuldades, seria capaz se assim quisesse seguir. Pra mim, melhorou pouco com o tempo, mas a cada semestre conquistado e uma maioria de notas excelentes, sabia que podia terminar. O que mais pega é depois da formatura, ou pouco amtes, quando você quer aplicar seu diploma na sua área. Se essa parte estiver bem planejada, a maioria de seus problemas estarão a caminho de resolução. O que importa é entender que a escolha é sua. Boa sorte!

    • Deborah Sá said,

      Obrigada Roy! Sei que não sou a única a passar por isso :)

      Beijo!

  7. Raiza said,

    Eu acho que você vai gostar muito da experiência.E não se preocupe em ser hostilizada,a faculdade pública é um ambiente bem mais tolerante se comparada à escola ou a outros lugares.Não que seja o éden,mas o povo já está mais acostumado a conviver com a diferença.Seja de classe social,de religião,de orientação sexual,etc.Vai dar tudo certo,confie =]

    • Deborah Sá said,

      Estou gostando MUITO do ambiente da universidade, as pessoas são super receptivas :)

      Obrigada =***

  8. Robs said,

    Parabéns Deborah \o/

    • Deborah Sá said,

      Obrigada :)

  9. escreverei said,

    Parabéns e força. Te admiro muito.

    • Deborah Sá said,

      Obrigada :D

  10. Marcos Nascimento said,

    Parabéns Deborah!
    Muita força nessa nova etapa e pesamento positivo. tudo dará certo!
    PS:adorei o blog
    Bjo!

    • Deborah Sá said,

      Obrigada, seu lindo :)

  11. Carla said,

    Minha linda,

    Primeiro de tudo, Parabéns! Mais uma vez e tantas outras. Foi bom acompanhar de longe a sua luta e ver tudo isso recompensado!

    Agora, quanto ao medo, acho que vc deve pensar no que vc mesma colocou: “Sei que muito dessa incerteza está enraizada no meu passado”. Pq acho que é bem isso. Conciliar faculdade e trabalho vai ser difícil, mas duvido que seja algo com o que vc não saberá lidar. Pelo contrário, imagino que vc vai se sair muito bem. Vai sentindo qual dos terrenos é mais leve pra negociar horários, converse com seus professores, vai experimentando. Aos poucos vc encontrará na faculdade amigos com quem contar, encontrará um lugar seu. Tão lindamente seu! Vc é inteligente e adorável! E será uma acadêmica maravilhosa, brilhante e extremamente simples. Como poucas!

    Torço por vc!

    Bjs

    • Deborah Sá said,

      Obrigada, Carla,

      Você é ótima, e sabe que eu gosto muito de você, não é?

      Beijos e abraços,

  12. @Divinha said,

    Vai com tudo!
    Bjo.

    • Deborah Sá said,

      o/

  13. Dani, eu, aquela Daniele Oliveira do Facebook. =P said,

    Nossa Deborah, que incrivel. Estou passando pela mesma coisa. Essa carga de responsabilidade que esta sentindo. Eu também lutei muito pra conseguir entrar na universidade, há anos não estudo, conclui o ensino médio pelo Enem. Agora surgem vários fantasmas, vários medos e pressões. Será que vou conseguir conciliar? Será que vou acompanhar a turma? Será que vou superar o estigma de burra? Essa atribuida a mim por muitos e muitos anos dentro de casa, onde me diminuiam, me agrediam, chamavam de burra, gritavam, me desestimulavam tanto ao ponto de eu sair da escola e nunca mais voltar, por um imenso trauma. Essa é minha terceira semana na faculdade, e ando me sentindo muito hostilizada por diversos motivos. Minha auto estima esta super baixa, estou muito triste e desanimada. Mas não quero me deixar abater, eu não posso desistir, eu lutei tanto pra chegar aqui, eu nem acredito onde estou as vezes, eu suei tanto e ainda suo, pra cuidar de mim sozinha, como faço desde tão pequena. Eu não quero desistir por que estou amando o que estou estudando, estou amando aqueles textos, professores e livros. Eu preciso me segurar firme, não vou cair, não de novo, não dessa vez, preciso construir um caminho diferente dessa vez.

    • Deborah Sá said,

      Dani, como disse ao Roy, é bom saber que outras pessoas passam exatamente por isso, sei como é ter de readaptar horários, dormir três horas por noite, se preocupar com xérox pra ler…obrigada pelo desabafo <3

      Beijo e vamos conseguir ;)

  14. Dani, eu, aquela que postou aqui em cima said,

    Nossa reli meu comentário agora e me achei uma egoista, falando de mim e da minha experiencia only. Desculpa Deborah, mas foi muito dificil não dar uma desabafada depois de ler um post que reflete muito o que eu estou sentindo. Querida, eu sempre leio seu blog/facebook, te admiro muito por que sei que você é muito guerrerona! Você tem uma força do caralho, e eu adoro isso. E o mais lindo de tudo…como alguem citou aí em cima, você é simples, isso é foda, isso é lindo, de verdade.
    beijos e muita força!

  15. Deborah Sá said,

    Dani,

    Não peça desculpas! Uma das coisas que mais gosto no blog é da interação com o que escrevo, de ouvir vocês que reservaram um tempinho do dia para ler o que penso, sou grata a cada leitor@ que expressa e compartilha uma vivência, vocês são uns lindos ♥

    Beijos!

  16. Gabriela L. said,

    Parabéns Deborah! :).
    Mas, deixa eu te falar uma coisa: pedir transferência de curso não é tão fácil, ainda mais passando de pedagogia para história. Você tem que ter uma quantidade de créditos e de matérias cursadas e as vezes, demora. Tente ficar no curso e ver se você gosta, primeiro. :)
    Abraços.

  17. Loli said,

    Olá, Deborah.

    Tudo bem?

    Li teu blog algumas vezes, mas esta é a primeira que deixo meu comentário.

    Assim como você, também me senti bastante perdida com esse lance faculdade / trabalho. A minha história é um pouco diferente, mas a angustia e o se perguntar como será daqui p/ frente é o mesmo.

    Por coincidência, eu também entrei na Unifesp este ano, curso Filosofia. Espero que nos encontremos por lá. É sempre bom saber que existe outra vegan e feminista além de mim.

    Bjo.

    • Deborah Sá said,

      Bem vinda, Loli ;)

      Se me encontrar no campus é só chegar ;D

      Um abraço


Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: