7 julho, 2009

Dossiê CCB – Primeira Parte

Posted in Crenças, Memórias tagged , , , às 10:13 am por Deborah Sá

Antes de começar este post é necessário frisar que eu não tenho nada contra quem acredita em Deus. Tenho consciência plena de que ter fé em algo não faz da pessoa um ser alienado e que há sim, os que seguem a vida de forma honesta e atentando para a máxima de “Amai o próximo como a ti mesmo”. Ou ainda se preferem “All you need is love”.

Minha mãe tinha apenas 19 anos quando nasci (conheceu meu pai na igreja). Sou a primogênita e cresci em um lar com bastante afeto, até os 5 anos morei em uma casa “nos fundos” de um quintal. Nesta época fui introduzida na escolinha (pré) e gostava bastante, surpreendi a minha mãe em acenar adeus sorridente no primeiro dia de aula, ao contrário das crianças “comuns” que choram nesta data. Gostava muito de desenhar e conversar (mais com as professoras/inspetoras do que com os alunos).

Na verdade, sempre fui esta metralhadora de palavras, minha mãe conta que aprendi primeiro a falar e depois do primeiro tombo “fiquei com medo/preguiça e demorei pra tentar de novo”. Inclusive o dia que andei foi dentro da igreja (literalmente meus primeiros passos).

Quando meus pais passaram a viver com a recém nascida filha-girino deles (nasci de 7 meses e só tinha os olhões expressivos), meu pai foi “ordenado cooperador de jovens”. Gostava de ir a igreja (ao contrário da minha irmã), principalmente por cantar e “sentir a presença de Deus”.

“Sentir a presença de Deus” pode ser comparado a assistir um show de uma banda que você adora. Sabe quando vem uma banda estrangeira para o Brasil e você finalmente vê ao vivo tocando sua música preferida? É algo assim.

Nesta igreja os homens têm muitos cargos no ministério da igreja (como toda igreja, há hierarquias) e para as mulheres só sobram três com pouco destaque “no poder efetivo”.

Mais detalhes no Post  Dossiê CCB – Segunda Parte

Me “agarrei” na religião porque meu histórico é complexo. Eu não achava paz. Seja em casa, na escola ou como era de se esperar na igreja também.

A praga dos piolhos

Por volta dos 14 anos, peguei piolho. Mas não eram piolhos simples, eram piolhos MUTANTES. Depois de gastar muito dinheiro com Scabim, Kllew e tantos outros me convenci que era uma praga de Deus. Minha cabeça ficou cheia de feridas de tanto pente fino, vinagre, água quente…e eu podia jurar que era uma espécie de penitência. Estava pagando por algo errado, algo que nem imaginava o que era. Mas de alguma forma devia aceitar essa “provação”.
Ao ir em uma médica ela me receitou um remédio via oral, pois meus piolhos (segundo ela), ganharam resistência com os remédios que tomava. Só mesmo com meu sangue “contaminado” morreriam, ao tomar o remédio e acordar, meu travesseiro estava cheio de pontos pretos.

My body is a cage

Como qualquer garota comum, eu pensava muito em sexo. E como qualquer garota religiosa comum, eu me culpava por isso. Como podia não ter vergonha do meu corpo? Se eu era a “bola de sebo”, “a bola sete”, “a rolha de poço”? Ah tá, claro. Meu rosto era lindo, do resto uma bela bosta. Meu tesão por pescoços me matava, de que adiantava os moços de terno e gravata com o pescoço descoberto? Era uma provocação do diabo, só podia…

Cada lugar uma pregação

A CCB tem uma sede, de lá os anciões se reúnem e decidem os “Ensinamentos” que o povo precisa. Por exemplo: Lançaram o Twitter? Deve ter um monte de gente com dúvidas se Deus “agrada disso”, então no Brás oram em conjunto e chegam a um consenso.

Socializando com “irmãos”

Certa vez me voluntariei para ajudar na limpeza. Sempre que o culto acaba, algumas pessoas pegam umas vassouras e limpam a igreja. É um bom motivo para socializar entre “irmãos”. Nesta época (aos 15 anos), conheci algumas pessoas que foram simpáticas, mas fui descobrindo que viviam de aparências (uma moça fazia sexo anal pra permanecer virgem) e eram os rapazes eram tão estúpidos quanto os garotos comuns. Não havia como conversar de música ou seriados já que não sabia de imediato se a pessoa que achava a TV uma maldição no lar. Música secular era no máximo Família Lima.
“Moderninhos”, costumavam gostar de filmes como Velozes e Furiosos 1, Capital Inicial e tudo que tocava na MIX FM. As “moderninhas” usavam cabelo na altura dos ombros, saias na altura do joelho, esmalte de cores claras e em regiões mais nobres da cidade, vi moças de batom vermelho. Já na periferia era comum ver moças com o corpo “mais coberto” o cabelo cheio de creme e perfumes fortes. Conheço uma moça que não pôde tocar o órgão no dia em que usava base nas unhas (base é aquele esmalte transparente).

Me “entreguei de corpo e alma” e fui afundando em tristeza. Na verdade da minha casa, fui a última a “largar” a igreja.

Minha mãe foi/é mega mal vista pela maioria das pessoas que se diziam suas amigas. Cortou o cabelo, tingiu, encurtou as saias e usa maquiagem.

Meu pai “perdeu a liberdade” por uma série de mal entendidos e conchavos mal intencionados.

Minha irmã nunca gostou mesmo…

Perder a liberdade nesta igreja significa só ter o direito de assistir ao culto, não podendo chamar hinos, orar, nem exercer nenhum tipo de ação ativa.

É claro que há pessoas que ainda me cumprimentam na rua, que ao verem meu pai perguntam de mim e etc. Mas a maioria virou a cara mesmo.

Por ter uma vivência de longa data nesta instituição – dos 0 aos 16 anos-, não conseguirei resumir em apenas um post.

Confira Dossiê CCB – Segunda Parte e Dossiê CCB – Terceira Parte

Atenção: Se você, cristão, homofóbico, racista e/ou machinho usar o recurso dos comentários pra me xingar e fazer ameaças saiba: Além de não aceitar seu comentário posso te denunciar por discriminação (reconheço IP). Então, não perca seu tempo.

64 Comentários

  1. Lola said,

    Muito interessantes esses dossiês, Deborah! Pois é, quando eu vejo cristãos criticarem o jeito que as mulheres muçulmanas são tratadas, eu só consigo pensar: “vocês têm muito em comum”.

  2. Iara said,

    Oi Deborah! Rolou uma identificação agora. Namorei um menino de uma igreja presbeteriana pentecostal. Eele tava afastado da igreja quando a gente se conheceu, mas me levou lá uma vez, eu me encantei pelo culto, e acabamos virando freqëuntadores. Eu chegeu a ser batizada e tudo. O louvor é realmente uma catarse, difícil não se envolver, mas o discurso… Era uma fase em que eu estava muito carente e insegura, senão teria comprado altas brigas. Não brigava, mas remoía aquilo sofrendo, me sentindo contrariada, pensanso que eu teria que deixar de ser eu pra ser bem aceita. Quando o namoro acabou, não voltei mais, mas sentia uma culpa enorme.
    Um dia fui a uma festa com meu melhor amigo, de quem eu tinha me afastado durante o namoro. Esse amigo estuda filosofia, e era esse pessoal de humanas que estava lá (depois eu também passei a fazer parte da turma das humanas, porque fiz letras, mas não época ainda fazia cursinho). Em dado momento o dono da casa começou a conversar comigo e, sei lá quem puxou o assunto, mas ele contou que foi criado numa família crente e tinha rompido com a religião, e entendia essa culpa monstruosa que fica acompanhando a gente. Olha, me fez tão bem! Porque eu passei a enfrentar a culpa. Até gosto de repetir que culpa é uma invenção da civilização judaico-cristã pra gente ser cordeirinho.

    Li outras coisas no seu blog e gostei muito. Você parece ser muito inteligente e batalhadora, e admiro muito isso nas pessoas. Beijo!

    • Barão Von Halder said,

      Déborah

      Vc fala desta forma pq não conhece a congregacão e leu aki o relato de uma pessoa q foi desde pequena mas q não entendeu
      faça uma visita na ccb q poderoso é Deus pra fazer vc entender o ela não entendeu …

      • Deborah Sá said,

        Barão,

        Eu sou a mesma Deborah, a dona do blog. E há uma diferença entre “fazer entender” e “acreditar/concordar”.

      • citrixroan said,

        Se uma pessoa for a ccb ela. Vai achar tudo alinhado organizado e bonito de se ver.
        Mas se fizer parte da irmandade vai virar zumbi de doutrina.
        Preconceitoso, ignorante,intolerante, vai ficar com a mente pertubada e nervosa, vai perde senso critico. E perpetuar suas heresia. Digo isso pois passei na pele o que significa tudo isso.
        A CCB e uma casa de lavagem cerebral. O sentimento de medo e implantado nos seus adptos. Coitado desse povo.
        .

      • Leonardo said,

        Realmente, concordo com o que o ‘Citrixroan’ disse … essa igreja faz lavagem cerebral nas pessoas que à frequentam … sem contar que eles plantam na cabeça delas que se elas fizerem algo que não condiz com sua doutrina, serão ignorados na igreja, perdem liberdade, vira um estranho pra todo mundo … só que isso é uma extrema hipocrisia, por que muitos na igreja fazem coisas erradas escondido e na igreja se fingem de santos que querem mostrar que são mais que alguém… me desculpe os que são dessa igreja, mais se for pra seguir uma doutrina dessas, prefiro não ter religião e seguir somente a Deus com minhas próprias ideias e com meu próprio entendimento da Bíblia, prefiro isso , do que ir à uma igreja em que sou tratado mal por atos que eu cometi, quem tem que me julgar é Deus e não a igreja !!!

    • rafaela said,

      iara nossa historia é bem parecida,passei a frequentar a igreja por causa do meu ex,e tbm sinto essa culpa enorme…mas percebi que eu tinha deixado de existir ,para viver uma farsa

      • erika de andrade lima said,

        eu passei por isso tbm , na época fiquei louca com medo de perde-lo e perdi , fiquei disposta a tudo , ate aos conceitos errados aplicados a ccb. não esqueci ele ,penso todos os dias ,mas na verdade como não poder ser si mesma. vivi momentos com ele maravilhoso , mas depois ele parecia outra pessoa fria , sem analize das coisas . perdi pra ccb. pq eu escolhi ser eu mesma.

  3. Anderson said,

    Oh, que coincidencia.

    Eu tb sou da CCB.

    Não muito bom é verdade, por n motivos, mas oficialmente ainda continuo.

    • rafaela said,

      eu conheci um rapaz,e começamos a namorar,e ele é da congregação,depois de algum tempo de namoro,passei a frenquentar a igreja e me batizei,pois vim de uma familia católica,so q antes de me batizar ele terminou o namoro comigo,pelo motivo de estar sendo precionado por namorar uma garota de outra denominação,ai começou o nosso dilema……depois que me batizei reatamos o namoro,mas com alguns mêses depois,ele novamente terminou o namoro,pois ele ja foi casado e seu divorcio ainda não saiu, e congregação não permite nosso namoro,então ele pediu que eu esperasse por ele ,até esse bendinto divorcio sair,para q possamos nos csar,porém não vou aceitar essa situação pois não adimito uma série de hipocritas mandando em minha vida….e gostei muito da sua historia Deborah

  4. Andréia Freire said,

    Que igreja radical. Oo Tudo que é radical me enoja.

    A que eu conheço, que é a Presbiteriana é bem mais liberal. Não tem isso de mulher sentar separado de homem, pode usar maquiagem, cortar cabelo, tingir, usar brincos, essas coisas (não pode é claro, usar decote, saia curtíssima…), mulheres participam da banda, cantam, tocam, participam da organização de acampamentos e eventos, por exemplo, todos juntos. E a banda é com violão, bateria, teclado. Enfim, bem mais moderna.

  5. Tati said,

    Olá, Débora….
    nossa, que descrição heim…rsrs
    mas acho que ainda faltou mais posts..
    tem muito mais coisas né…
    mas assim, achei bem interessante o que vc escreveu…
    me identifiquei com sua história….

  6. patricianardelli said,

    Genial esse post, Deborah! Gostei muito mesmo.
    Abraços!

  7. Kell said,

    Oi,Debora
    Cheguei aqui através do blog da Lola, lendo os posts do concurso, e lendo mais cheguei nos dossiês da CCB.Só quando a gente está do lado de fora, é que passa a enxergar o absurdo da CCB em particular e das religiões no geral, a noção de Deus pra mim está cada vez mais parecida com um amor platônico, dedicar seu amor incondicional e a sua vida algo do qual não há uma certeza quanto a existência ou reciprocidade. Posso dizer que me libertei há uns 3 anos, não sem culpa, na época, mas nunca me senti melhor na vida do que me sinto agora. É muito bom tomar o controle da própria vida nas mãos.

  8. aparecida said,

    nossa se voce for ver por esse lado nenhuma alma vai se salvar porque quem morreu por nós foi o senhor jesus. pra nós salvar não foi nenhum desses que ti condena .continua olhando os defeito dos outros nós temos que olhar pra um só o senhor jesus cristo esse não condena e foi ele quem morreu por nós não foi nenhum que esta dentro da igreja que morreu por vc

    • Deborah Sá said,

      Aparecida,

      Que bom que está feliz na sua igreja. Minha “religião” é o meu esforço em promover a igualdade e a auto-estima de todos.

  9. rafaela said,

    eu acredito que Deus ama a todos e não condena a seus filhos de uma forma tão cruel ,como essas igrejas pregam por ai,faço parte da congregação cristã no Brasil….porém sou a diferente na igreja,pois uso calça.shorts,maquiagem,brinco, e até mesmo vestido curtos ,que são considerados sensuais….pinto unhas ,meu cabelo é curto,mas a minha fé em Deus não muda em nada por causa do meu ,ja me tentaram mudar meu jeito,mas nunca dei espaço p isso

    • Deborah Sá said,

      Rafaela,

      Você sabe o quanto há patrulhamento lá dentro. Seja feliz, dentro ou fora da igreja.

      • rafaela said,

        é verdade Débora…por isso ja não frequento mais…e esse seu blog é um show..me indetifiquei muito com vc.te desejo tudo de bom…muuuuuita felicidade p vc

      • Rhenan said,

        O importante, é seguir a Jesus, estudar a palavra de Deus!! Seja livre, porq quando estamos em Cristo, estamos livres!!! porem, todos sabem que devemos nos frear e evitar de desagradar o nosso Deus, que é bom conosco!!! vai pra uma igreja Batista, ou presbiteriana!! acho q vc vai se identificar!! pra vc ver como é diferente, na minha(Batista) tem alguns grupos de louvor onde toco baixo e guitarra em um, e outro deles, é só de mulheres, bateria, violao, voz e saxofone!!muito legal!! experimente!!

        Deus seja louvado!!\o/

  10. fui da ccb dos meu 8 anos ate os 17. Batizei-me aos 12, hoje vejo que foi o maior erro da minha vida, tava iludida, nao tive orientaçao benhuma para eles é um milagre crianças serem chamadas nas aguas do santo batismo. Abdiquei-me de muitas coisas durante uns 2 anos parei de usar roupas curtas, calsa, parei de cortar os cabelos, quase nao usava joias nem maquiagem, virei uma menina das cavernas, mais nada disso fez meus pensamentos mudarem, dentro de mim continuei amando aquelas roupas que pra eles eram inadequadas… Uma vez fui numa vizita na casa de uma irma eu usava um cordaozinho com a foto do grupo klb e ,um irmao que havia se batizado a pouco tempo ex detento e tal, olhou para mim e disse que se eu continuasse a usar aquele cordao e a ver tv Deus iria me recolher (matar). Eu tinha apenas 13 anos fiquei assustada claro e parei por uns dias de usar meu cordao. Minha mae contou ao meu pai o que havia acontecido e ele a proibiu de me levar a essas visitas.

    no mesmo ano uma vizinha maede jovens irmaos da ccb foi posseça por um espirito diabolico, foi horrivel, nunca tinha visto nada parecido com aquilo, depois de muita luta os irmaos conseguiram espulsar aquele espirito daquela mulher, hoje ela serve a Deus na ccb…

    ainda sobre o uso de roupas… minha irma foi auxiliar de jovens, mais por ter pecado na visao deles, ela saiu da igreja, e num certo dia eu ainda crente estavamos indo a casa de uma amiga, minha irma ia me carregando na bike, entao pus uma bermuda comportada, e estavam no portao daminha casa meu pai e alguns irmaos, depois de sairmos meu pai entrou e perguntou se minha mae tinha visto as vestes de suas filhas…quando voltamos o diabo ja nos esperava disfarçado de Deus, meu pai mui fanatico começoua falar que aquilo nao era certo e bla bla bla, nos deu uma surra de tirar sangue,no mesmo dia fui ao culto de jovens porque meses aras ele me obrigou a ir, se nao ele me daria uma surra e eu nao tava afim de levar outra no mesmo dia,.
    dai por diante a crueldade dos membros da ccb foam me entristecendo, e cada vez menos eu ia a igreja. Quando eu tinha 17 anos comecei a namorar serio um rapaz do mundo e 6 meses depois perdi minha virgindade com ele, sai da igreja uns meses depois, passei por uns problemas no meu namoro, nos nos traimos , o trai com um homem 19 anos mais velho que eu, ele me traiu com uma garota de 15 anos, quando descobrimos nossa infidelidade decidimos ir morar juntos namoramos 2 anos e 1 mes, ficamos noivos por 1 mes, e faz 3 meses que estamos morando juntos ,estamos felizes, com alguns problemas mais tudo sera resolvido, daqui a 7 meses seremos pais..

    confio muito em Deus acreditonele, em suas obras so nao quero mais ser crente ha muita mentira hipocrezia e falsidade entre eles..
    a ccb é uma boa religiao o que a estraga sao seus servos, todos leigos e iludidos

  11. Daniela said,

    Seu blog é show pretendo criar o meu o mais rápido possível e verá que tudo q esta aqui é bem pior ainda pq no caso eu sous da ccb não perdi a liberdade mas a irmandade esta cada vez pior julgando e olhando para as vaidades alheias e não olham dentro de suas próprias casa veja só sou criada na ccb dentro da doutrina cristã dede quando nasci e se souber do q estou passando acredito que nenhuma outra jovem aguentaria isso é uma pouca vergonha ja se tornou falta de respeito… E quando o respeito acaba … Não há o que se falar em amor , em santidade e em sinceridade dentro da igreja o que mais achamos é um bando de gente falsas que só querem aproveitar da dor alheia e do dinehiro alheio.

    • Deborah Sá said,

      Daniela,

      É por este tipo de abuso que critico as instituições religiosas.

    • Rodrigues said,

      Nossa Daniela, isso é horrível por isso que eu não volto lá a doença do fanatismo estão no olhar delas. teve um diácono que depois de 37 anos teve coragem de questionar, raciocinar, e pensar e ele saiu da doença que é a CCB. todo o povo ficou de boca aberta. ele teve coragem por isso eu admiro sua decisão, que é garantida por lei, o direto de mudar ou se abter de qualquer crendice, coisa que alguns membros da CCB não respeita. ( seita destruidora de mentes e sem compaixão com quem não se encaixa na doutrina)

  12. nadia said,

    também não concordo com algumas regras e doutrinas.Acredito que muitos vivem de aparencia, olhando a fraqueza dos outros mas morrendo de vontade de fazer também.Já congrego a 8 anos, mas estou cansando de tanta hipocrisia.Dentro do culto se saldam, mas na rua se vc estiver fora da doutrina(vestes) te malham.E onde está o amor entre os irmãos.Só quem pode nos acusar é Deus e creio que roupa não salva ninguém.Me ajude, pois tenho medo de sair, pois a opressão é muita, não quero deixar de servir a Deus, mas quero de uma forma mais livre e não cheia de opressão.Paz de Deus

    • Deborah Sá said,

      Nadia,
      Sei como é sentir este temor, colocam esta idéia de um Deus castigador na nossa cabeça.
      Pense assim: Você quer seguir um ditador? Que não tem coisa mais importante pra fazer do que satisfazer o próprio Ego? E se este Deus tão tirano existisse e não gostasse de você não teria te eliminado logo?
      Não tenha medo, estes representantes de divindades só falam do que o coração deles está cheio: Ignorância, intolerância e ódio.

    • Rodrigo said,

      oi nadia td bm cntg? a paz de Deus (uso a saudação pq nao é da ccb e sim t desejo q Deus te d a paz dEle) eu era de uma outra igreja e cai na besteira rsrs de mudar pra ccb. olha ali tem mta coisa boa sabe gnt? nao podemos somente criticar, no fundo acho q cada um tem a sua igreja, mas concordo com vsc q la impera mto “só nós somos santos”, “aqui impera o amo”, mas julgam mto as pessoas. mta hipocrisia, mas nao uma hipocrisia consciente, mas uma hipocrisia causada pela cegueira religiosa. hoje cgg as vzs mas achei uma igreja legal e to indo la. t aconselho a fazer o mesmo, achar uma doutrina q vá de encontro com as suas convicções e abandonar essa produzida e imposta pela ccb.

  13. Sara said,

    IISO NÃO É NADA QUERIDA, o pior é ser pisoteado por um elemento DESONSESTO, INJUSTO e ARBITRÁRIO, CORRUPTO SEM VERGONHA e depois este cafageste se aposenta se torna ANCIÃO. por pura politicagem, PASSOU A AFORÇAR UMAS PREGAÇÕES, UMAS PROFECIAIS e aliado a sua boa oratória, USAA E ABUSA DOS TONS DE VOZ e fingimentos. E o pior se esta pessoa falar a verdade ele vai pra cadeia, pois já cometeu várias atrocidades, e tem até participação em homicídio, que foi elaborado como acidente.
    MAS BUSQUE A DEUS, na sua essência; na se prenda a cooperador, ancião, etc. Esse salafrário de que falei está ai na frente do povo, MAS, a alma esta QUEIMADA na presença de Deus.

  14. Alberto said,

    Olá moça, tudo bem? Gostei muito de seu post e da sua personalidade, apesar de ser filho de CCBs, conhecer muita gente desse meio, encarregados de orquestras, cooperadores, fervorozinhos, essa gente sempre freqüentou a minha casa, afinal, a casa não é minha ne, eu so moro nela, eu sou mais como a sua irmã nunca gostei, freqüentei firme, como eles costumam dizer desde que me entendo por gente até os 9 anos quando minha irmã casou e não poderam mais me levar na reunião forçosamente, sempre percebi na minha família inteira, tanto da parte do meu pai tanto da minha mãe, esse negócio de ´viver de aparencia´, tudo que eu mais odeio no ser humano, inveja, falsidade, racismo, ego inchado, é só olhar pra eles e ver, por sorte na adolescência comecei a gostar de rock e me involvi com a cultura gótica e paganismo, lógico, só não conheci antes por causa deles, se fosse por eles nunca teria conhecido nada até hoje e seria mais um desses engravatadinhos, além de tudo a especialidade desse povo CCB é fazer falsas promessas, pra pagar de crentão, com dão de visão etc, e fazer ameaças do tipo: ´voce vai ser isso, ser aquilo´ querendo, não querendo, pq deus tem um plano na sua vida, tava escrito nao sei onde, deus ama tua alma, essa ladainha sua, pois eu digo tudo mentira, eu prefiro morrer do que isso, congregar firme ja é muito, batizar então ja é o limite, ter cargo?? fora de cogitação, eles que vão se aparecer a pqp, bem se quiser trocar uma idéia já sabe.

    Abraços

    • Deborah Sá said,

      Obrigada Alberto :)

      Na sessão Crenças do blog falo mais sobre religião, talvez ache algo interessante lá.

      Até.

  15. Diego said,

    Oi Deborah,

    Eu frequento a CCB desde os 11 anos (tenho 21) e tenho me mantido firme, apesar de ter muitos questionamentos (sobre conduta dos membros e sobre algumas limitações, principalmente a da orquestra só pra homens, mulheres apenas órgão).
    Achei muito interessante a forma imparcial que vc descreveu a igreja e os costumes, é mais comum encontrar críticas negativas (não argumentativas) de ex-membros.

    Parabéns pelo blog, e por escrever tão bem ^^

    Abraços

  16. VANESSA said,

    Olá Déborah!!! que legal… tava tão pra baixo hoje e sem querer achei tuuuuuudo isso, rs, é legal saber que pessoas passam por situações parecidas com a nossa, sabe déborah eu cresci na ccb, fui firme até os meus 18 anos, me apaixonei por um rapaz de lá, começamos a namorar, e já estavamos pensando em noivado e casamento… tava tudo perfeito daí adivinha oque aconteceu? ele me traiu, me traiu com a ultima pessoa no mundo que ele podia, minha prima e melhor amiga, nós 3 já éramos batizados na época, déborah… foi a treva na minha vida esse período que passei, é claro terminamos, ele começou a namorar com ela e ficaram noivos, por diversas vezes ele me pediu perdão e que eu voltasse pra ele, mas apesar de ama-lo, a dor e a vergonha não me permitiram fazer isso, enfim parei de congregar nessa época, pois entrei em depressão profunda, e todas as pessoas que me cercavam e se diziam meus irmão e amigos me abandonaram, nunca foram me visitar para saber como eu estava, o unico que ficou perto de mim foi um irmãozinho que éra gay, claro que ninguém sabia só eu pois éramos muito amigos, mas pra vc ver como são as coisas um gay aos olhos deles pecador foi quem me estendeu a mão e chorou comigo…contraditório né? depois de tudo isso não consegui mas ir na igreja, até tentei, pois me sentia culpada como se estivesse abandonando a Deus, hoje consigo ver com clareza que abandonei aquelas pessoa não a Deus, nunca me senti tão perto dele como estou hoje, mas sinto falta as vezes, dos hinos, da testemunhança, dos cultos de jovens… não tem como, passei por muitas coisas alí, hoje estou com 28 anos, sou casada e tenho 2 filhos, o meu ex da ccb tbém se casou e tem 2 filhos, não com a minha prima com outra, parece praga acredita que eu ainda amo aquela peste? kkkk, e eu sei que ele tbém me ama, nos falamos as vezes por telefone até hoje, ele me diz que é uma pena a gente se gostar tanto pois agora não podemos mais ficar juntos, pois somos casados, ele me disse esses dias assim: O DEUS QUE EU SIRVO E VC CONHECE NUNCA ACEITARIA ISSO. ou seja ele se acha superior a mim ele acha que eu não posso servir a Deus a não ser na ccb, ele fala que eu só conheço…. coitado deixa ele me julgar nem ligo… bom deixa eu parar de escrever se não fico até amanhã, parabéns Déborah, não te conheço mais gostei muito de vc, a propósito seu nome é lindo A B E L H I N HA, BJ fica na paz de Deus…

    • Deborah Sá said,

      Seja bem vinda Vanessa,

      Fico feliz que esteja melhor, não deixe que ninguém te subjugue, sob qualquer pretexto. “Deus é amor” certo?
      Boa sorte =)

    • Leandro said,

      Nossa deve ser triste ser casado com uma pessoa e mesmo assim amar outra ne?…
      Nao estou dizendo isso pelo mal sentido…de maneira alguma.
      Eu hje estou Muuuito triste..
      eu sou filho unico, sou o unico que sirvo a Deus na miha familia..sirvo a Deus desde meus 13 anos…hje tenhu 27, sou casado. Mas eu quero me separar d aminha esposa, pois eu me cansei de tanta contenda, falta de respeito, cansei de viver de chances e de voltar atras…
      Palavras nao explicam o que eu sinto agora, pois sou musico oficializado a 11 anos, fui jogado pra fora de casa com 13 anos quando comecei a ir na CCB, me oficializei congregando e dormindo na rua..passei coisas na rua de sao paulo e belo horizonte que nao e bom nem repetir……. sou filho unico meus irmaos morreram, eu fiquei em coma por 5 meses e mesmo assim ainda estou vivo. Eu sei que Deus ainda me ama, pelomenus espero que sim..Agora que eu nao aguento mais minha mulher, eu vou me separar..e vou ser praticamente chutado da igreja…..Hje teve uma reuniao na igreja..3 anciaes, 1 diacno, e 1 encarregado regional..me sercaram e me deram muito conselhos..mas tb fui xamado de sem humildade, sem entendimento, covarde…e por ai vai
      Estou me sentindo como um lixo..
      Nao sei o que dizer sabe..nao sei pra quem estou escrevendo, mas com lagrimas nos olhos eu digo uma coisa, seja la quem for ler isso, o que vale e a nossa sinceridade com Deus..se de fato erramos, confessemos nossos erros ao senhor, poderoso e Ele pra nos perdoar. Quando a irmandade…sao poucos os que nao estao ali pra julgar. Infelismente!
      Hje foi o ultimo dia em que toquei na igreja..foi em Los Angeles, California…o primeiro hino a ser tocado hje foi o primeiro hino que toquei na igreja…entrei na igreja, orei…chorei, ofereci meu sincero louvor na presenca de Deus…nunca vi um culto passar tao rapido, mas acabou..
      Pretendo continuar buscando o perdao de Deus..mesmo que do lado do lado de fora da igreja, pela janela.
      :(

  17. andreza morais said,

    oi deborah, eu sou da ccb. tenho 15 anos, estudo a música, mas estou passando por aquele momento de descobrir as vaidades, sou batizada a 2 anos, entaum qualquer coisa q eu faça a irmandade julga msm (pelas costas é claro). e para completar estou apaixonada por um moço do mundo, mas ótima pessoa. acho q vou desistir de estudar a musica pq eu naum preciso de placa de organista. queroo continuar servindo a deus dentro da minha força, dentro do que eu acredito q seja certo e naum do que eles dizem que seja. adorei seu blog

    • Deborah Sá said,

      Obrigada Andreza

      Siga seu desejo, principalmente se este é guiado pelo amor e não prejudica ninguém.

      Beijos.

  18. Kelly said,

    Olá Debora Sá não posso dizer meu nome, pois tenho uma família onde quase todos tem um ministério na CCB,mas posso lhe dizer que nasci, cresci e me batizei na CCB aos 13 Anos de idade sob pressão( nossa vida é meio ”parecida”.Pois me coagiam falando do inferno, morte e etc…O que uma adolescente de 13 anos naquela época entenderia disso?Até o meu casamento, TUDO absolutamente TUDO era pecado.Enquanto solteira vivi em ”represalia”.Costumo dizer que minha familia liberava os meninos para fazerem oque queriam e as meninas tinham 2 opções ou seriamos crentes ou crentes. Minha vida se resumia a escola, trabalho e igreja nem à pracinha podiamos ir pois era pecado.Mas nem isso me segurava, moro numa cidade paraiana desde de criança,e meu sonho era ir à praia,mas não podimos era pecado, roupas só comprida,cabelos cheio de pontas emfim… Até que comecei a cortar os cabelos escondida e quando descoberta tomei uma bela surra,mas dai em diante comecei a fugir p/ sanar minhas curiosidades do tal ”mundo” que eles pregavam.Eu ia à praia,à festas tudo escondida e quando chegava era recebida por uma grande surra como sempre e assim foi…Um belo dia conheci o meu esposo que por sua vez também era da CCB e nos casamos.4 anos depois decidimos sair da CCB onde eramos taxados como Rebeldes por fazermos programas que normalmente São considerados normais…Ex Praia,acampamento,cervejinha em casa,roupas menos regrada e etc… hoje frequento a PIB com muita alegria pois lá não me pregam o inferno e sim o amor,a misericordia e a salvação do nosso senhor Jesus Cristo,minha familia não concorda pois tem o egoismo de achar que só a CCB leva aos céus,mas não adianta mais a opinião deles e a ”represália” hoje sou livre,mas mesmo assim ainda carrego o triste ESTIGMA do que foi a CCB para mim.

    • Deborah Sá said,

      Obrigada por compartilhar sua experiência.
      Que bom que está melhor hoje, siga feliz, pois se Deus é mesmo amor como dizem, não gostaria de nos fazer sofrer. Jesus não foi o último sacrifício?

      Abraços,
      E aproveite a vida

  19. MARY said,

    Eu sinceramente tbm estou triste , pois sou católoca , mas ñ adoro imagens , ñ sou fanática . Ñ sou contra quem quer seguir CCB, mas o fantismo é muito . Tem pessoas q é na sua sem achar que é melhor que as outras, ñ sabe como levar a vida no que segue , mas sem a doença do fanatismo. Estou triste porq tenho familiares que entraram agora ma a CCB, eram pessoas mais divertidas , sorridentes , pessoas que estavam ali sempre conosco , agora parecem q como falam “”somos do mundão””. Para mim só de pensarem assim estão sendo piores q nós , querendo ser melhor q a gente. Que pecado tem colocar um para de brincos , ficar bonita sem estravagançias ? Para mim nenhuma , porq por mais q eles estudem a Biblia , falam que Deus q fala nos cultos , eu acho q é o cerebro que cria isso porq já se passaram milhares de anos . Se tem q andar igual naquele tempo então porq todos da CCB , ñ deixam de ter geladeiras , dormir em colchões confortaveis , de ter carro , caminhar igual nos anos de Cristo. Eles ñ se misturam com a gente os irmãos ai só são os da igreja . Será msm q Deus fica feliz? Eu penso q ñ. Minha tia falou q cada brinco q a gente usa deixa de ganhar uma benção , nossa isso é o fim. Se fosse isso msm Deus ñ teria me dado tantas coisas boas , pois tenho coleções. Na igreja católica tbm tem seus erros , mas eu ando do jeito q ñ é nd estravagante , nada e ir até a igreja com roupas curtas , decotes , então sabemos o q é certo e errado , vai de cada um de nós . Deixa que DEUS nos julgue , ficar cobrando um do outro para que ? Quem somos nós ? Somos todos queira ou ñ todos pecadores . O pessoal de minha familia eram super animados , tenho um tio q toca sonfona , nossa ele arasava , mostrava sorrisos , agora é somente hinos , ele tem musicas q ele msm fez instrumental , sem cantar ñ pode tocar , nossa para mim isso é abitolação . Acho que o único q sabe msm é o própio para perdoar ou ñ é DEUS. Os membros da igreja são pecadores como qualquer pessoa . Na vdd acho preconceito tudo isso , e tem outras tbm com os Tjs . Estou feliz por outro lado pois tbm itnha gente de minha familia q eram tjs hoje se libertaram , falam que agora está vivendo de vdd e continuam crendo em Deus sem achar que ele é cruel , como ñ podiam comemorar um monte de coisas , ganhar presente de niver . Nossa Deus jamais fica infeliz de nós comemoramos mais uma ano de vida q ele deu , eu penso assim . Na vdd acho q entre o céu e a terra tem muitas coisas que somente Deus sabe , a Biblia cada um entende de um jeito , foi escrita e reecrist muitas vezes , então sigo meu coração , pago minhas contas , sou pessoas q amo meus familiares amigos , faço o possivel para ajudar no q posso quem precisa . Ñ faço escolhas só pessoas de minha igreja etc . Tento aujar meus pais no q posso , sou uma esposa e mãe fiel . Amo tudo aquilo q Deus fez , admiro . Então esta nas mãos dele e cada coisa q vamos fazer primeiro peço a orientação dele e pois sei q ele sabe o q é melhor. Bjus a vcs todos e que Deus os abençõe sempre.

  20. julia said,

    eu tenho pavor dessa igreja são pessoas completamente fanaticas ja vi familias destruidas por causa dessa igreja infelismente minha mãe é dessa seita é completamente louca e o pior é que minha irmã que se diz testemunhada é um satã, gente quando eu ouço o nome dessa igreja pra mim é o mesmo que falar do demonio.
    to fora!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    • erika de andrade lima said,

      eu tenho medo dessa seita

  21. julia said,

    debora esqueci de te contar que minha mãe se é que posso usar esse nome pra ela, que é desta igreja, a dois anos atras me colocou na rua sem um tostão e sem ter pra onde ir e o mais triste é que sou portadora de cancer fiquei tão chocada que hoje eu não consigo sentir por essa mulher nem raiva nem ódio nadé como se ela fosse uma estranha e o pior que ela faz tudo em nome de Deus! eu amo Deus! mas o meu Deus não é o mesmo dessa igreja conceteza o meu Deus é amor e perdão!

  22. Reginaldo Rodrigues de Oliveira said,

    Garota, achei o seu blog através do google… dei tanta risada por lembra dos meus tempos de CCB. Eu vim de uma família tradicionalíssima na CCB. Minha bisavó, avó mãe… mas eu consegui me livrar deste local doente. Fui auxiliar, batizado… até os 28/29 anos… daí tive coragem e comecei a questionar, questionar, questionar, duvidar, duvidar, duvidar… quanto mais eu lia, mais esclarecido ficava e as dúvidas desta doença chamada CCB foi sendo curada. Realmente… só quem viveu tudo que nós vivemos sabe como lá é pernicioso. Ser crítico e pensar lá é sem dúvida um dos maiores pecados.
    Gostei muito da sua coragem. Hoje tenho 40 anos e me considero um ateu… na verdade mais agnóstico pois não creio que algum dia teremos conhecimento para comprovar se há ou não um ser divino, seja ele qual for e também pq esta questão não mais me interessa. Quero viver minha vida na paz e alegria como tenho vivido e a sensação de liberdade que se tem depois que você “sabe” de algumas coisas… sem dúvida alguma é literalmente inebriante.

    Um beijo terno.

  23. Andrade said,

    Eu também frequentei a CCB fiquei durante 8 meses é gostei do ambiente da pregação e tudo mais entretanto neste periodo acho que é utilizado uma lavagem cerebral nas pessoas e um terror psicologico para fazer as pessoas acreditarem que só lá esta a salvação ( sendo que a biblia sagrada não fala de placa de igreja e só Jesus é o caminho a verdade e a vida).

    eu frequentei a CCB, BATISTA, Assembleia

    CCB: pregam que adultério não tem perdão – sendo que esta claro que na bíblia tem -( Até rei Davi cometeu adulterio e obteve o perdão)

    muito preconceito com as pessoas de outras igrejas e quando você sai da igreja eles ( nem todos) viram a cara coisa que JESUS CRISTO nunca fez isso.

    As pessoas fofocam um das outras. e não tem educação ( Deus se agrada de um servo educado e com respeito ao proximo).

    Claro que conheci gente legal e compreensiva também.

    só oram pelo seu irmãos. sendo que na biblia esta escrito que devemos orar também pelo nosso inimigos e proximo

    teve irmão (sem entendimento é claro) que me disse que mendigo não tem alma!! Isso é absurdo, falta de compaixão, porque não existe isso escritos nos livro sagrados.

    Existe varios erros e escandalos que são abafados e escondidos e tudo aparência.
    ( vocês podem pesquisar no YOUTBE CCBVERDADE.

    Pra tudo você tem que sentir! Eu prefiro usar a razão

    Será que é impressão minha ou os irmão lá tem problemas mental de deixa ele nervoso quando conversão?

    eu reparei isso as vezes.

    A repressão dos irmão é realmente grande.

    Quando eu decidi que não iria mais a igreja, ele me fizeram pergunta e teve um sem educação que me diz coisa do tipo e (nervoso) : o”bicho não descança nem de dia nem de noite”, um dia você vai voltar velho quando o mundo não te querer mais, os outro não conhece a verdade, mas você conhece vai ser punido se pecar ( ataque psicológico) eu nunca fui tão ofendido!!

    A pessoa que me levou lá na CCB era batizado também foi ofendido então ele não vai mais também.

    obs: Eu não cheguei a me batizar

    Hoje percebo que as pessoas são moldadas e manipuladas pelas segmentacão doutrinarias, politica e cultural. isso cega a pessoa e não percebem outra opções. ( existir já é um trauma, tudo isso faz parte a vida infelizmente)

  24. Andrade said,

    Todos viram zumbi da doutrina.
    Doutrina do medo

    o povo de algumas demoninações é um povo nervoso, iludido, sem razão pra questionar ou pensar, sem compaixão com o proximo, sem moderação,(o planeta é descrito como preto e branco) tudo é aurea mistica, Deus, revelação, Espirito, santo, Salvação e os fieis viram propriedade dela.

    há preconceito quando alguém sai,o que era amizadade e amor , vira irá, ódio, desprezo.
    mesmo quando alguém sai da seita fica com um sentimento de culpa
    Eles podem dizer que aqueles que desertarem serão atacados pelo Diabo, sofrer um acidente terrível, ou, no mínimo, não vão prosperar, porque eles deixaram “a verdade”.

    mas foram todas vítimas da mesma dominação das técnicas de controle mental. Hoje, muitas delas estão vivendo vidas de liberdade, segurança e esperança. Para obter encorajamento, você poderá ler algumas das histórias disponíveis neste e em outros sites que mostram a realidade. ( existe livro e artigo que falam sobre isso sugiro a sua leitura)

  25. dani said,

    Debora há mais ou menos. umas trees semanas senti de me batizar na ccb eu amo a igreja adoro frequentar la, mas o grande problema são as vestes eu nunca useis saia pelo fato de não gostqrr de mostrar minhas pernas e não querer aparecer. nao aguento mais tanta pressão de ter que usar essas malditas saias minha vontade era morrer eu amo estar la apenas discordo o modo como eles agem em meik as vestes

    • Deborah Sá said,

      Dani,

      Não tenha medo de buscar outras compreensões de mundo, de leitura bíblica, não tenha medo de escrever ou de ler, não se prive dos seus desejos se eles em nada ferem ou tiram dos outros, é seu corpo, é sua vestimenta e tem toda a liberdade de ser como desejar.

      Boa sorte, não sofra.

  26. Oi Deborah,entrei aqui no seu blog por acaso e me indentifiquei muito com a sua historia.Eu cresci dentro da ccb e na adolescencia eu me revoltava com todas aquelas regras,pois eu queria usar calça para ir a escola,mas estava fora de cogitaçao,pois meu pai era muito religioso e me batia muito se eu desobedesse ele.Quando eu tinha 18 anos o meu pai se suicidou,ai varios irmaos da igreja que eram nossos amigos nos abandoram.Ja se passaram seis anos,hoje eu estou com 24 anos,mas me sinto atormentada,eu sinto um vazio que só Deus pode preencher mas pra mim(mesmo depois de tanto tempo)é dificil desvencilhar Deus da CCB.

    • Kécia said,

      Olá Angélica, eu não sou frequentadora da CCB, mas já visitei e conheço a doutrina, eu sou da batista (não que isso faça alguma diferença, pois Jesus é amor e paz e não placa de igreja).
      Mas assim, eu nunca fui obrigada a seguir uma religião, apesar de por quase toda a minha vida ter sido católica até conhecer Jesus verdadeiramente.
      Você não é obrigada a seguir igreja ou doutrina alguma, a biblia diz que Jesus morreu na cruz pelos nossos pecado e isso não foi em vão, então devemos seguir oq Jesus nos manda em sua palavra e não oq os homens dizem.
      Deus não só ama, Deus é amor e devemos nos deixar levar por este amor verdadeiro.
      Ele não é vingativo e o contrário do que dizem na CCB, Deus nos perdoa sim, a biblia diz que Ele joga os nossos pecados no mar do esquecimento então quem é qualquer ser humano para ficar nos julgando e dizendo que não temos mais perdão pelo fato de sermos batizados?
      E quem diz que seremos salvos é Deus e não qualquer homem.
      Então não se sinta culpada ou com remorso se vc quiser seguir o caminho que DEUS quer para você.
      Então ore, coloque sua vida diante de Deus e diga a Ele que vc quer conhecer a verdade dEle e não a terrena, pede para Ele abrir seus olhos espirituais a verdade, que Ele lhe mostre qual a vontade dEle para sua vida que Ele irá fazer isso com certeza.
      Deus não nos dá um fardo maior do que o que podemos suportar
      E em Mateus 11:30 Jesus diz que o seu jugo é suave e o seu fardo é leve. Ou seja Jesus veio para nos ajudar em nossas aflições e temores e não nos condenar.
      Que Jesus continue lhe abençoando, que lhe dê espírito de ousadia para vc tomar a atitude certa.

  27. Alex said,

    O post é até antigo já, não poderia deixar de comentar achei por acaso no google, me identifiquei muito com você, você expressou tudo isso muito bem, e de uma maneira e clareza que eu não conseguiria. Deixei de frequentar aos 18 anos(tenho 21 hoje), 3 anos que mudaram totalmente minha vida para melhor em todos os aspectos, achei interessante o fato de não ter passado por isso sozinho, vários comentários . Estou feliz por todos nós hehehe \o/

  28. Kécia said,

    Olá Débora, achei tb o seu blog sem querer no google, gostei das sua declarações pois são por vivencia e não por especulações de outras pessoas.
    Não concordo com fanatismo religioso, afinal Jesus morreu na cruz para nos salvarmos e não para julgarmos os outros e achar que eles não tem salvação. Mas as pessoas esquecem da verdadeira mensagem da cruz.
    Que Jesus continue lhe abençoando.

  29. Fabiane Erica said,

    Oi, minha história com a CCB é meio parecida, desde criança ia a igreja até os meus 16 anos depois saí voltei aos 19 anos como visita ia com meus pais, conheci um rapaz q estudava na mesma faculdade eu e era da CCB, ele era batizado e eu não, veio a pressão, eu gostava muito dele para deixa-lo . eu batizei sabia q era uma prisão mesmo, me casei aos 21 e agora estou com 23 e já sai da igreja, mas uma vez vem a pressão d q eu tenho voltar, quando saí eu conversei com o cooperador da igreja e ele me entendeu muito bem q eu precisava d um tempo para repensar ele foi tão compreesivo q disse q Deus estava em todas igrejas era só busca-lo…meu marido não está gostando nada do q fiz, quer e eu volte, agora voltei a ir na igreja, mas não uso veú todos me olhar diferente, mas não ligo….

  30. Efigênia said,

    Fico aliviada em saber que as pessoas não se submetem hoje como acontecia na minha época. Nasci na CCB e para abandoná-la, aos 20 e poucos anos,mais ou menos em 1993, me custou tratamento psiquiátrico, tamanha chantagem emocional a que fui submetida. Minha família inteira permanece lá, por isso não tenho coragem de escrever tudo o que penso a respeito deles. É fato de que se trata de um lugar que não quero para os meus filhos e tb não desejo para os filhos de ninguém. Tive a infância e adolescência destruída e carrego sequelas do terror que vivi. Só sei que trata de um excelente lugar para quem quer esconder um passado perverso, desonesto e criminoso. É só se batizar, seguir as regras pseudo-divinas sem questionamentos e terá toda credibilidade e atenção dos demais membros!!! Agora, se vc for honesto,caridoso, inteligente, sem medo de questionar absurdos…sinto muito, será extirpado rapidamente como um verme!!!

  31. Pascoal said,

    Pessoal esse depoimento é de um cara que é ex-membro da Congregação Cristã do Brasil, o que vcs vão ler é uma verdade oculta. escondida a 7 chave pela falsa “graça” CCB!

    “Eu como ex- CCB,presenciei muitas pessoas que
    desesperadas , por acreditarem ter perdido a salvação , cairam no mundo de drogas, prostituição e até na mendicância.ou em clinicas psiquiatricas, com traumas as vezes irreversiveis.

    Lá não há dizimo(ninguem recebe nada), eu mesmo nunca dei um centavo pra igreja, mas se prega que só a CCB é a igreja verdadeira e quem pecar(fornicação , adultério), sair da igreja, ou se opor a CCB, nao tem mais a salvação , o que causa uma pressão psicológica imensa, você pode observar nos olhos avermelhados dos membros o terror que é. Aqueles hinos é apenas fachada o canto da sereia..(demorei anos pra me libertar, graças ao apoio dos ex CCB)”

    nos resta alertar sobre essa Igreja_nazista. te eleva aos ceus mas que estupra os sentimento dos fracos e condena e traumatiza muitos.

    • johannes said,

      Cristianismo é veneno mental. Pior que veneno, é um vírus! Se alastra com facilidade em mentes com problemas imunológicos.

      O cristianismo é um dos piores memeplexos que existem. Penso que só perde para o islamismo.

      • Deborah Sá said,

        Se for para colocar na balança, o cristianismo causou bem mais danos dogmáticos. No entanto, a Teologia da Libertação há de ser considerada. Bem como, movimentos como Católicas pelo Direito de Decidir. Em geral, as pessoas rejeitam o islamismo por interpretar “o outro” como um bárbaro estrangeiro, em outras palavras, xenofobia.

  32. desconhecido said,

    Na verdade Deborah,senti uma mágoa e um desdenho de sua parte sobre a ccb,também sou nascido e criado lá,tenho em minha família tanto por parte de pai e mãe,cooperadores,ancião,organistas,porteiros e músicos,não gostava da mocidade e por isso frequentei pouco culto de jovens,eu gostava muito de beber e jogar bola,sendo assim me juntei com uma mulher do mundo quando eu tinha só 19 anos,ela foi morar comigo já q estava grávida do nosso filho mais velho,com o tempo me casei com ela,e ela batizou e meses depois também fiz a mesma coisa,mas eu sempre fui fraco,gostava do futebol e de bebidas,e através dessas caí da graça,e te confesso q no começo só curti saí com mulheres e durante a noite eu tinha pesadelos com o inferno e com o diabo,comecei a me preocupar com aquilo e fui entrando em uma tristeza enorme,sinto demais a falta de Deus,e gostaria de voltar pra igreja,embora eu tenha aprendido desde criança q quem peca já é condenado,aceitei isso durante anos,mas devido a algumas coisas q vi acontecer com outras pessoas q pecaram,me fazem mudar de ideia,não tenho forças pra voltar pra igreja porque meus pecados são tantos quanto os grão de areia da praia,durante todo esse tempo que caí da graça de Deus,eu só fui 2 ou 3 x na igreja,tenho muita vontade de voltar,tenho muita tristeza na alma quando lembro das coisas q eu fiz,procuro sempre algum relato sobre o perdão de Deus aqui na net,2 pessoas importantes em minha vida me chamam quase toda semana pra ir na igreja,mas devido ao que eu aprendi lá e claro,a tudo que eu fiz…não consigo ir,eu aconselho a todos q lá estão,q não pequem,se tem perdão ou não eu não sei,mas digo q a tristeza é enorme,e aos que pecaram,não falem mal de lá não,porque aí sim vc não obterá chance alguma com Deus,eu prefiro implorar perdão de Deus,do que falar mal da graça dele…

    • Deborah Sá said,

      Desconhecido,

      Não há mágoa nem desdém sobre a CCB. Foi um ambiente que não me fez bem, como não fez bem a tantos outros. É direito se manifestar sobre qualquer regozijo ou pesar. Mesmo se você lesse os quase trezentos posts disponibilizados ao longo desse blog, não teria certeza sobre o que se passa no meu coração, assim como eu não sei bem sobre as auguras de viver na sua pele. O fato é, o texto que escrevi mexeu suficientemente com você para que usasse de seu tempo para transcrever impressões. Não vejo nenhum problema em se opor ao que escrevo ou sinto.
      Por ser uma relação de interação, responderei com minhas discordâncias (não é uma crítica à igreja ou você, é um debate sobre o que se diz, sobre o discurso): Não creio que se porventura Deus existir, estará em apenas uma igreja. Não temo discordar de uma ideia ou interpretação de mundo, uma teoria (no caso, a teoria criacionista). Não lhe desejo o mal, apenas que possa viver bem e sem tanto remorso e culpa.

      Fique bem

      • Reginaldo said,

        Deborah, sempre leio seus comentários. Eu que já fui também desta seita e consegui me libertar, também sei o mal que ela faz. Olhe para este desconhecido… veja o condicionamento que ele se encontra. Parece um ratinho em um labirinto seguindo exatamente a prisão psicológica a qual foi condicionado. É triste isso. O mal que esta igreja faz parece ser, cada vez mais, imensurável. Danos psicológicos, sentimentos de culpa. A única forma de ser ver livre deste mal é sem dúvida alguma buscar o conhecimento. Espero que este desconhecido busque e leia mais relatos aqui iguais ao seu. É triste ver como conseguem destruir o ser humano…
        Um beijo terno em você querida Deborah!

  33. Fabio said,

    Vamos conversar? Minha história e bem parecida com a sua. Você e uma pessoa bem esclarecida, gostei do seu post.

  34. Ewerton Santos Lourenço (facebook) said,

    Olá Deborah Sá!

    Parabéns pelo o seu Blog e a Vitória de se livrar desta praga chamada “Congregação Cristão do Brasil”!!!

    A minha história é muito semelhante, fui criado desde os 2 anos no Meio das Testemunhas de Jeová, a minha mãe vivia me comparando com os outros jovens que tinha que seguir um paradoxo assim; obrigatoriamente.

    Meus pais brigavam muito entre si; meu pai fazia chantagem emocional constantemente; se fazia as vontades do meu pai como ir as festas com ele como Aniversário; Quermesse etc: tudo os TJ’s condenam, a minha mãe me batia no dia seguinte. Tanto que com o tempo eu peguei um ódio mortal deles; quando eu completei 15 anos (2000); decidi parar de frequentar as Reuniões nos Salão do Reino dos TJ; mas ao ver eles na rua os comprimentavam quando eles me viam; mas em vista de alguns jovens entraram pro mundo do crime. O que vocês relatam aqui não só existe na CCB na TJ em outras religiões também é assim!

    Era um porre ficar só em casa; sem ter aonde ir eu ficava deprimido nessa redoma; como todo adolescente tive muita dificuldade de me relacionar; vim descobrir a minha Deficiência quando tinha 18 anos (2003) até o inicio da idade adulta, completei 21 anos (2006)tinha muita dificuldade. Por causa deste droga de fanatismo exaltado, fui privado de muitas coisas e fiquei carente de informação, quanto a minha Deficiência Visual (em virtude ao albinismo); duvida sobre sexualidade a minha mãe falava por achar que era algo errado; comunicação; enfim tudo o que uma criança precisa; porquê o Nivel de Comunicação era 0.

    Ainda em 2006, a minha vida mudou completamente, consegui Meu Primeiro Emprego pela Lei de Cotas a PNE/PCD no Jaçanã (Zona Norte) Onde trabalhei conheci uma moça que acabou se tornando Minha 1ªNanorada, ela tinha também Deficiência (no caso mental igual aquele filme “Como Se Fosse A Primeira Vez”) a Familía dela (e a parte da mãe dela) em peso são da CCB. Por causa de uma demonstração de afeto mal interpretada, justamente no dia que eu pedi a mão dela em namoro o pai dela ficou irritado com a atitude no dia; e começou a fazer pressão sobre ela terminar o que nem começou e a me odiar.

    Enfim não desisti dela, fui a casa da mãe dela aqui no Cocaia em Guarulhos, perguntei a mãe dela e ela disse que: – A química não bateu, mas não consegui engolir isso e fui tirar a história a limpo com a moça dias depois; ela também disse: que ela falou as mesmas coisas que os pais dela. Eu era virgem ainda nessa época, ela não e também foi ela que se insinuou pra que isso acontecesse; e inclusive ela mentiu que ela era virgem, nem pra ela me ajudar a esclarecer o mal entendido. Relevei então voltamos a namorar, apenas depois do expediente porquê; os pais dela não deixava nós se encontrar nos finais de semana, todos os dias após o trabalho ficavamos juntos até a Meia Noite.

    Os pais dela queriam tirar ela do emprego, devido a superproteção, pois ninguém gostava dela e dos jeito de trabalhar dela. Então uns dias depois, a Chefia do RH descobriu que nós estamos namorando;
    admito que fiquei com receio de sermos demitidos. Mas não deu em nada desde que soubesse nos comportar; é claro que na época, eu trabalha com promoção de eventos e dava uma escapada pra namorar na videotéca era só trancar as portas kkkkkkk… Acabei sabendo que eles iriam demitir ela, dai por ter uma forte influência sobre os outros Deficientes por ser bastante comunicativo; decidi ajudar ela acordar ela e a fazer chegar mais cedo; pois o chefe dela não tinha paciência com Deficientes; no dia meu aniversário 5/9/2006 quando fiz 21 anos, ela passou na experiência e saimos pra comemorar.

    Nesse intervalo de tempo, na medida que nos encontravamos nascia um sentimento forte por ela; enfim quando foi na antevéspera do meu aniversário; eu tive perdi a minha virgindade com ela com 20 anos. Eu estava torcendo muito pra que ela passasse na experiência, quando soube do resultado eu fiquei feliz, na Empresa onde trabalhavamos, eramos os “queridinhos” sempre almoçavamos juntos, nós sempre estavamos juntos; depois do expediente iamos namorar numa praçinha aqui no Jaçanã onde costumava pegar os ônibus pra Guarulhos. Com o tempo foram havendo algumas divergências, eu fazia todos os mimos pra ela; carregava a bolsa, deixava a em casa; ia ao Médico (Ginecologista) também. Isso não me incomodava nenhum pouco, ao contrário do que muita gente pensa; o me mais me entristecia era o fato dela mentir pra mim e ter me traido.

    Ela ainda não tinha completado os seus estudos, estava fazendo supletivo a noite; um dia ela me disse que ia fazer a Formatura dela e eu fiz questão de estar presente. Peguei as minhas melhores trajes sociais, fazia muito tempo que não usava desde que deixei de ser TJ; vocês acreditam que quando cheguei lá o Pai fez o maior descaso de mim?!? Em outra ocasião, eu organizei através do Grêmio da Empresa um Jantar com direito a um bailinho, se divertimos a valer, tanto que passamos da hora; ela ligou pro pai dela ir buscar lá e me deixou dormir na Rua aqui no Centro de Guarulhos. Eu me senti um lixo, mesmo amando muito ela. Fiquei complexado só queria me envolver com mulher mais velha porque me traziam mais segurança, e também mais amado.

    Os meses foram se passando, quando completamos 7 meses de namoro, descobri que ela tinha me traido, mesmo que a perdoei não foi a mesmo coisa daqui pra frente: houveram muitas brigas pelo fato dela sentir vergonha de mim pelo fato de ser albino; toda vez que chegavamos no bairro onde ela mora, soltava da minha mão na frente dos outros. A minha paciência estava se esgotou, dai a nossa relação não foi mais a mesma, pois as brigas eram frequentes.

    Uma semana antes do Dia dos Namorados ela sofreu um acidente no setor onde ela trabalhava, e precisou ser afastada do trabalho por alguns dias; foi constatado que ela quebrou o braço. Todos os dias eu ia visitar ela na casa dela, mas não entrava e ficavamos no lado de fora; eu levei um presente Bichinho de Pelúcia pra ela com uma carta de amor. Então continuamos a conversar, dai ela falou que um carinha estava gostando dela; mas ela disse que ele era taxista e tinha ponto alugado; mas, se tivesse ponto fixo não pensava duas vezes. Aquilo me ofendeu de uma tal forma que; eu não conseguia olhar na cara dela como antes; depois de toda humiliação seria muita falta de amor próprio. não quis ficar com a aliança de compromisso que eu comprei joguei fora. Até a irmã dela ficou fuçando o meu orkut, eu fiquei p da vida esculachei ela pela rede.

    Eu tive um recaída na hora H, seria melhor eu transado com uma prostituta; ela me faria feliz e me entenderia realmente. estava tentando me livrar desta magoa que tinha dela; a última vez que estivemos juntos foi no meu aniversário de 22 anos 5/9/2008 e depois nunca mais. O mais estranho é que ela fazia de tudo pra que descobrisse o numero dela; dai então tomei uma atitude de perguntar o que ela quer afinal? Quando eu chamava pra se reencontrar ela dava uma desculpinha, mas tava na cara que ela gostava de mim; mesmo sem saber que se ela estivesse comprometida atualmente; ela me disse que estava fazendo curso de informática no centro de Guarulhos.

    Dai um dia eu resolvi pegar ela de supresa, aparecendo por lá de repente; ela começou a fazer ciuminho pra mim ficando com um carinha na minha frente, mas agi como se nada tivesse acontecido peguei o mesmo ônibus que ela. Os passageiros pensava que ia assaltar ela, porque eu corri atrás dela, enfim consegui cercar ela e um rapaz vinha em minha direção pra brigar. Então deixei as minhas mãos a mostra pra ver que não se tratava de um assalto; eu só queria conversar com ela; mas como ela não dava o braço a torcer; então, roubei um beijo dela.

    Então os anos foram se passando, mas eu tinha contato com ela pelo telefone apenas; algumas das primas dela me excluiram do orkut. Então decidi tocar a minha vida da melhor forma, conheci umas comunidades no orkut que falam sobre o albinismo e outras pessoas que sofreram preconceito também e com elas consegui superar a perda. Mas voltando, tive outras 7 namoradas onde obtive mais experiência das mais inusitadas; não que eu queira me gabar mas compartilhar experiências nunca é demais, esse mundo é pequeno!!

    Mesmo estando em outros relacionamentos sempre tinha noticias dela, ela não me contava se estava namorando ou não; soube que a avó dela faleceu de infarto, o pai dela operou da catarata, até chegamos a conversar pelo telefone, mas quando eu me identifique ele desligou na minha cara; ela engordou e ficou em depressão, eles passaram por problemas financeiros, onde ela chegou até trabalhar na reciclagem pra conseguir dinheiro pra comprar comida. E inclusive, a familía dela foi vitima de assalto.

    Mas quando eu soube que ela chegou a esse ponto; fui atrás dela pra ajudar mas, ela como sempre me ignorava as minhas ligações por puro orgulho. E triste quando vc numa relação ensina coisas boas a uma pessoa, quando vc termina e segue a sua vida, e de repente quando a reencontramos nessa situação deplorável e triste. Quando eu passava pelos os lugares onde passamos eu me sempre pegava na lembrança de quando frequentamos juntos, eu procurava não ficar triste pra entrar em depressão. A ultima vez que eu tive noticias foi em 2011; depois disso nunca mais se falamos no telefone.

    Uma vez ou outra encontrava antigos colegas de trabalho que a conheciam, então me perguntava:

    – E ai Ewerton, tudo bem? E a Pamela vocês se casaram??

    – Não estamos juntos há um bom tempo, na minha cabeça sempre houve umas perguntas sem resposta. Porquê a Minha Sogra falava que:

    – Depois que a minha filha começou a namorar você, ela aprendeu muita coisa?!
    Não é justo, porque não deixam eu namorar com ela em casa?!?

    Quando eu via relatos de pessoas sobre a CCB, não acreditava que fosse o único a sofrer nas mãos da seita; o tamanho descaso que eles fazem com os seus semelhantes!!! Eu me convenci de uma coisa, o importante é crer em Deus; e dane-se essa questão de religião que só serve pra enriquecer os bolsos destes charlatões, isso sim. Pra que os Adeptos diz: Paz de Deus, sendo que eles vivem de aparência sendo que eles nem seguem o principal mandamento da bíblia AME O PRÓXIMO COMO A TI MESMO? Mas aprendi muito com isso, pelo menos eu colhi o que plantei; não trai ela, convivi e conheci pessoas que souberam dar valor a minha pessoa; sem falar que depois daquela época deixei de fazer coisas que gostava por lembrar dela.

    Um dia eu estava na casa do meu pai, ele me ofereceu uma Cerveja Malzebier, pensei comigo: Quanto tempo faz que eu não tomava uma destas, desde que terminei o meu namoro com a minha primeira ex namorada, fazia quase 7 anos completaria agora em junho de 2014. Depois na semana seguinte a minha mãe e a minha irmã a reencontra no centro, toda mau arrumada (pois ela tinha se convertido na CCB ela era muito vaidosa) no centro de Guarulhos, elas conversam. Ela me passou o telefone dela, a minha mãe me aloprou quando me viu;

    -Sabe Ewerton! Eu encontrei uma pessoa que fez parte da sua vida há muito tempo. -Quem? A Pamela! Me erra!! Ela não faz parte do meu passado há muito tempo, ela está morta e enterrada. Confesso que fiquei num dilema: Vai saber se ela vai me tirar uma com a minha cara? Então eu comecei a mandar algumas mensagem no celular dela, se passando ela minha mãe; pra saber qual era a dela; ela me deu um trote e depois eu liguei:

    -Calma! Não é quem você esteja pensando Pamela, tudo bem?
    -Quem é? Ah já sei; oi Ewerton eu pensava que era um dos outros meus exs. Tudo bem com você? Está trabalhando? Namorando…?
    -Ótimo, de férias atualmente; terminei o meu 7 namoro há quase 1 ano.
    – Eu queria te ver, pra conversamos; você topa?
    – Pra que, me dar um bolo de novo?!
    – É Sério! – Pra você e sua familia me humilharem e deixar dormir na rua?
    – Não é kkkk (risos)
    – Tudo bem, ah! Já sei você quer voltar?? – Posso até dar uma chance; mas vou logo te avisando que não sou mais o mesmo de antes. Enfim voltamos dia 7/2/14 após quase 7 anos separados, não brigamos tanto como antes, temos as D.R. estamos bem, só a familia dela que a trata com superproteção por ter deficiência. Ela vem nos finais de semana pra passamos juntos.

    • Deborah Sá said,

      Ewerton,

      Que história heim? Compreendo que fique chateado pelas coisas que rolou no seu passado amoroso. Porém, a Pâmela tem o direito de ficar com quem quiser, pelos motivos que achar melhor. Achei lamentável que tenha difamado ela na rede, ninguém tem a obrigação de nos corresponder, se ela fizer você se sentir mal novamente, parte para outra, deixa ela seguir.

      Espero que fiquem ambos bem.

      • Ewerton Santos Lourenço (facebook) said,

        Com certeza, ela tem sim o direito; mas não o de brincar com os sentimentos alheios!! Mesmo depois de tudo que já fiz, ter aturado a família dela que foi muito preconceituosa comigo; tem pessoas que terminam por muito menos Deborah. Eu esperava uma resposta sensata; no mínimo. Onde já se viu, em pleno Dia dos Namorados, você presenteia alguém que ama te dizer:

        “- Tem um carinha que afim de mim, mas não fico com ele porquê gosto de você. Ele é taxista e tem ponto alugado, se tivesse ponto fixo não pensava 2 vezes”. Em seguida, a irmã dela fuçar o perfil do orkut se eu aprontei realmente, por favor!

        Quando voltamos colocamos os Pingos nos is kkk, eu falei com a irmã e a mãe dela também. Contei com toda sinceridade o porquê de ter difamado na rede não que: eu achei bonito fazer isso! Não me arrependo de nada mas a verdade tem que ser dita doa a quem doer [acho mas tem coisas na vida que nós aprendemos sentindo na pele a humilhação, na verdade o perfil era da irmã] acredito que os pais de modo geral, querem ver o bem de seus filhos e case com alguém de carater; mesmo que não tenha muita diferença. Em outras circustancias; se tivesse um filhos com deficiência e eles fossem vitimas de preconceito eu tomava as dores, porque ninguém é obrigado a aceitar fulano ou ciclano, mas acima de tudo devemos ter respeito. Foi por causa desta atitude prepotente e também exclusivista que fiquei passei a odiar a CCB,

        Em conversas com alguns amigos entre; muitos outros que tenho por ai a fora. Disseram que deveria largar mão é partir pra outra, mesmo que cometendo um erro ao ver deles, a experiência de “casado” foi muito últíl nos relacionamentos futuros. Não é a toa que dizem: colhemos o que plantamos, fui feliz em namoros que duraram mais que esse de 1 ano (no passado) os outros que duraram menos; nos encontros causais nunca tratei minha ficantes e sim como se fosse namorada. Eu sou um amante a moda antiga, assim como eu fui traído e eu também trai, hoje em dia eu vejo as coisas com um todo, graças a experiência de namorado uma mulher casa 2 anos e meio, onde foi o 5 relacionamento; eu aprendi mais sendo um amante do que namorado; muito mesmo viver de aparência como muitos de lá vivem.

        Sei conviver com diferenças, mas não sigo os paradoxos que a sociedade impõe através de seus paradigmas. Eu pela idade que tenho hoje 28 anos, adotei uma postura de vanguarda; onde sou receptivo a críticas; ensino e aprendo de forma lúdica.

      • Deborah Sá said,

        Ewerton,

        O que ela fez não foi legal, não foi justo. Mas difamar uma mulher moralmente é “Slut-shaming” e isso não é nada justificável.

        Saudações,
        Deborah


Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: