21 junho, 2010

Inércia

Posted in Egotrip às 5:48 pm por Deborah Sá

Talvez isso me ajude a sair daqui, na verdade sempre ajuda.
Escrever, esse é meu muro das lamentações certo? Onde coloco minhas angustias mesmo que desconexas. Creia-me, há quem leia, há quem escute e pasme (!) entenda exatamente o que passo.  Alguém está cantando por mim, conseguiu sem nem ver meu rosto colocar pra fora as palavras que não alcancei ainda, na verdade é o que tento agora.
Queria entender minha tendência á inércia. Se me deito, falta coragem pra levantar, seria capaz de dormir por 20 horas sem me cansar, sem me fugir o sono. Um psicólogo diz que talvez seja meu modo de desligar, aprendi assim com meu Vô: Acordar sem saber o que era real. Entristece-me que cicatrizes sejam cíclicas, estou bem e lá encontro a causa da dor novamente, é porque não me sinto amada, nem objeto de amor, só eu sei o quanto me dói dizer tudo isso sem soluçar em lágrimas.
O Yuri já aprendeu a identificar isso, começa com o choro, depois sinto um calor descomunal e com isso o suor nem sempre vem. É um calor de deixar minha cara vermelha, quem vê preocupa. Temo não sentir meu corpo novamente, por que é isso que acontece quando vai no máximo que deixei chegar.
E a inércia aparece, me prendendo. Ás vezes atraso porque falta coragem, é um pequeno “desistir”. Devo cancelar o cursinho, sair do emprego, acabar com tudo? Porque levantar da cama? Porque pegar o ônibus? Porque deixar minhas amigas esperando? Canso-me de minhas repetições, pra ser sincera,  me envergonho delas.

Permito que todos chorem, se enervem, sorriam, sejam humanos como pede nossa cartilha contraditória de sentimentos.  Mas quando o conflito é em mim, não sei o proceder. Raiva, choro pra aplacar. Tristeza, impotência. Nada mesmo.

E sobra o arrastar dos passos, os olhos inchados.
Será que só eu não sei o que é passar cinco dias sem chorar?

4 Comentários

  1. Thiagobeleza said,

    Tbm fico assim, as vezes. Tenho crises periódicas sobre o pq levantar da cama. Geralmente relaciono ao sono, mas as vezes choro no caminho de casa pro trabalho. Deve ser frustração…

    Seu caso é mais complexo. E desabafar ajuda um pouco.

    Gosto de vc justamente por vc ser tãoi verdadeira e esconde por tras de toda essa agressividade uma fragilidade inimaginável..

    2 abraços pra vc, conforme prometido.

    • Deborah Sá said,

      Obrigada =**

  2. Barbara said,

    hmm. eu diria que você sente a vida com intensidade. e mesmo quando não sente, sente a falta faz não senti-la. será? eu sou parecida com você. sufoco, explodo, choro. e, claro, tudo isto é super na contramão do mundo produtivo. O ritmo das máquinas e dos carros não permite isto, não é? eu tenho uma baixíssima resistência a não- plenitude o que, sim, gera constantes crises.
    Mas é legal saber que tem alguém parecido aí em algum lugar.
    E concordo plenamente com você. Todos tem direito ao choro, mesmo que aparentemente por motivo algum.

    • Deborah Sá said,

      *Abraça*


Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: