20 maio, 2009

Star Trek

Posted in Filmes, Papo Nerd tagged , , às 12:13 pm por Deborah Sá

Geralmente os filmes de ficção científica despertam em mim uma leve e/ou profunda sonolência, os de ação também. As grandes sequências de ação me fazem pensar: “Estão tentando me impressionar com estas explosões pra compensar o roteiro fraco que vem por aí”. As cenas de batalha de naves e seus “ziun ziun ziuuum” com músicas épicas empolgam a maioria das pessoas. Mas não me surpreende. Quase sempre parece “Yeah! Vamos despertar o sentimento de brincar de espadinha!!”. O Kirk será o personagem queridinho da maioria teen. Ele é loiro e tem olhos azuis, é garanhão e daquele tipo “pernalonga” que engana os outros e sempre se dá bem, mas que no fundo tem princípios como honrar o nome da família. A trama dele é muito centrada nestas questões de honra familiar. A cena inicial do filme é o pai dele salvando a mulher e o filho da morte, isso bem na hora que esposa estava em trabalho de parto (com direito a trilha sonora de violino). As mulheres são reservadas a esfera privada da nave. Elas não lutam, não são bravas, apoiam e aconselham ao longe, usando mini-saia (menos as mães). As únicas mulheres na trama são:

* A negra (par do Spock) que o apóia e demonstra personalidade forte, mas não entra em conflitos com ninguém. Usa chapinha e colocaram-na de calcinha e sutiã em uma cena absolutamente desnecessária.

* Uma moça verde que aparece de calcinha e sutiã dando uns amassos no Kirk

* A mãe do Kirk em uma aparição relâmpago no início do filme e a mãe do Spock que o apóia serenamente.

Mesmo Star Trek utilizando os artifícios clichês da ficção científica, me cativou. E qual o diferencial? O Spock. Ele é mega charmoso e o melhor personagem do filme. Filho de um Vulcano com uma humana e visto como impuro, precisa se esforçar em dobro pra ser reconhecido. Os Vulcanos sentem as emoções de forma mais intensa que humanos, são lógicos e extremamente racionais, evitando dar vazão aos sentimentos. Outro ponto positivo é o lado humano de Spock e Kirk. Spock mesmo racional, perde a cabeça e Kirk mesmo impulsivo e egoísta mantêm a cabeça fria em alguns momentos que exigem isto. Eu gosto de personagens que não são uma coisa só.

Nota 6,5 se analisar ele como filme, independente do gênero. Nota 9 se analisar ele como filme de ficção-científica.

7 Comentários

  1. Samantha said,

    Eu gostei do filme, mas o papel da mulher em Star trek fica mais claro ainda na série original, da década de 60.
    A começar pela idéia original: Gene Roddenberry, o criador da serie, queria uma capitã mulher. Os produtores nao gostaram da idéia.
    Ele inseriu Uhura (interpretado na época pela maravilhosa Nichelle Nichols), uma oficial negra. A série foi responsável por um feito: o primeiro beijo interracial da tv americana (entre Uhura e Kirk, interpretado por William Shatner).
    Nichelle Nichols pensou em desistir da série, mas Martin Luther King ligou para ela e pediu para continuar.
    Realmente, foi um marco.

    Na série original, 2 coisas principais me deixavam mto indignadas, apesar de eu rir:
    – os uniformes femininos era muito curtos. pra que? Vc é uma oficial de uma nave, se envolve em situaçoes em q tem q ser ágil. Uma saia nao seria uma boa escolha
    – todas as mulheres se derretiam pelo Kirk. Como se ele fosse um grande super heroi para salvar as ” mulheres indefesas”.

    Depois dessa série, houveram outras e em muitas o papel da mulher recebeu um destaque muito positivo. Na Star Trek Voyager, finalmente a capitã é uma mulher e na Star Trek Deep Space Nine, temos uma mulher como chefe de segurança.

    Heheh, sim eu adoro Star Trek. Beijos, ótimo post.

  2. Deborah Sá said,

    Samantha adorei seu comentário ^^
    Muito esclarecedor!
    Confesso que só vi o filme, nunca acompanhei a série… e Star Wars, você gosta?

  3. Grivicich said,

    Na verdade estava revendo a série e observei que em um dos primeiros episódios tem uma médica ou cientista, não sei, que usa cabelo na altura dos ombros e usa calça comprida. Talvez o criador da série não quisesse tanto mulheres com mini saias e penteados ultramirabolantes nada práticos. Isso não sei ao certo, só sei que: Uhura tem uma presença mais forte e decidida no filme, o que foi uma melhora. O fato dela ter beijado o Spock dessa vez (Com quem já flertou na série) foi bem mais interessante do que beijar o Kirk, que sempre foi o cara que “pegava” todas. De fato o Spock está ganhando em disparada em tudo em relação ao Kirk nessa versão alternativa de universo. :P

    Não sei pensar muito com cabeça de anos 60, então não sei o quanto tinah de revolucionário de colocar a Uhura como oficial de comunicações, mesmo que da maneira que fizeram ela parecesse mais uma secretária. Acho a enfermeira Chapel frágil demais, sem falar da Ordenança do capitão, sempre rolando aquela dela ser meio apaixonadinha por ele.

    Se um dia resolver ver a série, cuidado com o episódio onde aparece um personagem chamado Khan, vc provavelmente vai se revoltar com a atitude de uma oficial da nave.

    Ótimo Blog ;)

  4. Lisa Wang said,

    Olha, eu assisto Star Trek já há uns cinco anos e tenho de discordar da nota nove que você deu ao seriado.

    Realmente a série original, apeasr de ter menos recursos que as suas sucessoras, contém muito mais ficção científica e menos chutes. No entanto, o que o seriado mostrou foi em larga parte mais idéias de obras literárias do que ciência propriamente dito.

    Exemplo: a idéia de terra forming. Puramente fictícia, não creio que ainda tenha sido testada cientificamente, nem se nasceu de um método científico de investigação.

    Concordo quanto à participação feminina se resumir a mulheres passivas e bonitinhas. Mas temos de admitir: era outr aépoca, onde mulheres apenas começavam a ocupar seu espaço no Ensino Superior e em cargos de confiança nas empresas.

    Se a série de Kirk fosse produzida hoje com o talento dos idealizadores e produtores da época, as mulheres seriam muito mais do que um rosto (e corpo) bonitos.

    É a primeira vez que entro no blog. Parabéns, eu achei ele muito bem feitinho e organizado. Você escreve bem.

    • Deborah Sá said,

      Obrigada Lisa!
      Seja bem vinda ;)

      Simpatizo com a série, mesmo sem ter acompanhado :P
      Pode me sugerir alguma temporada específica?

  5. Lisa Wang said,

    Bom, fica difícil para eu sugerir uma temporada, pois gosto de episódios em particular, embora a terceira temporada tenha sido a que mais mostrou idéias “fortes”, que lhe colocavam para pensar ou punham os personagens em risco de vida real.

    Exemplos de episódios bons são: O Reflexo no Espelho, O Punhal Imaginário, Os Anos Mortais, Problema aos Pingos, Um Gosto de Armageddon, Missão de Misericórdia, Uma Cidade à Beira da Eternidade, Os Herdeiros de Platão, Ao Piscar de Um Olho, Jóia Rara, os Guardiões das Nuvens e O Mundo Finito.

    Espero ter lhe dado um head start para saber um pouco mais do mundo Trek.^_^

    Lisa Wang.

    • Deborah Sá said,

      Muito obrigada Lisa ;)


Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: