9 abril, 2010

Os privilégios em ser branca

Posted in Corpo às 5:35 pm por Deborah Sá

Hoje resolvi almoçar fora (99% dos dias almoço marmita), depois de montar meu prato “modesto” com arroz e agrião, feijão, escarola, cenoura, palmito, batata sorriso, fritas, polenta (carboidrato no frio *_*), sorridente perguntei a uma senhora se eu poderia me sentar ao seu lado (um dos poucos lugares disponíveis). Ela assentiu.

Meu prato era muito maior que o dela, já que mulheres em geral comem pouco se comparadas com homens. Em seu prato havia uma carne rosa (salmão?) e uma marrom, arroz integral e alguns legumes. Quando estava finalizando meu prato soltei um suspiro (daqueles que a comida está muito boa. Não estava “explodindo”, só expressando satisfação). E a mulher fez uma cara estranha pra mim e eu respondi com um sorriso:
– Comer é tão bom né?
– Hum, é mesmo…a melhor coisa da vida.
– Uma das melhores de fato.
– (Silêncio) Olhando pro meu prato com cara de “que ogra”.
– Eu como mesmo :)
– Tô vendo…
– Tem gente que conta calorias, sou feliz assim, fora que quase não como gordura saturada e minha saúde está ok. Pra que me privar não é mesmo?
– É, porque aí já vira doença, igual a menina da novela, você acompanha?
– Não, quando eu chego em casa já acabou…
– Ah, aquela mãe tem muita paciência com ela! De onde você é?
– Eu sou do Centro, mas trabalho aqui perto.
– Hum, pensei que você era do Sul (fez gesto de “rosto” na cara).
– Não O_O Minha mãe é Pernambucana, meu pai é Paulista.
– Bem, tenho que ir. Qual seu nome? Prazer, boa tarde.

Assim que ela saiu duas senhoras conversavam o quanto era difícil ter que pagar tantas contas: O carro, a empregada, o supermercado…

Este tipo de situação me faz sentir desconfortável: Perceber como o mundo me vê.

Será que se eu fosse negra ela conversaria comigo?

A cor da minha pele faz toda essa gente com comportamentos estranhíssimos (falar de empregada na categoria “coisas” e achar que salva o mundo porque paga alguém que limpa a privada da família, depois volta pra casa de pé no ônibus lotado para limpar outra casa), se identificar comigo.
Minha mãe é Pernambucana, veio pra SP ainda pequena, minha bisavó paterna veio da Itália para trabalhar como mão de obra barata.

Meus pais passaram por muitas dificuldades quando crianças, meu pai não concluiu o ensino fundamental (e é analista de sistemas), minha mãe faz hoje a primeira faculdade: Serviço Social. Trabalhou “em casa de família” onde separavam os talheres dela dos outros.

Mas quem me vê não conhece minha história e a impressão que eles têm é essa: Sou como os filhos deles que usavam uniformes bonitos e comiam Pringles sem nunca lavar um banheiro.

Não quero dizer que sou coitadinha branca (eca! longe disso!), reconheço que mesmo com tanta coisa ruim na minha vida é fácil imaginar que muitos acontecimentos foram relacionados com a minha cor. Reconhecer privilégios é fundamental.
Quando a classe média se chama de pobre e brancos falam que não tem vantagens sociais “sofrendo de maneira igual” isto NÃO é verdade.

* Fui escolhida para ser Branca de Neve (mesmo gorda) em uma peça da escola, qual garota negra é escolhida como princesa?
* Nunca xingaram meu cabelo ou queimei a testa pra alisá-lo.
* Nunca se afastaram de mim com medo que eu assaltasse.
* Nunca falaram: “Deborah, essa cor não combina com sua pele”.
* Embora não use maquiagem, são direcionadas a pele branca usualmente.
* Nunca falaram: Este estilo que você ouve é música de branco – com uma careta em seguida -.

É horrível privar/restringir uma menina negra de ser quem ela É.

É óbvio que não percebo outros grandes problemas por não vivenciar a realidade da mulher negra. Um que noto e me magoa é ouvir meninos/garotos/homens negros dizendo que querem namoradas loiras =/

Não pretendo liderar a luta da mulher negra mas julgo importante que mulheres brancas não se esqueçam que fatos muitas vezes imperceptíveis a nós, fazem a diferença da forma como o mundo nos trata. Mulheres negras são exemplos de superação.

35 Comentários

  1. Post show…. quase ninguém reconhece seus privilégios….coisa mais rara do mundo…

    FIlho de retirantes, nunca me esqueci de que foi um privilégio poder concluir a universidade… eu não gostei do curso, não vou trabalhar na área… e o fiz com meu esforço.. mas a maioria não te m essa oportunidade que eu tive…

    Os brancos da classe-média (a antiga e não a nova) se acreditam pobres pois precisam trabalhar… Ganham 6 x mais do que 50 % (valsr ilustrativo.. tirei da minha cabeça) da população, mas ainda asim, se creêm POBRES (meeeesmo) por não terem o privilégio de poder ficar em casa vivendo de renda…

    Sem contar o altos impostos que pagam pra ter o carro e a renda, o valor do condomínio, convênio médico e escola particular pros filhos…Coitados.. e ainda por cima querem que paguem direitos trabalhistas as empregaas domésticas… Sinceramente, quase choro quando penso na situação desa gente.. tão sofrida…

    Mas taí… mais um texto suscinto, incrivelmente intrínseco (me parece);…. parabens.. cada dia gosto mais daqui..

    • Deborah Sá said,

      Obrigada Thiago :)

      Eu sei que é difícil mesmo, ninguém quer adimitir que tem certas facilidades.

  2. Rosangela Cavalcanti said,

    Oi Deborah, eu sou uma mulher de 40 anos, mãe de 3 filhos pequenos e fico maravilhada quando me deparo com jovens como você – inteligentes, críticos e sensíveis. Espero que a minha pequena Gabriela, de 5 anos, vá pelo mesmo caminho. Estou fazendo a minha parte, criando-a para ser o verdadeiro mulherão: livre de preconceitos e com capacidade de enxergar as tantas armadilhas sociais que passam por eventos naturais, como aquela que quer incutir na cabeça da menina/mulher que vale a pena se privar de alguns grandes prazeres da vida, como comer, para serem “admiradas” por aqueles que jamais irão respeitá-las. E, claro, espero que ela consiga desenvolver a capacidade de empatia. Afinal, saber se colocar no lugar do outro é uma atributo intrínseco àquelas pessoas, mulheres ou homens, que fazem diferença no mundo.

    • Deborah Sá said,

      Poxa Rosângela que bonito :)

      Muito obrigada :D

      Desejo toda a força para você e seus filhotes ;)

  3. asnalfa said,

    Pq vc é contra casamentos inter-raciais???
    Sou latino mas quero namorar japa, posso não?
    Todo negro é obrigado a namorar branca?

    • Deborah Sá said,

      Absolutamente nada asnalfa, meu problema é com homens negros que falam da mulher branca como se fosse um troféu. Em tempo: Meu namorado é pardo.

      • Vitor said,

        Acredito que esse problema não se restringe somente aos homens negros, mas a categoria toda em si. É uma consequência da cultura dissemina pela mídia não só no nosso pais mas no mundo todo, o capitalismo é seletivo, é constituídos por “grupinhos” que sonham com privilégios, e como já diza máxima: “O privilégio come direito”… Foi muito feliz em: “Mulheres negras são exemplos de superação.”

        Parabéns!
        =)

      • Deborah Sá said,

        Obrigada :)
        Seja bem vindo :D

  4. Mariani Lima said,

    É difícil reconhecer privilégios, na verdade, é difícil as pessoas refletirem quando estão “em vantagem”.
    Em relação a empregada doméstica, acho absurdo famílias que contratam sem nenhuma necessidade, apenas para exibir certo “status”, não pagam nenhum direito, tratam-nas mal e como verdadeiras escrevas.
    Isso é ridículo, e, pra variar, a mídia tem culpa nisso.

    Esse seu post me lembra das festas juninas, na época de escola. Todo ano a “noivinha” sempre era uma garota loira, geralmente a que fazia mais sucesso na sala.
    Ser negro ainda é uma dificuldade, ainda há muito preconceito, muitos estereótipos. Fico feliz ao ler comentários de mães que estão engajadas em educar bem os filhos a respeito de preconceito, creio que muitas pessoas que hoje são preconceituosas são devido a famílias preconceituosas. Claro que há exceções, mas um mal exemplo é sempre prejudicial.

    • Deborah Sá said,

      Engraçado que até a trança artificial do chapéu usado nas festas “imita” cabelo liso. O_o

  5. Carol said,

    chorei quando li “separavam os talheres dela dos outros.”

    :/

    • Deborah Sá said,

      É triste mesmo =/
      Se serve de consolo: Minha mãe faz faculdade de Serviço Social hoje :)

  6. barbara said,

    esta condição de mulher branca dá pano para a manga… é um tapa na cara, seguido de um afago. é a mulher inferior, porém princesa. ou então, a ‘buceta mais higiênica’, não é?

    é muita esquizofrenia. não dá para se acomodar. beijo pra você!

    • Deborah Sá said,

      é muita esquizofrenia. não dá para se acomodar – Uhahahha =P

      Outro =***

  7. camila antero said,

    Trabalhou “em casa de família” onde separavam os talheres dela dos outros.
    putz.

    e eu nem terminei de ler, já tô comentando.

    • Deborah Sá said,

      Quando quiser, é só comentar :)

  8. @@@@@@@Sara_Souza said,

    Um sorriso negro um abraço negro traz felicidades mesmo sem emprego fica sem sucego negro tbm é a Liberdade ♫ . Na Boa NEGRO É LINDO ! e privilego ser negro , agente é guerreiro , e não tenho vergonha de ser negro a um toquinho muda o nome desse blog OS PRIVILÉGIOS EM SER BRANCA . privilegios ? so se for no seu … pregilegio e ser negro porq negro e guerreiro e negro e LINDOOOO . morra de inveja !!!! não perco mais me tempo nesse blog lixo aqui ! UMA PORCARIA . Homem negro tem o direito de casar com quem quer e e melhor uma negra do que um RIDICULA COMO VOCE ! FEIA FEIA SUA BRANCA RIDICULA . SINTO MUITO PELA SUA MÃE MAIS ELA ESCOLHEI UM FUTURO MELHOR . TCHAAU FEIOSA BRANCA RIDICULAAA !

    • Deborah Sá said,

      Sara

      “Não quero dizer que sou coitadinha branca (eca! longe disso!), reconheço que mesmo com tanta coisa ruim na minha vida, é fácil imaginar que muitos acontecimentos foram relacionados com a minha cor. Reconhecer privilégios é fundamental.
      Quando a classe média se chama de pobre e brancos falam que não tem vantagens sociais “sofrendo de maneira igual” isto NÂO é verdade.

      * Fui escolhida para ser Branca de Neve (mesmo gorda) em uma peça da escola, qual garota negra é escolhida como princesa?
      * Nunca xingaram meu cabelo ou queimei a testa pra alisá-lo.
      * Nunca se afastaram de mim com medo que eu assaltasse.
      * Nunca falaram: “Deborah, essa cor não combina com sua pele”.
      * Embora não use maquiagem, são direcionadas a pele branca usualmente.
      * Nunca falaram: Este estilo que você ouve é música de branco-com uma careta em seguida -.

      É horrível privar/restringir uma menina negra de ser quem ela É.”

      Os privilégios são sociais, brancos são tratados como se fossem melhores e como pode ver acima, sou radicalmente contra isso.

      Não pretendo liderar a luta da mulher negra, julgo importante que mulheres brancas não se esqueçam que fatos muitas vezes imperceptíveis a nós, fazem a diferença da forma como o mundo nos trata. Mulheres negras são exemplos de superação.”

      Por favor, leia meu texto novamente.
      Em nenhum momento da minha vida me senti superior a alguém porque tinha um tom de pele diferente do meu.
      Pela falta de argumentos e xingamentos pessoais, acredito que você seja um troll, mas, temi que alguém também interpretasse meu texto de forma errada. Então digo agora com todas as letras (pra não restar dúvidas):

      – Respeito a cultura negra.
      – Não é novidade pra ninguém que me conhece de verdade que considero lindíssimos os traços, cor, cabelos e toda a estética negra.

      Entendeu agora?

      • Mariani Lima said,

        Deve ser um troll, pra responder dessa forma incivilizada.
        Você fez o post, expressou sua opinião claramente.
        Agora se a pessoa que só leu o título quer criticar, paciência, esse blog não foi feito para o tipo de leitora que ela é.

  9. Vitor said,

    Olha eu sou negro e gostei muito do seu post, quanto ao pensamento formado por homens negros (e não só negros) que a mulher branca é um torféu eu acredito que seja consequência da cultura disseminada pela mídia ao longo processo de formação da nossa sociedade. Acredito que se olharmos a problemática por esse aspecto ficaria mais fácil entende-la. Raramente assistimos mulheres negras em comerciais de Shampoo ou produtos relacionados aos cuidados femininos. É um paradigma que pessoas como vc são capazes de enchergar e fazer criticas consistentes.
    Meus pais são separados e hj meu pai tem uma esposa loira e minha mãe tbm tem um namorado branco. Já namorei garotas negras e atualmente minha namorada é branca. Pra mim a cor sempre foi fator relativo. o importante são os principios, consciência e o caráter. O problema não é racial, e sim como as raças são distinguidas por interesse de uma minoria elitizada egoísta.

    Meus parabéns pelo Post!

  10. Nicole Abrahão said,

    Conheci seu blog através do twitter Blogs LGBT e confesso que estou gostando muito dos posts. Este aqui é algo raro de se ver, pois a tendência geral é achar que não existe racismo no Brasil e o assunto acabou caindo em desuso um pouco. Muitas das coisas que você falou concordo plenamente. Acredito que na infância o negro é o primeiro que aprende a se desvalorizar e na adolescência começa a pintar o cabelo de louro ou a clarear e alisar. Quando menor já quis ser branca e ter o cabelo liso, pois era na minha escola quase não tinha crianças negras e meu modelo de beleza eram as meninas brancas – além de notar que algumas professoras (todas brancas) só tinham atenção e carinho para as brancas. Eu era chamada atenção mais severamente que as outras. O bom é que criança eu não percebia ou entendia o porquê. A questão da escolha dos pares pela cor eu concordo em partes. As vezes acho chato que a recíproca não é verdadeira, ou seja: um branco namorar um negro é sinal de que não tem preconceito com a raça negra. Mas um negro namorar um branco… Bom, aí já dizem que ele não valoriza a própria raça. Creio que o problema está mais na exclusão: dizer que só namora brancas ou só negras poderia ser considerado um caso de preconceito. Eu gosto de meninas brancas e cabelo preto mas a minha namorada agora é morena e na minha concepção bate qualquer pele clarinha rsrs. Outra coisa que gostaria de comentar é que achei interessante e correto você usar o termo “pardo”. Já vi algumas campanhas por aí dizendo “Moreno não. Negro!”. Eu acho sem sentido pois moreno não é uma palavra usada para amenizar o fato de ser negro – é uma mistura de negros e brancos. Sou descendente de negros e italianos, portanto morena. Dizer que sou negra é negar que tenho parentes brancos e isso pra mim também soa preconceito. É só colocar ao contrário que verá. Gostei muito do texto! Tentarei vir aqui outras vezes! Beijos!

    • Deborah Sá said,

      Seja bem vinda Nicole!
      Quis dizer no post que me aborrece notar que muitos negros namoram brancas/loiras, entende? Julgo a pele negra lindíssima e sou bem branquinha “o encontro” destes tons é muito bonito de se ver :)

      Um abraço e comente sempre que desejar =***

  11. olivia said,

    pensei que só eu me irritasse por ter “cara de classe media” sendo da periferia e ralando muuuito pra falar ingles e estudar como as pessoas de classe media. estive no oriente medio onde essas questoes raciais sao bem diferentes, eu precisaria de varias páginas pra explicar minhas impressoes e as conclusoes que cheguei com relação ao Brasil.

  12. […] do Brasil. Essa teoria é sustentada, geralmente, por aqueles que recusam-se a reconhecer os seus privilégios em ser brancos. Para estes, tudo se resume a falta de respeito entre as pessoas, afinal de contas, […]

  13. Fernando Fontenla said,

    Gostei muito do texto, vejo uma força admirável na sua pessoa!

  14. Yara said,

    Aqui no Ceará sofri preconceito reverso, por ser branca demais e morar em bairro pobre. Depois de adulta, na faculdade, ninguém acreditava que eu era pobre. Quase não consegui entrar no programa de assistência (o que salvou foi a burocracia e seus comprovantes). Não vejo vantagem em ser branca. Talvez haja aí, no sudeste. Sei do preconceito contra os negros, mas aqui é melhor ser pardo. Por incrível que pareça. Enquanto negros são confundidos com ladrões, eu sou confundida com turista ou com prostituta.
    O Brasil é racista sob qualquer ângulo…

  15. Doug Santana said,

    Sua critica,ideia,concepçao e adversidades dos nossos e do seu dia,fazem, com que sejamos abrangentes em conhecimentos teoricos e praticos;seria utopia dizer que isso tudo é algo transitorio ?…infelizmente nao,é uma realidade crua e verdadeira,meus amigos negros,a maioria so querem loiras,essa concepçao de loira e tal como trofeu;já e de longe sabida,e como dar um tapa na sociedade,um ego inflamado,é para se a mostrar para a sociedade que ele negro pode ter uma caucasiana,se esquecendo de algo tao plausivel;vale-se o que ele é por dentro e nao o que é por fora ..mas enfim,é merda da nossa sociedade,é o falso status quo,quem tem loira esta bem,tanto que negros e brancos tem essa tara por loiras,eu gosto é de mulher,negra,branca,amarela,e azul:vc tem uma visao bem holistica da situaçao,mais e ai ? mudara algo….e lhe digo,sim,pois as mudanças se comecam por dentro e posteriormente por fora..abracos !! se quiser Deborah,pode me add no face ou me manda o seu caso nao consiga ta bjs e forte abraco !!

    https://www.facebook.com/doug.santana.18

    • Deborah Sá said,

      Doug

      Concordo, as mudanças são paulatinas.

      Um abraço,

  16. yasmin said,

    bom, sou negra, mestiça, uso cabelos compridos e lisos… acho mais bonito assim, e por esse motivo me chamam de india… mas sou negra…aliso os cabelos porq acho que fico melhor assim, não é negaçao de raça, mas acho mais pratico,,,, bom isso não vem ao caso…, concordo com o texto sim, as mulheres brancas tem privilegios…os homens só vêem as mulheres negras para casos, e ficar escondido, e para o sexo, enquanto casam e namoram com as brancas…se tiver numa balada uma negra linda, e uma branca, feia, eles preferem a branca feia, para eles toda mulher branca é melhor e dá status, a maioria das pessoas ver a cor da pele como indicação de poder e dinheiro PELE BRANCA= RICO, BEM NASCIDO, e PELE NEGRA=POBRE DEVE MORAR NA PERIFERIA., isso não deixa de ser uma realidade que a maioria dos brancos tem poder aquisitivo superior aos negros, desde a epoca da escravidão;;; hoje já melhorou bastante, lutamos para conseguir estudar,empregos de cargos altos, e chegar a uma universidade…, se um negro está na faculdade logo pensam que é por conta das cotas, e não acham que ele tenha potencial para um curso como direito ou medicina… isso é fato. A mulher negra tem sua auto estima massacrada desde criança, quando ver apenas em comerciais crianças brancas felizes, mulheres brancas felizes e bem sucedidas,e na tv só ver desgraça e coisas negativas da sua raça, como desemprego, mulheres negras que tem filhos sem pais,analfabetismo, violencia, as cadeias 80%, dos presos são negros… isso fica no subconciente das pessoas, e acabam generalizando… se uma mulher negra mora em um bairro de ricos, e ela atende a porta, nunca acham que ela é a patroa, e sim a empregada… as pessoas brancas são mais bem aceitas, tanto para amizade, quanto para relacionamentos amorosos,são bem tratados nas lojas, ou em qualquer lugar que vá, nós mulheres negras nunca sabemos se um home tem interesse mesmo em nós ou querem apenas sexo,somso tratadas de forma rude e menos carinhosa…não varias e einumeras as diferenças gritantes , principalmente aqui no BRASIL,PAIS MESTIÇO, POREM MAIS RACISTA DE TODOS, onde pessoas negras , coma pele um pouco mais clara, alisam os cabelso e enchem de guanidina e alisamentos e se acham brancas e superiores negando a raça….bom s efor falar todas as outras coisas e diferenças, vou escrever um livro aqui…… mas espero que a cada dia melhore e consigamos igualdade. pois não somos melhores nem piores…Brasil, negro é cor…lamentavel., nNEGRAS SE VALORIZEMMMMMMMM NÃO PERMITA SER TRATADA COM INFERIORIDADE, NÃO ACEITE FICAR COM ALGUEM ESCONDIDO, VC NÃO É CRIMINOSA PARA SE ENCONDER, SOMOS LINDAS,E GUERREIRAS E MERECEMOS SER TRATADAS COMO TAL.

  17. Nilton Martz said,

    “Negros preferem brancas”. Não é verdade. É falácia. Quando vou à um recinto onde tem samba ao vivo vejo uma maioria de casais negros: negro com negra. Casais miscigenados são minoria mesmo. O que observo é pessoas de pele branca buscando se envolver com pessoas de pele negras, querendo fazer parte do grupo de negros. Vejo isto se repetir desde quando eu frequentava os chamados bailes blacks, no início dos anos 1980, onde os brancos(as) que participavam desses bailes se diziam “branco só na cor da pele”, e que “por dentro sou negro(a)”. E tem muitos brancos(as) querendo ser negros(as); muitos brancos(as) imitam o negro no modo de cantar samba e age com o mesmo gingado e postura genuína dos negros. Este comportamento se vê em todo o mundo, quando se vêem pessoas de pele branca imitando e cantando black music: soul, jazz, blues, funk americano, samba, regae. Vi brancos com cabelos lisos usando “tranças” artificiais rastafari; e encrespando os cabelos lisos para fazer o tipo “Black power”. Existem muitos e muitos brancosque gistariam dr ser negro. Mas esta realidade a mídia, controlada por pessoas brancas, esconde. Esta mídia prega com insistência que “Negros só querem brancas”, como se isto o desejo de quase a totalidade do desejo do homem negro,o que não é verdade. Muito mais as mulheres brancas procuram os homens negros do que o inverso. Digo por experiência própria.
    Então perguntei a uma mulher loira que queria muito namorar comigo (sou homem negro): “Por que as loiras gostam de negros?” Ela me respondeu: “Porque o negro é homem com cara de homem”.
    Outro fato: os homens brancos que namoravam com mulheres negras, nos bailes bkacks, se sentiam importantes e valorizados no reduto do negros; era mesmo uma questão de status dentro do grupo. E era considerado, no meio. Explico o porquê: as mulheres negras eram muito seletivas, passar pelos seus crivios, ser aprovado pelos seus critérios era (me refiro à época já citada) difícil. O homem tinha que saber conversar (dentro do padrão negro) para convencer. Os que não se adequavam )ao estilo, assunto, modo de pensar e ser), e não era “esperto”, segundo às exigências da mulher negra, ficavam “à ver navios”. Então o que ocorria com estes (poucos) homens negros que não tinham êxito com as mulheres negras? Lá haviam mulheres brancas que ali estavam para conseguir um “namorado negro”. Estas mulheres brancas nãodificultavam para os homens negros, no momento do “xaveco”. As brancas, por quererem muito um homem negro, aceitava a cantada dos negros sem muita resistência. Porque este era o objetivo primeiro: namorar um negro. O fato é que era muito mais fácil conseguir uma mulher branca do que uma mulher negra. Os homens negros que “tinham mais idéia pra trocar” conseguiam com sucesso ganhar ni papo uma mulhet negra; principalmente se esta era muito bonita. Porque quanto mais bonita fosse, mais seletiva ela era. Então, o negro com uma negra muito bonita era invejado por outros negros e por brancos também (os chamados brancos negreiros). Nas rodas se diziam: “Esse cara tem idéia” (bom papo/boa conversa). Eu sempre quiz namorar uma pretinha. Mas nunca consegui; meu papo não “conjuminava”, como se dizia. Pra mim sobravam as mestiças de pele clara e brancas. Eu sempre fui reprovado no crivo das mulheres negras. Ouvi, algumas vezes: você é negro só na cor”, “Você tem jeito de branco”. Nunca compreendi isso. Ainda hoje não está claro para mim estas afirmações ao meu modo de ser.
    Esta realidade citada aqui por mim, nunca apareceu na mídia. Extranho…

  18. Nilton Martz said,

    Os brancos esquecem(a maioria não sabe mesmo) que os filósofos gregosforam alunos dos egípcios negro, ou, pretos, onde aprenderam filosofia, artes, matemática, ciências antigas, milenares, com as quais tiveram contato na Idade Média.
    O Egito era governado por negros na 25 (vigésima quinta) dinastia.
    O povo africano (negro) é o mais antigo na fave da terra, do qual o brancoé descendente.

  19. Liliane Silva said,

    Me emocionei por diversas vezes lendo esse post e comentários. É a dura realidade de um negro, e como negra que sou, digo que é desse jeito que funciona. Pois já sofri com o preconceito para comigo, por vezes. É admirável a sua atitude, pois, a maioria das mulheres que não são negras, não se incomodam com essa situação que só traz dor, preferem ficar em suas “zona de conforto”. Tanta coisa virando modinha…Ter consciência seria uma ótima moda a seguir.


Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: