20 julho, 2009

Cinema Buraco de Fechadura

Posted in Filmes, Gênero tagged , , às 1:58 pm por Deborah Sá

Algo que me incomoda em sua tentativa pueril é o que eu chamo de “Cinema Buraco de Fechadura”. Consiste em cenas de belas mulheres se despindo diante das câmeras enquanto observadas por um buraco de fechadura. O espectador compartilha a cena com o garotinho de trajes “italianos” de meias 3/4 brancas, boina, tons em marrom com bege sobreposto em suspensórios azuis.

Parece um esforço em resgatar o primeiro contato sexual masculino longe da pornografia impressa, embora em alguns filmes esta cena seja o compartilhamento de gravuras pornográficas. O maior ícone que vêm à memória é Malèna – nunca vi na íntegra, apenas trechos – onde ninguém comenta nada do enredo além da beleza da Monica Bellucci e da fotografia “buraco da fechadura”. No Brasil lembro de “O ano em que meus pais saíram de férias”.
Interessante lembrar que nestes parâmetros quase sempre a jovem observada é “uma mulher de valor”: Tomando banho no riacho, trocando-se em um quarto ou colocando uma meia-calça. É uma invasão do espaço privado onde a nudez seria só dela, sua liberdade seria despida de conteúdo erótico. Mas claro, sempre há um menininho disposto a fazer “a arte” de lançar sobre ela um sentido sexual. Quando a moça nota, sorri e tampa o buraco ou cobre os seios e solta uma exclamação que faz os meninos rirem e saírem em disparada.

É sexo quase cômico, quase pueril, quase a mesma coisa…

Quando o observador é um homem adulto, ele se cala diante da mística feminina, de suas curvas, de seu silêncio desavisado em banhar o próprio corpo. Há muitas cenas assim na novela “Pantanal” e uma no filme “Brincando nos campos do Senhor”. Quando um filme mostra uma garotinha olhando um rapaz pelo buraco da fechadura? Um torso masculino filmado lentamente? Quando a visão contemplativa é estendida ás mulheres lésbicas e héteros? Estas cenas não são mera contemplação, é um julgamento estético e uma reafirmação do homem hétero como juiz de nossa capacidade atrativa. Não importando se ele é um garotinho.

4 Comentários

  1. Ariadne said,

    Mas olha, diga-se em favor de Malena que o filme mostra tudo que a personagem sofre por conta da raiva que ela desperta naquela sociedade moralista pelo simples fato de ser bonita, jovem e estar com o marido na guerra. Mostra como todo esse “encanto” aproxima-se muito do abuso e do preconceito e joga ela nos piores acontecimentos. Existe uma musica da k.d. lang, “Curiosity”, sobre isso entre duas mulheres. Mas vc acerta quando aponta para isso ser uma coisa aceita apenas para os homens, geralmente. Conheci o seu blog pelo da Lola e quero parabenizar, muito bom!

  2. Raiza said,

    Foi um post simples,mas sem dúvida um dos melhores de todo blog.Estava pensando nesse assunto há meses,pensei até em escrever sobre isso no blog,mas você fez melhor do que eu faria.Já estou de saco cheio dessas cenas imbecis.Quando leio na sinopse do filme que o protagonista tem entre 10 e 13 anos já desanimo de ver o filme porque sei que vai ter uma cena dessas.Já estou cansada de ver pirralhos se masturbando.Quero ver uma mulher demonstrando desejo enquanto adimira um homem (ou outra mulher).Parabéns pelo texto Déborah,está excelente.

  3. Lola said,

    Exatamente, Debora. Mesmo o menininho já é um “avaliador de material”. Mesmo ele já tem capacidade e autoridade – por ter um pênis – de julgar a mulher observada. E note que a mulher observada quase sempre sorri ao descobrir-se observada. Ela está sempre receptiva. Essa é uma fantasia masculina recorrente.
    Faz tempo que tô pra escrever um post sobre um texto muito interessante que li, que comparava “The Dead”, do Dubliners do Joyce, com cartões postais eróticos do século 19. Já naquela época a fantasia sexual masculina era a mesma: mulher toma banho, homem observa. Quando ela nota, ela não fica chateada com a invasão de sua privacidade, não fica com medo nem nada. Pelo contrário, ela sorri, receptiva. E, claro, a situação inversa (mulher observando homem) é quase impensável. Por que será?

  4. Aa said,

    Eu poderia deixar a porta escancarada, duvido que alguma garota ia querer dar uma olhadinha =/


Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: