18 janeiro, 2010

Trindade

Posted in Egotrip às 1:17 pm por Deborah Sá

Passei a última semana em Trindade, foi como uma semi-lua-de-mel com o Yuri em nossa primeira viagem juntos nestes três anos e sete meses de namoro. Levei o primeiro Volume das Brumas de Avalon e estou quase terminando (levando em consideração as poucas vezes que peguei no livro estou “devorando”).

Na ida uma senhora muito estranha nos encarava e fazia movimentos circulares com o indicador. Ao chegar tão logo corremos ao mar, a Praia do Meio é maravilhosa.

No dia seguinte fomos a Piscina Natural do Caixa d’aço, um lugar de águas serenas, transparentes e muitos peixinhos. Alugamos uma máscara de mergulho e pude vê-los mais de perto (e quase sempre levava um susto, olhos de peixe me dão medo).

Também fizemos trilha para uma cachoeira onde um lagarto me deu um susto, as pedras escorregadias me fizeram ganhar um charmoso raspão no tornozelo.

Teiú says: Hello...Clarice

Na volta da trilha com os pés descalços, desci em uma pedra que estava muito quente graças ao sol, depois do piti “Ahhhh está queimando, está queimando!!!” coloquei os chinelos e voltei feliz para a pousada.

Nossa alimentação foi principalmente baseada em PF: Arroz, Feijão, Salada e (dá pra trocar a carne?) batata frita. Variamos com pizzas  de legumes. Em um dia de chuva nossa janta foi bisnaguinha com mostarda.

Em Trindade onde quer que você vá encontrará um cão, algumas vezes gatinhos também. Embora eu chamasse nenhum dos cães me deu bola e nadavam longe de mim. Havia também muitas igrejas evangélicas (Deus é Amor principalmente).

Todos os empreendimentos comerciais são “de família”, ou seja, em um restaurante os funcionários são parentes, o que deve tornar a vida dos moradores bem entediante, suponho que devem se conhecer na igreja, casar com amigos de infância e continuar o ciclo daquele local.

O que me leva a crer que embora adore praia há menos tédio em centros urbanos.

Na volta choveu muito e uma árvore caiu no caminho o que atrasou um pouco nossa chegada à rodoviária, em uma das paradas havia algo genial: Um prato de salada por R$ 4,00 (servindo-se uma vez à vontade), isso para uma vegana acostumada a comer só batata chips em paradas de estrada é o paraíso. E havia variedade, até chuchu (só eu adoro chuchu?).

O que também recomendo muito são as bananinhas cobertas de chocolate da marca Tachão de Ubatuba. É vegan *o*

Experimente colocar na geladeira *_*

Viram só? Vegans sobrevivem muito bem a viagens 8)

Foi revigorante: Muito fator 50 para agüentar o sol sem virar camarão, biquíni novo, carinhos, risadas e companheirismo. Perfeito para recarregar minhas baterias.

2 Comentários

  1. Raiza said,

    Que bom que você se divertiu ^^
    Mas e aí,tá gostando d’As Brumas de Avalon?
    Eu adoro os livros *-*

    • Deborah Sá said,

      Estou gostando bastante :)
      Vou começar a ler o 2º volume agora :D


Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: