26 junho, 2009

Who’s Bad?

Posted in Só falam nisso tagged , , às 10:35 am por Deborah Sá

Ontem foi um dia absurdamente comum. Acordei, tomei banho peguei minha marmita e fui para o Terminal. O tempo estava chuvoso e pra variar meu ônibus atrasou, o que fez com que eu me atrasasse no serviço. Bastam uns pingos d’água e a cidade pára.

Fiz relatórios, cobrei uns fornecedores, almocei, voltei para os relatórios até que notei o horário: 17:10. Já estava mais do que na hora do meu café. Comi umas bolachas maisena e tomei meu chazinho diário. Preparei-me pra sair e fui.

Ao atravessar olhei para os lados e andava calmamente quando SURGE um Fiat Idea, veio em baixa velocidade e parou perto de mim, só virei pro lado e coloquei as duas mãos pra frente em sinal de “Pare”. Quem eu pensava que era? O Superman? O carro parou e eu disse:

– Desculpa

Motorista: -Não, eu que me desculpo eu que estava errado.

Olhei frenética para os lados para continuar andando (fiquei com medo de vir uma moto e morrer de vez).Saí andando com as pernas moles, meio fora de mim, em uma experiência estranha de realidade profunda, como se eu estivesse naquele momento imersa na realidade e vivesse desde então, caminhando “desligada” do mundo. Sim, eu sou uma pessoa aérea e bem desligada. Mas fui inocente nesse episódio, olhei para os lados antes de atravessar, andei em um passo normal, mas o motorista entrou na rua sem dar seta e com farol muito baixo (nem lembro se estava mesmo ligado).Só sei que quase encostei as mãos no capô quando estiquei os braços.

Eu podia ter morrido no mesmo dia do Michael Jackson.

Passou todo aquele filminho “Amélie” na cabeça: Meu funeral, os amigos virtuais se lamentando, os cachorros que eu não ia mais ver, nunca mais ia ter a experiência transcendental de gozar, ainda nem paguei a primeira parcela do meu celular… Ou ainda, perder uma mão (eu não pensei em virar cadeirante, imaginei perdendo a mão) e ter um coto. E como as pessoas ficariam com nojo de olharem pra mim e se esforçariam em uma mesa de domingo, em comer e desviar o olhar. Em eu ter de readaptar a minha vida toda, cozinhar, digitar, escrever…

Na rua comprei morangos e fiz um suco ao chegar em casa. Enquanto lavo a louça a minha mãe diz:

-Michael Jackson morreu

– O que? O_O

Seco a mão e corro para a TV.

TV: Ainda não temos certeza da morte, ele foi levado ao hospital…espere temos notícia da CNN não é? Jornalista correspondente de NY?

Correspondente: Sim, temos a notícia confirmada agora. Michael Jackson morreu.

Levei um choque. Há lendas que não imaginamos mortas e o Michael Jackson é uma delas.

Minha tia emprestou ao meu pai um VHS com uma coletânea de videoclipes do Michael Jackson. Na época minha irmã tinha uns 4 anos, ficou vidrada *____*

Assistia sem parar, teve até uma época em que dizia: “Eu sou o Máicôn Jékízon”  Ela também teve a fase “Eu sou o Dinho Mamonas”

<irmã boba coruja mode on>

Então falar dele me faz lembrar da época que ela tinha cabelinhos cacheados e era um capeta, roubando meu corretivo e riscando a casa toda, assistindo Cine Trash com meu pai…e o inesquecível dia que eu juntei minha mesada pra comprar um Pega-Peixe e um cubinho transparente de chicletes que rolavam pelas divisões da caixa. Ela adorou e foi um dos dias mais simples e bonitos da minha vida. Sim, eu sou completamente apaixonada pela minha irmanzéénha *__*

</irmã boba coruja mode off>

Cof, cof, então né? O Michael Jackson (foco Deborah, tenha foco…) nunca foi meu ídolo, mas ele era inegavelmente bom nas danças (tudo bem que eu prefiro o Prabhu Deva) e nas músicas. Da vida pessoal dele tenho pena, pelo que sei o pai dele era autoritário e ganhava dinheiro à custa dos filhos, teve uns escândalos de pedofilia mas não dá pra saber se era verdade. E pra ajudar era perseguido pela mídia como uma aberração. Eu tenho medo dessa perseguição da mídia quando vejo casos como o do Michael e da Britney.

Como “A Necrofilia da Arte”* fará sua parte, será um porre todo mundo dizendo o quando ele era bom. Que descanse em paz, e continue seguindo a luz do fim do túnel fazendo o Moonwalk.

*Música do Pato Fu

5 Comentários

  1. Lola said,

    Tome cuidado, Deborah! Se bem que a culpa parece ter sido do carro mesmo (e também, se uma pessoa é atropelada e morre, não ajuda muito ficar discutindo culpa). Morrer no mesmo dia do Michael Jackson deve ser pior ainda que simplesmente morrer!

  2. asnalfa said,

    Muito bom seu blog! Me identifiquei muito aqui! Tem jeito de vc falar mais sobre bulling?? Tb sofri disso na minha adolescencia…. o povo da escola me chamava de bicha, viado…. essas coisas horriveis,,
    Bjos!

  3. marina said,

    aqui em florianópolis os carros costumam parar quando há pessoas esperando para atravessar nas faixas de pedestres. alguns motoristas o fazem com o maior prazer e eu acho que não custa nada favorecer aquele que, obviamente, já está em desvantagem no trânsito.

    eu moro numa avenida que rodeia o campus da ufsc, então tem movimento praticamente o dia inteiro, carros, ônibus, tudo. tem uma faixa bem na frente de casa, com pontos de ônibus dos dois lados da avenida.

    um dia de manhã estava lá esperando a boa vontade de alguém e pronto: os carros num sentido pararam, os do outro também…comecei a andar na faixa. quando estava no meio da avenida, um imbecil cretino ordinário que estava cortand o trânsito com sua moto pelo lado dos carros, não parou.

    ele simplesmete não parou! como uma pessoa vê que estão parados, o lugar é próximo de pontos de ônibus, ao lado de uma universidade e um otário não para?!

    ele passou a uns 30cm de mim, desviando a moto, ainda… a pessoa que estava na carona ainda olhou pra mim, já lá na frente e eu, que devo ter ficado branca, comecei a tremer e cheguei no trabalho ainda incrédula…

    sério… se um dia eu quase morri atropelada, foi nesse.

    ~

    quanto ao michael, meu irmão mais velho tinha o bolachão do thriller (acho) e dançava com coreografia e tudo mais… sei que ele era pequeno e eu, 6 anos mais nova que ele, devia ser bem infante. mas lembro… ele gostava disso, fazia apresentações pra visitas e tal… hehehe

    ~

    no mais: morre não, deba. a gente ia sentir falta. :~

    :***

  4. Roy said,

    Voce faz uma excelente analise do fato, Deborah.

    Bjx

    Roy

  5. Olá. Pela primeira vez aqui.. Gostei da sua forma de escrever.. passarei mais vezes.
    ABraços


Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: