8 junho, 2009

Os Embalos de Sábado a Noite

Posted in Filmes tagged , , , às 11:47 am por Deborah Sá

Ninguém havia me preparado psicologicamente pra assistir este clássico. O que tem de errado em um filme sobre discoteca?
Se você, jovem leitor nem era nascido na época (como eu) não espere apenas ver o John Travolta dançando loucamente.

Tony Manero (John Travolta) é um rapaz muito comum, trabalha em um emprego medíocre ganhando um salário de merda em uma loja de tintas.
Seu irmão é padre, ele a ovelha negra. A mãe é aquela frustrada e consumida pela família que chora desesperadamente para manter as aparências. O pai é a figura autoritária e machista. Uma cena que marca bem a relação entre a família:

Tony feliz por seu aumento salarial tomado de boa-vontade começa a tirar os pratos da mesa.

Pai: Porque está fazendo isso?
Tony: Estou feliz, querendo ajudar
Pai: Deixa que elas fazem – enquanto beija a testa da irmã mais nova de Tony que tira os pratos da mesa.
Tony: Ganhei um aumento
Pai: De quanto?
Tony: Quatro dólares
Pai: Mas que merda!
Tony: Eu só ouvi duas vezes que sou bom em algo na vida! Uma com o reconhecimento do aumento, outra quando falam que sou bom em dançar!

Ao fundo, acima da lareira há uma foto do irmão padre.

Os amigos de Tony são preconceituosos. Não gostam de gays, nem de latinos. Vai pra “2001” dançar todo sábado à noite, e neste ambiente, Tony larga sua vida medíocre e torna-se o pop star, o rei da pista de dança. As moças vão até a mesa dele depois de sua “dança do pavão”. Elas pedem pra trepar com ele. Ele é “o cara”.

Do grupo de amigos, só o “bundão” tem carro. O carro é compartilhado no esquema “10 minutos para cada um com uma garota dentro”. O Tony tem uma moça completamente apaixonada por ele. Anette.

[Se não quiser o final do filme, não leia daqui pra baixo]

Anette é um capítulo a parte. Seguindo a risca o mito do amor romântico ela se rasteja por Tony e ele a ignora. Ainda mais depois que conhece Stephane e a escolhe como nova parceira de dança. Anette implora pra fazerem sexo e pra provocar ciúme diz que transará com todos seus amigos, bebe muito e os amigos comemoram “A Anette vai dar pra todo mundo!”. Um a um entram no carro e trepam com ela, Anette começa a chorar e eles continuam um a um. O Tony fica dirigindo no banco da frente enquanto ela é estuprada por seus amigos. Eles rindo e se divertindo, ela dizendo não e chorando.
Depois que o último sai de dentro dela o Tony vira a cabeça para trás e dirigindo-se a ela, diz algo como:
– Viu? Teve o que mereceu! Você se tornou vulgar.

É aquela velha história que “as putas” podem ser violadas como punição por má conduta. A cena foi tão horrível que me deixou de queixo caído.

A Stephane é a moça “com valor” e ríspida, por isto mesmo, se apaixona por ela. Ele tenta estuprá-la no carro. Ela chuta o saco dele e consegue fugir. Ao contrário de Tony ela tem contato com intelectuais e bebe chá “porque é mais chique”. Ele come cheese burguer e bebe café e mastiga de boca aberta.
No final ele vai até a casa dela. Ela diz “não falarei com um estuprador”. Eu respiro aliviada por ela não ceder.

Stephane termina por beijá-lo.

Foda-se Tony Manero e suas correntinhas douradas no seu peito cabeludo, mostrado o tempo todo de baixo para cima para que reforce sua imagem viril. Foda-se o close desnecessário dos peitos da loira do pôster da parede do seu quarto.

Filme nojento dos infernos!  Tony tem explosões de ciúmes, se envolve com brigas de gangues, vive em um bando de estupradores e todo mundo acha lindo.

1 Comentário

  1. […] Os Embalos de Sábado à Noite – Déborah Sá […]


Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: