26 abril, 2010

Sacrifício de Animais em Rituais Religiosos

Posted in Crenças tagged às 2:26 pm por Deborah Sá

É praticamente consenso ser contra o sacrifício de animais em rituais das religiões afro-brasileiras.

Esta quase unanimidade deve-se ao forte preconceito que estas religiões despertam na maioria das pessoas. Na minha quarta série havia uma garota umbandista e eu era uma das únicas a não temer conviver ao seu lado “Eu não, ela é macumbeira” – diziam os alunos.

Evangélicos e católicos (em geral, espíritas são mais esclarecidos) pregam o medo ao desconhecido associando os Orixás a algo extremamente nocivo, sem ao menos sugerir uma pesquisa para melhor compreensão das múltiplas formas de fé.

Tupã ou Iansã?

Negras e índias são vistas como “serviçais” enquanto ao índio e o negro são chamados de “preguiçosos”, a fé professada por quem colonizou é a norma. Os ritos são vistos com desdém por quem dança “na presença do espírito santo”, quem não conhece alguém que teve medo de passar ao lado de um despacho?

Construiu-se esta imagem d@ negr@ mal intencionad@ que por uma oferta de sangue alcança seu pedido “não civilizado”, “brutal” e “bizarro”. Este preconceito racial fica ainda mais evidente quando classificam em “Magia Negra” e “Magia Branca”.

Criar/comprar uma galinha e matar para um Orixá é crueldade? Comer canja é justificável sob qual ótica? É mais fácil lutar contra a prática de uma religião que sempre foi vista como “selvagem” que admitir a manutenção de uma indústria da exploração humana e animal: A pecuária.

Na cantina da sua igreja vende coxinha?

22 Comentários

  1. Tee said,

    é que são tudo do mal UUUUUUUUUUU!!!!!!!! para mim é tudo a mesma coisa, católicos, evangélicos, muçulmanos mataram mais gente que todos os ubandistas,macumbeiros,vudu do mundo juntos

    • Deborah Sá said,

      Amém irmão.

  2. Nao me lembro o nome da lei e se foi aprovada, mas ela favorece os rituais religiosos para fazerem oq quiserem com os animais…sem anestesia nem nda. Algo irracional, ou seja, religioso.

    • Deborah Sá said,

      A morte é sempre ruim e melhor quando é sem dor.
      Critico essa hipocrisia de falar mal da umbanda sem nem estudar sobre, se empanturrar de coxinha (e empanturrar as crianças sem ao menos explicar que o Chicken Little que ela adora virou hambúrguer).

  3. camila antero said,

    débora, eu amo você.
    você não sabe como eu amo você.
    a cada post eu amo mais você! (ok, parei)
    putz, muito decente esse seu post a respeito de religiões tidas como macumba, paganismo, essas coisas.As pessoas tem mesmo que conhecer essas religiões antes de apelar para “o que a minha professora do catecismo disse”. caralho, quero dizer todos os palvrões do mundo.

    • Deborah Sá said,

      Obrigada Camila *—*

      Eu uso um pingente de Iansã ;)

  4. Resumiu tudo muito bem Deby… A coisa anda por aih mesmo. Sem contar que pouquíssimos dos preconceituosos sequer sabem que esse animal tem que ser aprovado pelo Orixa e que mais que isso ele não é “desperdiçado”. Sua carne vira alimento na festa, seu couro produto de artesanato para atabaques e afins. Enfim… é facil colocar o gado no matadouro… bem mais facil do que olhar no olho do bixo e matar ele cara a cara. Entendendo a sacralidade do processo. De que ao matar aquele animal como oferenda ao orixá eles está também agradeçendo, antes de qualquer coisa, pelo alimento e pela vida. ;) é isso aih ;)

  5. Carla said,

    Gostei tanto desse, Deborah! :)

    • Deborah Sá said,

      :D

  6. Jux said,

    Acabei de descobrir seu blog na comunidade do orkut – feminismo e libertação – do qual tb faço parte.
    Seu post sobre o sacrifício de animais em rituais religiosos – i.e. afro-brasileiras – foi simplesmente PERFEITO.
    A lei de que se fala foi aprovada no Rio Grande do Sul – lei 12.131/04 – e vejo que a indignação maior das pessoas se fundamenta num “detalhe”: pura falta de informação de como vem a ser conduzidos os rituais religiosos do candomblé e da umbanda. Nesse ponto existe o reflexo consumado do racismo, pois em se tratanto de religião “afro”, é construída uma opinião equívocada, a partir de lógica formal, associando “magia negra”, “satanismo” e outros termos bastante pejorativos, sem qualquer conhecimento mínimo de como funcionam essas práticas religiosas.

    Abraço

    • Deborah Sá said,

      Obrigada Jux,
      Seja bem vinda :)

  7. Isis said,

    Na cantina da sua igreja vende coxinha?

    simples e objetivo!

    hipocresia religiosa… sem palavras!

    • Deborah Sá said,

      :)

  8. Danielle said,

    Parabéns pelo post, não professo nenhuma religião e também não como carne. Fui educada silenciosamente para achar que é umbanda/candomblé é feio, coisa do mal. Hoje, por culpa de Clara Nunes, me classifico curiosa nesse quesito. Leio sobre tudo. Decidi deixar de comer carne assim, por achar que é um puta desrespeito com as outras espécies o que fazemos indiscriminadamente. Fala sério, como é que eu posso dizer que amo e respeito tanto meus cachorros e consigo comer carne de vaca, galinha e outros bixinhos mais? Quando me dei conta, essa não entrou mais na minha cabeça.

    Parabéns!

    Como faço para te seguir?

    • Deborah Sá said,

      Olá Danielle,

      Tudo bem?

      Virei vegana por achar incoerente esta distinção no tratamento das espécies. Pode me seguir via RSS clicando aqui

      Um abraço

  9. Edilene Mora said,

    Oi, Deborah.
    Encontrei seu blog por acaso, gostei, comecei a ler e topei com este post. A discussão sobre o sacrifício de animais continua “quente”, e agora por conta do “não-veto ao veto” do Prefeito de Piracicaba.
    Eu sou candomblecista, macumbeira, filha de Iansã com Ogun, e pratico o candomblé verde, ou vegetariano. Fui iniciada da forma tradicional, com sangue animal, mas hoje encontrei essa forma de cultuar meus orixás em paz com minha consciência.
    É muito fácil criticar, julgar, atirar pedras. Aliás, é fácil e gostoso, né? Sentar o rabinho numa churrascaria, comendo um baby beef e metendo o pau nos macumbeiros que sacrificam os cabritinhos… Hipocrisia a mil, as pessoas falam sem saber. Vão conhecer a coisa primeiro, antes de julgar. Só aceito esse tipo de crítica de quem se abstém de utilizar/consumir qualquer produto vindo dos animais, aí sim dá pra começar a discutir. O sacrifício do animal na religião é feito com respeito, e tudo dele é aproveitado, como alguém comentou. Uma galinha morta em um ritual sofre menos do que as que morrem numa granja, por exemplo.
    Mas ainda assim, na minha opinião, é um desrespeito à natureza tirar a vida de um para supostamente melhorar a vida de outro. Não acredito que o derramamento de sangue inocente possa contribuir em nada para minha evolução espiritual. Para mim não serve, e eu posso falar com segurança, pois estive lá dentro, sou da religião e vi tudo de pertinho. Meus orixás são cultuados com o sangue “verde” das folhas, com rezas e canto, com muito amor e respeito, e minha vida vai muito bem, obrigada.
    Resumindo: sou contra os hipócritas que atacam as crenças de outrem, imbuídos de muito preconceito e sem conhecimento nenhum. Mas também sou contra o desperdício de vidas, a meu ver, inutilmente.
    Tenho um blog a esse respeito, se quiser, dê uma passadinha por lá: http://verdesfolhas.blogspot.com
    Abraços!
    Edilene

    • Deborah Sá said,

      Olá Edilene!

      Que prazer ler seu comentário!
      Sou atéia, não acredito em Deus ou qualquer outra intervenção mística/divina/cósmica na vivência de Terráqueos, respeito as crenças e nutro uma certa admiração pelos Orixás, tenho um colar de Iansã :)
      Também fico indignada de ver tanta gente criticando os rituais, se empanturrando de coxinha!
      Sou vegan por respeito aos animais :)

      Vou acrescentar seu blog na minha lista de links, posso?

      Um grande abraço!
      Namastê!

      • Edilene Mora said,

        Claro que sim, fique à vontade, e até agradeço por divulgar o blog, eu gostaria mesmo de atingir o maior número possível de pessoas, mostrando que o candomblé não é uma coisa do mal, e que existe uma alternativa para o sacrifício de animais. Acredito que muita gente vai ver o candomblé de maneira diferente, assim.
        Obrigada!
        Abraços!

  10. Oi, Deborah. Gosto muito dos seus escritos, encontrei este hoje, porque procurava algo sobre sacrifício de animais em religiões afro. Nossa, fico abismada quando pessoas tentam justificar a continuidade dessas práticas nas religiões afro com o argumento de que “idiotas que são contra isso comem carne. ” Que isso? São coisas que não se misturam, não se comparam. Sou totalmente a favor da liberdade de culto, de Estado Laico, de tolerância religiosa, embora eu não seja religiosa, mas penso que sacrifício de animais para fins religiosos é algo a ser combatido, sim, sem ir para o rasteiro papo de “preconceito”. Ora, religiões afro podem muito bem “evoluir”, como evoluiu a Igreja Católica abolindo práticas medievais. Como assim temos que achar normal e respeitar uma prática que não cabe mais no sec XXI? Então, porque é religioso e tradicional, temos que achar certo que em alguns lugares da África o clitóris de meninas sejam extirpados? Usar esse argumento de que pessoas comem coxinha são hipócritas ao ser contra sacrifício de animais em cultos afros é triste, feio, apelativo.

  11. Wilson said,

    Os Animais.
    1)Existe nos animais um principio inteligente em evolução para o reino hominal, assim como o homem esta evoluindo moralmente e intelectualmente para o reino angelicó, os animais são nossos irmãos menores na escala evolutiva devemos Amar e Respeitar os animais.
    Somente pessoas maldosas e ignorantes de baixo nível evolutivo pode maltratar um pobre animal indefeso.
    Quem maltrata e mata covardemente animais, vai gerar para si mesma um Karma de sofrimentos, tormentos e dores em futuras reencarnações.
    Quem planta o mal vai colher o mal.
    Vejamos as palavras de Emmanuel sobre os animais.
    Sobre os animais, Emmanuel, através da psicografia de Chico Xavier, declara no capítulo XVII, no livro Emmanuel (FEB, 1983): “… Sou dos que os estudam atenta e carinhosamente. (…) E como o objetivo desta palestra é o estudo dos animais, nossos irmãos inferiores, sinto-me à vontade para declarar que todos nós já nos debatemos no seu acanhado círculo evolutivo. São eles nossos parentes próximos, apesar da teimosia de quantos persistem em o não reconhecer. (…) Recebei como obrigação sagrada o dever de amparar os animais na escala progressiva de suas posições variadas no planeta. Estendei até eles a vossa concepção de solidariedade e o vosso coração compreenderá, mais profundamente, os grandes segredos da evolução, entendendo os maravilhosos e doces mistérios da vida.”

    2)Vejamos as palavras de Chico Xavier sobre os animais.
    Um amigo perguntou ao Chico qual o animal mais evoluído espiritualmente e dele anotou a resposta:
    – É o cão. O cão desperta muito amor e é modelo de fidelidade. As pessoas que amam e cultivam a convivência com os animais, especialmente os cães, se observarem com atenção, verificarão que os vários espécimes são portadores de qualidades que consideramos quase humanas, raiando pela prudência, paciência, disciplina, obediência, sensibilidade, inteligência, improvisação, espírito de serviço, vigilância e sede de carinho, infundindo-nos a idéia de que, quanto mais perto se encontram das criaturas humanas, mais se lhes assemelham, preparando-se para o estágio mais próximo da hierarquia espiritual.
    Segundo o iluminado Espírito Emmanuel os animais são nossos parentes próximos, com sua linguagem, seus afetos e sua inteligência rudimentar.
    Chico Xavier respondendo a uma pergunta sobre os animais, disse:
    – Nossos benfeitores espirituais nos esclarecem que é preciso que todos nós consideremos que os animais diversos, a nos rodearem a existência de seres humanos em evolução no planeta Terra, são nossos irmãos menores, desenvolvendo em si mesmos o próprio princípio inteligente.
    Se nós, seres humanos já alcançamos os domínios da inteligência desenvolvendo agora as potências intuitivas, eles, os animais, estão aperfeiçoando paulatinamente seus instintos na busca da inteligência da mesma maneira que nós humanos aspiramos alcançar algum dia a angelitude na Vida Maior, personificada em nosso mestre o Senhor Jesus, eles, os animais aspiram ser num futuro distante homens e mulheres inteligentes e livres. Assim sendo, nós podemos nos considerar como irmãos mais velhos e mais experimentados dos animais.
    Deus outorgou aos homens a condição e proteção de nossos irmãos mais novos, os animais

    3) Veja o que os grandes Mestres falaram sobre os animais.

    Em meu pensamento, a vida de um cordeiro não é menos importante que a vida de um ser humano
    “Há muito de verdade no dito de que o homem se torna aquilo que come. Quanto mais grosseiro o alimento tanto mais grosseiro o corpo
    “A vivissecção é o pior de todos os piores crimes que o homem está atualmente cometendo contra Deus e sua bela criação.”
    “A grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo que seus animais são tratados.” – Mahatma Gandhi

    “A carne é o alimento de certos animais. Todavia, nem todos, pois os cavalos, os bois e os elefantes se alimentam de ervas. Só os que têm índole bravia e feroz, os tigres, os leões etc. podem saciar-se em sangue. Que horror é engordar um corpo com outro corpo, viver da morte de seres vivos.”
    “Enquanto o homem continuar a ser destruidor impiedoso dos seres animados dos planos inferiores, não conhecerá a saúde nem a paz. Enquanto os homens massacrarem os animais, eles se matarão uns aos outros. Aquele que semeia a morte e o sofrimento não pode colher a alegria e o amor.”
    “Os animais dividem conosco o privilégio de terem uma alma.” – Pitágoras

    “O homem implora a misericórdia de Deus mas não tem piedade dos animais, para os quais ele é um deus. Os animais que sacrificais já vos deram o doce tributo de seu leite, a maciez de sua lã e depositaram confiança nas mãos criminosas que os degolam. Ninguém purifica seu espírito com sangue. Na inocente cabeça do animal não é possível colocar o peso de um fio de cabelo das maldades e erros pelos quais cada um terá de responder.” –
    “Um homem só é nobre quando consegue sentir piedade por todas as criaturas”.
    “Todos os seres vivos tremem diante da violência. Todos temem a morte, todos amam a vida. Projete você mesmo em todas as criaturas. Então, a quem você poderá ferir? Que mal você poderá fazer?” – Buda

    Perguntamos Gandhi, Pitágoras e Buda são pessoas ignorantes e burras??????
    Gostaria de uma resposta.

    4) Vejamos o grave alerta de Ramatis.
    Em verdade, o principal objetivo de “Magia de Redenção” é advertir aos terrícolas, quanto à sua tremenda responsabilidade espiritual pelo derrame de sangue de animais e aves através de matadouros, frigoríficos, charqueadas e açougues, cuja barbárie “civilizada” gera cruciante carma humano e torna-se a principal fonte de infelicidade terrena. Enquanto sangue do irmão menor verter tão cruelmente na face da terra, os espíritos desencarnados também terão farto fornecimento de “tônus vital” para a prática nefanda do vampirismo, obsessão e feitiçaria. Sob a justiça implacável da Lei do Carma, a quantidade de sangue vertida pelos animais e aves, resulta, pela ação reflexa, em igual quantidade de sangue humano jorrado fratricidamente nos morticínios das guerras e guerrilhas! Cada matadouro construído no mundo proporciona a encarnação de um “Hitler” ou “Átila”, verdadeiros flagelos, semeadores de sofrimento da humanidade, como executores inconscientes da lei cármica, – a semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória! Jamais a guerra será eliminada da face da terra, enquanto explorardes a “indústria da morte” mediante esses abomináveis matadouros e frigoríficos de aves e animais, pois estes, como os homens, são filhos do mesmo Deus e criados para a mesma felicidade. A Divindade não seria tão estuta e injusta, permitindo que o homem dito racional seja feliz enquanto massacrar o irmão menor, indefeso e serviçal, pois ele também sente!
    Ademais, os espíritos diabólicos que obsidiam, vampirizam e enfeitiçam, são os irmãos desencarnados ainda escravos da ignomínia do carnivorismo, tal qual fazeis atualmente. Em verdade, é bem diminuta a diferença entre os vampiros desencarnados, que se satisfazem com o sangue cru, e os vampiros encarnados, que preferem come-lo ou bate-lo até transforma-lo em chouriço de rótulo dourado! Infeliz humanidade terrena, ainda escrava de um círculo vicioso, em que os “vivos” dotados de razão trucidam os “vivos” irracionais para beber-lhes o sangue e devorar-lhes as carnes; e então, depois, enfrentam o cruciante sofrimento de verem os filhos ou parentes para o massacre organizado dos campos de batalhas! Estadistas, filósofos, psicólogos, sacerdotes, lideres espiritualistas e governos tem gasto toneladas de papel e rios de tinta em congressos, campanhas, empreendimentos e confraternizações para implantarem a paz do mundo e festejando tais congraçamentos com banquetes de vísceras sangrentas de aves e de animais, cujo sangue vertido é exatamente a causa da infelicidade das guerras! A Divindade jamais poderia rebaixar o seu espírito de justiça e de amor por todos os seres, concedendo a paz e a ventura ao homem racional, que firma a sua existência sobre os escombros sangrentos do irmão menor!
    Convertem-se os terrícolas em escravos do mundo oculto ao servir de “repastos vivos” dos espíritos tenebrosos, vinculados às paixões mais aviltantes! Por isso, o enfeitiçamento e a obsessão alastram-se no vosso mundo, nutridos pelo sangue derramado das aves, dos animais e dos próprios homens massacrados carmicamente nas guerras abomináveis! Jorra o sangue nos pisos dos matadouros e aviários modernos sob os gemidos cruciantes dos animais e aves indefesos; mas jorrará também o sangue humano nas ruas, praças, lares e campos floridos sob a lei de causa e efeito do Carma!
    Ramatis

    Ramatis explica muito bem essa questão de matar ou sacrificar pobres animais, isso vai gerar o Karma das guerras, os animais são nossos irmãos menores na escala evolutiva.
    Ramatis explica: Em verdade, o principal objetivo de “Magia de Redenção” é advertir aos terrícolas, quanto à sua tremenda responsabilidade espiritual pelo derrame de sangue de animais e aves através de matadouros, frigoríficos, charqueadas e açougues, cuja barbárie “civilizada” gera cruciante carma humano e torna-se a principal fonte de infelicidade terrena.
    Uma outra questão importante.
    Os espíritos de Luz ou espíritos elevados não precisam de coisas matérias, eles estão com seus pensamentos e sentimentos moralmente depurados, portanto, quem pede essas coisas matérias como, charutos, cigarros, velas, cachaça, despachos, sacrifícios de inocentes animais, são espíritos desencarnados ainda apegados a matéria e aos vícios e desejos terrenos, espíritos moralmente atrasados e muitos desses espíritos podem ser maldosos e obsessores, cuidado!
    Vejamos as palavras de Chico Xavier sobre essa questão.
    Para espíritos de luz, ou seja, espíritos superiores e puros, não existem necessidades materiais. Os espíritos que trabalham nos terreiros, em sua grande maioria, são aqueles que ainda guardam grandes necessidades das sensações terrenas e por isso usam os médiuns para absorvelas; quando não têm, fazem-no através dos despachos. São, na classificação da Doutrina Espírita, chamados de espíritos mais simples. É claro que existem aqueles outros que, mesmo tendo condição moral mais elevada,
    manifestam-se nos terreiros de Umbanda, guardando os procedimentos ali adotados.

    Chico Xavier fala, que os Espiritos de Luz não possuem necessidades matérias.
    Os espíritos elevados e os bons espíritos jamais vão pedir coisas matérias como, charutos, cachaça, despachos e sacrifícios de pobres animais, somente espíritos apegados a matéria é que pede tais absurdos.
    Os animais merecem o nosso respeito.
    Para atrair a assistência luminosa dos espíritos elevados temos que criar condições morais positivas, cultivar pensamentos elevados e nobres, cultivar a prece sincera, cultivar o amor e a caridade, cultivar a honestidade, cultivar a humildade, cultivar o respeito pelos animais, temos que combater as nossas imperfeições morais, combater os vícios, combater os maus desejos e maus hábitos, dessa forma a pessoa entra em sintonia com os Espiritos Superiores e passa a ter as orientações desses espíritos luminosos.
    O Bem vai atrair o Bem.
    A Virtude vai atrair a virtude.
    O mal vai atrair o mal.
    O vicio vai atrair o vicio.
    Tudo é uma questão de sintonia ou afinidade moral.
    Nesses ambientes que predomina o uso de charutos, cigarros, cachaça, despachos e sacrifícios de pobres animais, o campo vibratório é baixo e denso, as pessoas que estão nesses ambientes só tratam de assuntos matérias vulgares, assuntos sem elevação moral, assuntos como volta da pessoa amada, melhoria nos negócios, ter um bom emprego, ganhar dinheiro, sorte com as mulheres e os trabalhos para prejudicar os desafetos.
    Tais assuntos vão atrair pela sintonia vibratória dos pensamentos os espíritos desencarnados que estão apegados a matéria, espíritos moralmente atrasados e muitos desses espíritos podem ser maldosos, maliciosos, astutos, debochados, embusteiros e obsessores.
    Os espíritos elevados só tratam de assuntos nobres e importantes para nossa melhoria Moral e espiritual, eles pregam o Amor, a caridade, a honestidade, a educação, a disciplina, a elevação dos pensamentos, o respeito pelos animais, o desinteresse, os espíritos elevados são virtuosos em seus ensinamentos.
    Os espíritos elevados pregam as Virtudes e a elevação Moral.
    Os espíritos elevados ou espíritos de Luz pregam o amor e o respeito pelos animais, não esquecem disso.

    Como disse Ramatis.
    Convertem-se os terrícolas em escravos do mundo oculto ao servir de “repastos vivos” dos espíritos tenebrosos, vinculados às paixões mais aviltantes! Por isso, o enfeitiçamento e a obsessão alastram-se no vosso mundo, nutridos pelo sangue derramado das aves, dos animais e dos próprios homens massacrados carmicamente nas guerras abomináveis! Jorra o sangue nos pisos dos matadouros e aviários modernos sob os gemidos cruciantes dos animais e aves indefesos; mas jorrará também o sangue humano nas ruas, praças, lares e campos floridos sob a lei de causa e efeito do Carma!

    E Emmanuel disse.
    “… Sou dos que os estudam atenta e carinhosamente. (…) E como o objetivo desta palestra é o estudo dos animais, nossos irmãos inferiores, sinto-me à vontade para declarar que todos nós já nos debatemos no seu acanhado círculo evolutivo. São eles nossos parentes próximos, apesar da teimosia de quantos persistem em o não reconhecer. (…) Recebei como obrigação sagrada o dever de amparar os animais na escala progressiva de suas posições variadas no planeta. Estendei até eles a vossa concepção de solidariedade e o vosso coração compreenderá, mais profundamente, os grandes segredos da evolução, entendendo os maravilhosos e doces mistérios da vida.”

    Perguntamos.
    Ramatis e Emmanuel são ignorantes e burros??????
    Gostaria de uma resposta.
    Qual é a sua resposta???

    Quem planta o mal vai colher o mal.
    Wilson Moreno discípulo do Mestre supremo Jesus o Cristo.

    • Deborah Sá said,

      Wilson,

      As pessoas maltratam animais não porque são “maldosas e ignorantes” (no sentido da brutalidade e sadismo), mas porque a cultura oferece aparato moral e sustenta essas práticas. Já comi carne, já acreditei em Deus, nada disso me fez uma pessoa superior/evoluída, somos todos produtos do nosso tempo. Se me tornei vegana e atéia é porque mesmo enquanto contraproposta, a conjuntura permite esse tipo de raciocínio. Respeito a perspectiva espiritual do veganismo, porém, minha defesa ao direito animal é princípio ético. Gandhi, Pitágoras e todas essas outras personalidades que segundo alguns, eram adeptas ao vegetarianismo, não são garantia de premissa válida. Tudo deve ser questionado, revisado, não interessa se é lei, se está na bíblia ou no discurso de pessoas “influentes”. Não é porque alguém disse que vira sagrado ou inquestionável. Se essas pessoas são “ignorantes” e “burras”? Não entendo qual a relevância disso, em primeiro lugar, informação nunca é demais, há muitos assuntos nos quais “engatinho”, nem por isso devo ficar em silêncio em dúvidas e inquietações. Em segundo lugar, a “inteligência” é aspecto cultural, histórico, medido em avaliações meritocráticas e pretensamente neutras politicamente.

      Minha avó não sabe produzir um texto como faço, não sei costurar como ela, um cão não sabe cozinhar, não tenho o faro tão bom quanto o dele. Qual a relevância dessa métrica em quem é superior/inferior, burro/inteligente? Habilidades/capacidades nunca devem valer de critério para o respeito.

      Um abraço,
      Deborah Sá

  12. wilson said,

    Amar e respeitar os animais.

    1)Devemos respeitar e amar os animais eles também são filhos da Grande Luz e estão evoluindo para planos superiores.
    O nosso dever é amparar, ajudar e tratar bem dos animais como ensina a Doutrina Espirita.
    Vejamos as palavras do Chico Xavier sobre essa questão.

    Pergunta – Chico Xavier, a Doutrina dos Espíritos esclarece com muita propriedade a questão da Lei da Causa e Efeito, de Ação e Reação, que preside a organização do Universo. Ela também nos indica o livre – arbítrio, como atributo fundamental da personalidade humana pelo qual o ser humano tem a facilidade de optar livremente pelo caminho que deseja seguir, recebendo contudo, em contrapartida, o resultado inexorável de suas decisões boas ou más.
    Assim se conclui que a plantação é livre aos seres humanos mas a colheita lhes é obrigatória. Dessa forma se explica todas as provações e resgates, doenças e deformidades físicas e mentais que sofre a maioria dos homens na Terra, como sendo seu karma ou resgate de delitos passados.
    Também nos ensina a Doutrina Espírita que os animais não gozam desta faculdade do livre – arbítrio , por não possuírem o pensamento contínuo.
    Assim sendo, como devemos encarar a questão da existência de deformidades congênitas nos animais. Por que nascem animais cegos ou deformados?

    Chico Xavier – Nossos benfeitores espirituais nos esclarecem que é preciso que todos nós consideremos que os animais diversos, a nos rodearem a existência de seres humanos em evolução no planeta Terra, são nossos irmãos menores, desenvolvendo em si mesmos o próprio princípio inteligente.
    Se nós, seres humanos já alcançamos os domínios da inteligência desenvolvendo agora as potências intuitivas, eles, os animais, estão aperfeiçoando paulatinamente seus instintos na busca da inteligência da mesma maneira que nós humanos aspiramos alcançar algum dia a angelitude na Vida Maior, personificada em nosso mestre o Senhor Jesus, eles, os animais aspiram ser num futuro distantes homens e mulheres inteligentes e livres.Assim sendo, nós podemos nos considerar como irmãos mais velhos e mais experimentados dos animais.
    Ora, nós sabemos que as leis divinas do Amor e Solidariedade entre seres e por isso, podemos facilmente concluir que as ações dos seres humanos, que Deus outorgou a condição e proteção de nossos irmãos mais novos animais. E o que é que esta humanidade tem agido em relação aos animais nos inúmeros séculos de nossa história.
    Porventura nós, os homens não temos nos transformados em algozes dos animais ao invés de seus protetores fiéis?

    Quem ignora que a vaca sofre imensamente a caminho do matadouro?

    Quem duvida que minutos antes do golpe fatal os bovinos derramam lágrimas de angústia?

    Não temos treinado determinadas raças de cães exaustivamente para o morticínio e os ataques?

    Que dizemos das caçadas impiedosas de aves e animais silvestres unicamente por prazer esportivo?

    Que dizermos das devastações inconseqüentes do meio ambiente?

    Tudo isto se resume em graves responsabilidades para o seres humanos, a angústia, o medo e o ódio que provocamos nos animais lhes altera o equilíbrio natural de seus princípios espirituais, determinando ajustamentos em posteriores existências, a se configurarem por deformidades congênitas.

    A responsabilidade maior recairá sempre nos desvios de nós mesmos, que não soubemos guiar os animais no caminho do Amor e do Progresso, seguindo a Verdade de Deus.

    Agora vejamos, se determinado cão é treinado para o ataque e a morte com requinte de crueldade, se ele é programado para o mal, pode ocorrer que em um determinado momento de angústia este mesmo cão treinado para atacar estranhos, ataque crianças de sua própria casa ou próprios donos.Aí teremos um desajuste induzido pela irresponsabilidade humana.

    Ora, este mesmo cão aspira crescer espiritualmente para a inteligência e o livre-arbítrio.Mas para isto ele precisa experimentar o sofrimento que lhe reajuste o campo emotivo, aprendendo pouco a pouco a Lei de Ação e Reação. Assim, ele provavelmente renascerá com sérias inibições congênitas.A responsabilidade de tudo, no entanto, dever-se-a à maldade humana.

    2) Sobre comer carne.
    Vejamos as palavras de Emmanuel.
    “A ingestão das vísceras dos animais é um erro de enormes conseqüências, do qual derivaram numerosos vícios da nutrição humana.
    É de lastimar semelhante situação, mesmo porque, se o estado de materialidade da criatura exige a cooperação de determinadas vitaminas, esse valores nutritivos podem ser encontrados nos produtos de origem vegetal, sem a necessidade absoluta dos matadouros e frigoríficos.
    Temos a considerar, porém, a máquina econômica do interesse e da harmonia coletiva, na qual tantos operários fabricam o seu pão cotidiano.
    Suas peças não podem ser destruídas de um dia para o outro, sem perigos graves.
    Consolemo-nos com a visão do porvir, sendo justo trabalharmos, dedicadamente, pelo advento dos tempos novos em que os homens terrestres poderão dispensar da alimentação os despojos sangrentos de seus irmãos inferiores.”

    (Trecho do livro O Consolador, psicografado por Chico Xavier junto a Emmanuel)

    Vejamos as palavras de Andre Luiz sobre os animais.

    “A pretexto de buscar recursos protéicos, exterminávamos frangos e carneiros, leitões e cabritos incontáveis. Sugávamos os tecidos musculares, roíamos os ossos.
    Não contentes em matar os pobres seres que nos pediam roteiros de progresso e valores educativos, para melhor atenderem a obra do Pai, dilatávamos os requintes da exploração milenária e infligíamos a muitos deles determinadas moléstias para que nos servissem ao paladar, com a máxima eficiência.
    O suíno comum era localizado por nós, em regime de ceva, e o pobre animal, muita vez à custa de resíduos, devia criar para nosso uso, certas reservas de gordura, até que se prostrasse, de todo, ao peso de banhas doentias e abundantes.
    Colocávamos gansos nas engordadeiras para que hipertrofiassem o fígado, de modo a obtermos pastas substanciosas destinadas a quitutes que ficaram famosos, despreocupados das faltas cometidas com a suposta vantagem de enriquecer valores culinários.

    Em nada nos doía o quadro comovente das vacas-mães, em direção ao matadouro, para que nossas panelas transpirassem agradavelmente.
    Encarecíamos, com toda a responsabilidade da ciência, a necessidade de proteínas e gorduras diversas, mas esquecíamos de que a nossa inteligência, tão fértil na descoberta de comodidade e conforto, teria recursos de encontrar novos elementos e meios de incentivar os suprimentos protéicos ao organismo, sem recorrer às indústrias da morte.
    Esquecíamo-nos de que o aumento de laticínios para enriquecimento da alimentação constitui elevada tarefa, porque tempos virão, para a Humanidade terrestre, em que o estábulo, como o Lar, será também sagrado.”

    “Não nos cabe condenar a ninguém.
    Abandonando as faixas de nosso primitivismo, devemos acordar a própria consciência para a responsabilidade coletiva.
    A missão do superior é a de amparar o inferior e educá-lo.
    E os nossos abusos com a Natureza estão cristalizados em todos os países, há muitos séculos.
    Não podemos renovar os sistemas econômicos dos povos de um momento para o outro, nem substituir os hábitos arraigados e viciosos de alimentação imprópria, de maneira repentina.
    Refletem eles, igualmente, nossos erros multimilenários.
    Mas, na qualidade de filhos endividados para com Deus e a Natureza, devemos prosseguir no trabalho educativo, acordando os companheiros encarnados, mais experientes e esclarecidos, para a nova era em que os homens cultivarão o solo da Terra por amor e utilizar-se-ão dos animais, com espírito de respeito, educação e entendimento.”

    (Trechos do livro Missionários da Luz, psicografado por Chico Xavier junto a André Luiz)

    3) Vejamos a palavra de um espírito de luz sobre essa questão.

    Já tendes provas irrecusáveis de que podeis viver e gozar de ótima saúde sem recorrerdes à alimentação carnívora. Para provar o vosso equívoco, bastaria considerar a existência, em vosso mundo, de animais corpulentos e robustos, de um vigor extraordinário e que, entretanto, SÃO RIGOROSAMENTE VEGETARIANOS, tais como o elefante, o boi, o camelo, o cavalo e muitos outros. Quanto ao condicionamento biológico, pelo hábito de comerdes carne, deveis compreender que o orgulho, a vaidade, a hipocrisia ou a crueldade, também são estigmas que se forjaram através dos séculos, mas tereis que eliminá-los definitivamente do vosso psiquismo. O hábito de fumar e o uso imoderado do álcool também se estratificam na vossa memória etérica; no entanto, nem por isso os justificais como necessidades imprescindíveis das vossas almas invigilantes.
    Reconhecemos que, através dos milênios já vividos, para a formação de vossas consciências individuais, fostes estigmatizados com o vitalismo etérico da nutrição carnívora; mas importa reconhecerdes que já ultrapassais os prazos espirituais demarcados para a continuidade suportável dessa alimentação mórbida e cruel. Na técnica evolutiva sideral, o estado psicofísico do homem atual exige urgente aprimoramento no gênero de alimentação; esta deve corresponder, também, às próprias transformações progressistas que já se sucederam na esfera da ciência, da filosofia, da arte, da moral e da religião.O vosso sistema de nutrição é um desvio psíquico, uma perversão do gosto e do olfato; aproximai-vos consideravelmente do bruto, nessa atitude de sugar tutanos de ossos e de ingerirdes vísceras na feição de saborosas iguanas. Estamos certos de que o Comando Sideral está empregando todos os seus esforços a fim de que o terrícola se afaste, pouco a pouco, da repugnante preferência zoofágica.

    4) Sacrifícios de animais em rituais.

    O perigo das macumbas, muitas pessoas nada sabem desses perigos. Os Espíritos de Luz ou Espíritos Superiores já mais vão pedir charutos, cachaça, cigarros,sacrifícios de animais e despachos, essas praticas só podem atrair pela sintonia vibratória espíritos desencarnados apegados a matéria e aos vícios terrenos, ou seja, espíritos inferiores e obsessores.Os Espíritos Superiores são Virtuosos em seus ensinamentos, eles procuram moralizar, educar e espiritualizar os seres humanos, incentivando a pratica sincera do bem e das Virtudes. Os espíritos apegados a matéria tratam de assuntos vulgares sem elevação moral, assuntos, como, sorte no jogo, volta da pessoa amada, sorte com as mulheres, melhoria nas finanças, trabalhos para prejudicar desafetos etc. Os Espíritos Superiores já mais vão se manifestar num centro para pedir charutos, cachaça e sacrifícios de pobres animais, isso é ridículo, os animais são nossos irmãos menores na escala evolutiva, devemos respeitar e amar os animais, quem pede esses absurdos são os espíritos da escuridão, cuidado, muito cuidado, eles gostam de enganar as pessoas usando uma linguagem melosa, suave, doce, com palavras bonitas, eles falam macio, tudo para seduzir as pessoas que estão nesses ambientes de baixa espiritualidade. Eles também usam Nomes pomposos, importantes e sedutores para mistificar. Vou deixar uma pergunta, vocês acham que os Espiritos de LUZ vão pedir despachos, cachaça, charutos, sacrificios de pobres animais inocentes??? O ser humano é um Espirito encarnado no mundo terra para evoluir e se melhorar moralmente, ser bom, honesto, correto, trabalhador, sem vicios, cultivar as Virtudes e os valores morais superiores, é seu DEVER, cumprindo com o seu dever moral ele consegue vencer e evoluir.Devemos nos afastar dos ambientes de baixo nivel moral, por que, nesses ambientes perambulam espiritos inferiores e pertubadores. O ser humano é composto de dois elementos Espirito e materia, o Espirito é a Força inteligente o ser pensante, a materia corporal não pensa e nem sente, portanto, se conhecer como Espirito encarnado com Deveres Morais para cumprir já é uma iniciação para as verdades superiores.

    Os animais merecem nosso respeito e nosso amor.
    Essa é a Lei de Deus.

    Wilson Moreno discípulo do Mestre Allan Kardec.


Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: