19 fevereiro, 2010

Para os meus Trolls

Posted in ♥ Trollolândia ♥ tagged às 11:17 am por Deborah Sá

Clique para ampliar e entenda

Que a minha vida é um livro aberto, este blog é a prova.
Não estou disposta a alimentar trolls então um recadinho a eles:

Não, eu não tenho medo do seu deus que através de suas bocas exala ódio. Mesmo sendo atéia posso falar que sou filha de Iansã, pois tenho mais consideração com orixás do que gente deste tipo de discurso.

Surpresa: Eu sei o ID de todo mundo que comenta no meu blog, então se cuida porque posso tomar medidas legais para fazer valer minha liberdade.

Não, troll anônimo. Não vai calar minha boca.

Acho bonito beijar na boca de mulheres, e é bom.
Acho bonita a cultura dos Orixás, preconceito religioso é crime.
Do meu passado eu sei o que passei, compartilhá-lo é fortalecer outras mulheres.

Aqui, reacionário, lesbofóbico, machinho em geral não tem vez. Diariamente recebo xingamentos de pessoas que nunca me viram e não aceito o comentário para não “poluir” o espaço além de inibir quem quer compartilhar suas histórias comigo.

Ó, sou atéia, bissexual, vegana, feminista, mulher e gorda. Feliz sem seu deus, com amigas maravilhosas, apoio de familiares e um namorado que me ama.

Chilique-se

Anúncios

18 fevereiro, 2010

O chá roxo

Posted in Cotidiano, Egotrip às 2:29 pm por Deborah Sá

Estava com saudade das crianças (Sparta, Ted, Thundera  e Costela) e resolvi, portanto que era a hora de visitá-los na casa do meu pai. Entrei no serviço ás 12:00 o que fez o dia passar rapidamente com tantos afazeres, como era de se esperar a chuva caiu pesadamente ao sair do expediente (não fazendo desistir do roteiro planejado).
Sempre que a chuva cai o ponto fica abarrotado de gente e os ônibus passam nas poças dando banho em todo mundo, só consigo embarcar depois das 20:00 (um dia consegui pegar o meu só ás 21:00). Era certo que isto se repetiria então resolvi entrar em um barzinho perto daqui. Era uma cervejaria.

O cardápio era repleto de carnes e cervejas (não gosto) internacionais. Achei algo vegan: Uma porção de batatas rústicas (fritas no óleo de girassol com cebola e alecrim) por R$ 15,00 :D
A chuva engrossava lá fora e eu só pensava nos motoboys [Nossa, devem estar fudidos no trânsito… as pessoas que moram nas favelas e…] minha batata chegou, estavam ótimas, pedi o suco preço do Koo R$ 5,00 :O e fiquei com frio, perguntei se eles tinham chá.
Para minha surpresa, Ricardo (o garçom) trouxe uma caixa linda com importados com um cheiro maravilhoso que eu nunca tinha sentido antes. Escolhi o roxinho, em seguida um bule gracioso de água quente e uma caneca bonita. O saquinho de chá é mais pesado e vem muito mais erva do que os que eu costumo tomar, o sabor é acentuado e muito, muito cheiroso.

O melhor chá que já tomei

Continuei lendo o terceiro volume das Brumas e bateu aquele sentimento: “Que burguesa eu me tornei”. Lembrei do post do Thiago que fala que na periferia tem gente que curte Jazz e existe uma visão preconceituosa que na periferia só se ouve funk e Calipso, e ele tem razão. Passei no mercado e comprei a caixa de chá da mesma marca, vem com 25 saquinhos e custa R$ 20,00 (é mais barato do que tomar chá no barzinho).

Fui andando reconfortada pelo calor e sabor incomparáveis daquele chá tão bom. O ônibus estava “habitável”, ou seja, não sentei, não estava vazio, mas não precisei ir pendurada na porta. Fiz a baldeação depois para o próximo ônibus e felizmente consegui um lugar, sentada até a esquina de casa,

Garoava fino, o bairro é frio e úmido, os cachorros me fazem sentir a Lady Gaga, meus fiéis groupies. Entrei, troquei de roupa e saí para dar e receber um monte de carinho. Tentei ensinar o Ted a não pular nas minhas pernas, mas ele não entendia, no começo pensou que era pra ficar sentado só quando eu me encurvava, ao levantar meu tronco ele começava a pular novamente “Afunf Afunf Arf Arf”. A Sparta é muito mais submissa e quando eu falava “Não” para ele, saia de perto pensando que era com ela. É o tipo de cão que rapidamente entende as mensagens corporais/verbais. Não se compara a Nina (cadela da minha mãe) que entende português. É sério, tudo que se fala/pede atende O_O

O bacon (Thundera) me recepcionou com o corpo um pouco molhado da chuva e em seguida foi dormir com meu pai. Passeei brevemente com os cães no bairro (que me parece pouco iluminado). O que me preocupa é saírem cães “do nada” e eu ter de afastar briga. Na volta pisei sem querer na pata do Ted que usualmente anda em zigzag aleatório.

Tomei banho, falei com o Yuri, liguei a TV:

Su su su super pop

Assisti um pedaço do quadro “A Patroa é um Avião” do Superpop.
Luciana Gimenez lê a ficha:
– A esposa escreveu para o programa dizendo: “Me sinto um lixo, queria ouvir meu marido dizer…” Não vou falar, quero que você fale espontâneo rapaz!
– Tudo bem Luciana.
– Está barrigudinho hein? Mas vamos lá ver um trecho do ensaio sensual da sua esposa!
[Toca Sweer Dreams] Enquanto a moça se produz toca “It’s sad but it’s true how society says Her life is already over ..” – 22 da Lily Allen
Moça entra no palco:
Luciana: – Nossa que linda essa moça!
Marido: Que linda você está!
Luciana: Ah, é isso que ela escreveu no e-mail! Porque você não se achava linda?
Esposa: Ah, essa aqui (produzida) não sou eu!
Luciana: É sim! Você que não se cuidava, você não acha que seu filho não vai ter orgulho de ter uma mãe bonita?
Cantor sertanejo no palco: Olha, tenho que dizer uma coisa…é bíblica gente…o amor supera tudo.
[Platéia aplaude]
Luciana: É isso aí, vocês têm que se amar, ir ao cinema, tem a obrigação de ser feliz! E então, acha que o marido vai gostar do ensaio baseado no Titanic?
Esposa: Acho…(risos) acho que vou apanhar :D
Luciana: Mas vaaai, vai apanhar mesmo e vai gostar ;)

Minha paciência foi pro espaço mudei de canal: Comecei a ver “Trovão Tropical” um filme de comédia que satiriza o movimento negro e outras coisas que julguei ofensivas demais para me manter acordada.

Pela manhã, me despedi do Bacon (que se jogava insistentemente no meu pé) e uns abraços nos cães. Adoro como a Sparta acorda com os olhinhos inchados e vem ainda lenta, bocejado me desejar bom dia. Cães espreguiçando sempre me fazem sorrir :)
O Ted? É frenético a qualquer hora do dia e é raro vê-lo dormindo, um cão adorável. Peguei um trânsito gigantesco hoje de manhã o que fez eu me atrasar muito (detesto chegar atrasada =/)

Estou feliz: Meu chefe é super gente fina**, meu emprego me fazer bem, as crianças me receberem com tanto amor e esse chá roxinho me reconforta e preparar para mais um dia de trabalho.

Rápidas:

  • O filme “A Fita Branca” é bom, mas não estou com vontade de escrever sobre ele nesse momento. Tem aproximadamente duas horas e meia e é em preto e branco, se não curtir filmes neste estilo evite.
  • Estou viciada em Lady Gaga
  • Provavelmente a Marjorie me acompanhe no show do Gossip
  • Esta notícia me fez rir MUITO – E achei o processo merecido, mas é…engraçado.

** Quando falo que meu chefe é o melhor ever muita gente duvida. Mas é sério, e não, eu não preciso puxar saco de ninguém, sou competente o bastante.

10 fevereiro, 2010

Beijaço

Posted in Cotidiano, Eventos, Gênero às 4:32 pm por Deborah Sá

A minha amiga Zaíra (@souminha) com outros organizadores idealizaram o Flash Mob Beijaço dia 07/02/2010 (entenda o motivo aqui)

O Yuri infelizmente não pode me acompanhar: Fez uma cirurgia no olho direito para corrigir sua miopia (10 graus), não podendo tomar sol e outras estripulias além-lar. O ato ocorreu ás 17:15 na avenida Paulista, meu receio inicial era não conseguir companhia pois imaginava que a maioria ali seria hétero e definitivamente eu não queria beijar homem. Meu Gaydar é falho e não é porque a garota sente atração por mulheres que meu cabelo vermelho e olhos de ressaca – e modéstia – farão topar me beijar.

Cheguei em cima do horário e quando a Zaíra apitou para que o Beijaço começasse, logo achei meu par e tão logo ela se juntou a nós.
Infelizmente muitos casais se beijaram escondidos temendo por sua reputação, o que nos desanimou um pouco.

Logo chegou uma Drag *_*

O nome dela é Tchaka e atraiu todos os flashs para si, pediu meu guarda chuva beesha, me deu selinho, fotos flashs e tal. Quando o semáforo fechava, invadíamos a faixa de pedestre com faixas e pedindo legalização do aborto, por um estado laico e abaixo a homofobia.

Saí em um jornal (minha prima disse que me viu, não sei em qual), nos portais: Terra, G1, Vírgula, R7

Obrigada a Cely, Be, Zaíra, Katy, XL tod@s @s presentes em especial da maravilhosa Tchaka. Valeu super a pena

Obs: Meu pai ligou pra me parabenizar, meus amigos e parentes estão orgulhosos. Os únicos a me xingarem são Trolls lesbofóbicos em comentários onde as notícias foram publicadas. E pra eles estou cagando e andando.

Mais Fotos

Beeee

3 fevereiro, 2010

Um inseto na “buacht”

Posted in Egotrip às 11:45 am por Deborah Sá

Ontem saí do escritório ás 20:00 por conta de um e-mail que cobrei desde ás 10:00 da manhã. Cansada esperei por mais de uma hora meu ônibus que não passava. A alguns pontos de distância abriu um Subway, estava com fome. Peguei o primeiro ônibus que levaria até a loja, afinal, já estava atrasada mesmo… Ao entrar no ônibus vejo o que eu deveria pegar atrás, desço correndo e dou o sinal. Ele passa reto. Ainda faltam dois pontos pro Subway.
Pego outro ônibus e desço no Subway, meu lanche com pão integral e sem queijo estava ótimo: Cebola, azeitona, pimentão, alface, tomate, rúcula, picles…
As pessoas sempre se espantam quando como pão com salada e mostarda. (Não vai querer mesmo queijo?). Enquanto sentava e comia meu lanche entrou um garoto pardo e sua mãe. Lembrei a minha infância.

Ele pediu um lanche de 30 cm (eu comia um de 15 cm, pois não estava morrendo de fome), vestia roupas de lojas de surf (é mais fácil garotos usarem roupas da moda, porque eles já usam roupas mais folgadas normalmente) e falava com uma voz fininha e meiga. O achei fofo. Certamente deve sofrer muitas humilhações na escola por suas características físicas. Ele pediu o lanche com o dobro de queijo, salada só alface e azeitonas. Senti que muitos na loja o olhavam pensando “Olha só o tamanho desse menino, comendo um lanche cheio de queijo, culpa da mãe que não soube educar”.

Terminei meu lanche tomei um chá de pêssego e saí. Peguei um ônibus e cheguei em casa ás 23:10. Minha mãe e o Yuri já estavam preocupados.

Tomei um banho e dormi, durante a noite algo inexplicável aconteceu ao meu nariz: Começou a arder muito e coçar desesperadamente, nisto acordei com uma baita confusão mental: Tocava a música Bulletproof – La Roux  (ao ponto de realmente ouvi-la) e pensava “O laudo do fornecedor ainda não chegou, o laudo do fornecedor ainda não chegou” e o nariz coçando/ardendo. Minha vontade era gritar, mas não queria assustar minha mãe que dormia ao meu lado. O que eu ia dizer?

Imaginação

Eu: Ahhhhh! O que está acontecendo com meu nariiiiiz? Ahhh! Porque está tocando essa música? Mas o celular nem está ligado! Ahhhhgg
Mãe: Deborah?
Eu: Ah, desculpa te acordar acho que entrou um inseto no meu nariz fazendo do meu cérebro uma boate tocando La Roux enquanto me gritava que o laudo não foi entregue ainda.

Clique para aumentar a imagem

Acordei, vim trabalhar, ao chegar tcharaaaam: Meu frasco de shampoo abriu na mochila! Yes! Melecou o segundo volume das Brumas, que lindo :D
Antes isso do que feijão (uma vez virei marmita), ou derrubar na privada (como fiz certa vez com um livro do Yuri).

Enem


Prestei o Enem e me inscrevi no Sisu minha nota pro curso que quero é 628,28.
Quando me inscrevi a nota de corte era 500 e uns quebrados, com o passar dos dias a nota aumentou e chegou a 725,13 =/

Agora é torcer pra que muita gente escolha ir pra USP.
Se não conseguir entrar na Unifesp, esse ano faço cursinho e vou pra USP >:(

Notícia boa: Vou pro show do Gossip ver minha musa Beth Ditto em Março