30 novembro, 2009

As dificuldades em conviver com o meu silêncio

Posted in Egotrip às 12:56 pm por Deborah Sá

Não sei por que estou tremendamente triste, tenho visto ótimos filmes (Besouro e Thelma e Louise), voltei de uma viagem ao Guarujá, estive bem com meu corpo e meu trabalho é reconhecido.
Nada do que tenho feito tem prolongado a minha sensação de bem-estar, sinto que preciso reorganizar todos os meus desejos.
A única certeza que tenho é que quero muito fazer a minha tatuagem.
Quase sempre não relaxo, a tensão faz parte do meu modo de encarar a vida. É a vegan.
Não espero fazer sentido, ontem o Café Filosófico foi brilhante, embora discordasse quando a psicóloga informou “quem têm depressão não tem imaginação”.

Fico nessas de tentar me manter “ok” a maior parte do tempo. Sei sim, o que acaba comigo é me deixar fragilizada, exposta, e ando me sentindo assim. Ontem no Guarujá estava tudo lindo e do nada um cocô bóia no meu braço, comecei a gritar histericamente (pode rir, dou risada disso também). Na hora quase vomitei e me senti realmente muito mal, um grande medo meu. Nisto a construção social foi muito forte, tenho um nojo MORTAL de bosta humana, de animais não humanos limpo numa boa. Pra ter noção, nem exame de fezes eu faço.
Sinto-me melhor. Na verdade não foi só o episódio da merda que me deixou assim, o Yuri (com razão) brigou com uma moça na volta do ônibus porque ela ouvia música alta no celular e incentivava o sobrinho a fazer barulhos irritantes. Acordei sentindo medo no meio da discussão entre eles. E sabe? Odeio conflitos, até brigo com as pessoas, mas tenho um impulso imediato de mediar conflitos, construção do gênero feminino de apaziguar sempre, se anular pra não desagradar os outros. E pra ajudar os noticiários sempre aterrorizam as pessoas falando de discussões que terminam em morte. Fico eu, com cu na mão, me sentindo impotente diante de uma multidão. Os eventos parecem gigantescos; para os outros é algo extremamente banal. Por esta razão quando alguém diz pra me conter e “descer do palanque”, “largar minhas bandeiras” fico realmente brava, já me policio além do necessário. O bastante pra cogitar suicídio, seus merdas.

4 Comentários

  1. Wow….sei bem como é isso… vivo no dilema de trabalhar ocm algo que exija toda a minah capacidade intelectual e responsabilidade, ou um trabalho mecanico que não exija qualquer envolvimento ou comprometimento e que me permita ter uma vida social. O mercado ta uma bostah… as empresas encontraram aqui (não sei em outros paises, nunca sai daqui) o harém da mão de obra barata….

    Quando me sinto bem com o trabalho, quero passar a vida toda fazendo isso… quando estou mto cansado, quero mudar de vida….

    Nunca sei o que fazer e o que é melhor..

    Tbm não gosto de discuções, apesar de não evitá-las e vivo em tensão total… dificil relaxar.. me irrito com um gato que anda pelo telhado enquanto eu assisto um filme…

    MAs estou me esforçando pra equilibrar as coisas….

    Parabens pelo post… e eu não sou um merda..rsr

  2. Jaqueline said,

    Débora,
    Adoro escrever assim como você, e as coisas que você escreve toca no nosso interior.
    Sinto a mesma sensação as vezes, mas é preciso proseguir e ir construindo os rumos da nossa vida, mesmo que seja difícil, porque para nós o pessoal é sempre político também.
    Parabéns.
    OBS: Eu sempre passo por aqui, as vezes não consigo escrever por conta da correria, mas gosto muito dos seus textos.

  3. Roy Frenkiel said,

    Isso eh o que falamos aqui: SHIT HAPPENS. Eh engracado mesmo quando acontece com os outros. Iria escrever um texto sobre a influencia dos veganos e de instituicoes ambientais na construcao das teorias sobre relacoes internacionais, mas meio que desisti. Tenho um texto ha nao muito tempo escrito sobre Albert Fukuyama e o feminismo. Adoraria sua opiniao.

    de todos os modos, va no meu blog se tiver paciencia e procure o blog A Toca do Jens para ler sobre a Madame Melancolia, e como ela eh comum. E nao diga que “eh a vegan”, rsss, sou judeu, e pode ter certeza de que melancolia e preocupacao eh conosco mesmo. =P

    bjx

    RF

  4. Roy Frenkiel said,

    http://osintensos.blogspot.com/2009/11/conceitos-e-ideias-1-pos-positivismo-e.html

    Aqui vai o link pra facilitar sua potencial visita ;-)


Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: