15 janeiro, 2009

Topless (ou, “Os homens devem lembrar que tem mamilos”)

Posted in Gênero às 10:37 am por Deborah Sá

“Se eles podem, por que não nós?” Esta talvez seja a frase que vem na cabeça de muitos e automaticamente respondemos: “Porque é diferente”.

Andar com os seios livres seria libertador, mas não onde vivemos já que as mulheres mais velhas ou as que não se encaixassem nos padrões estéticos, seriam mais humilhadas ainda. Aposto que os “machos de plantão” adorariam ver suas vizinhas com os mamilos ao vento e repreenderiam as “suas mulheres”. Nisso se encaixam as filhas, amantes e qualquer outra mulher que ele visse como indivíduo “de respeito”.
Alguns, podem alegar que andar com os peitos de fora mataria toda erotização deles, banalizando o esconder das diferenças de características sexuais secundárias. Quer mais exposição do que já sofremos? Crianças de sete, oito anos já tem contato com pornografia. Aliás, é uma coisa contraditória não? As pessoas se preocuparem tanto com a “vulgaridade” mas entendem a pornografia como algo privado. Por exemplo, são contra sexo explícito na rua mas levam revistas com bocetas abertas na capa, vendida no topo de bancas de jornal (não precisa ser adulto para enxergar no alto).

Seria muito arriscado para uma moça fazer topless, ela correria o risco de muitos assédios, mas nem por isso a culpa seria dela. Isto parece um pouco difícil de compreender para muitos. Teríamos de reeducar os homens para que através de empatia e informação não invadissem o corpo de quem quer que fosse, mesmo, se esta/este andasse seminu. É como andar sem sutiã por exemplo, a mulher é incentivada a se destacar através de enchimentos e roupas justas mas, deve ao mesmo tempo, ter um recato com suas próprias formas e não andar por aí sem calcinha. Embora humanos possuam mamilos, a construção dos gêneros faz com que esta seja uma característica “tipicamente feminina”. Se um homem, por exemplo, comenta em uma conversa trivial sobre sexualidade e expõe o teor sexual de seus próprios mamilos, será chamado de viado. Por que a sensibilidade das terminações nervosas em determinados pontos é vista assim? Cansei de ver homem de “farol aceso” e eles andavam de cabeça erguida. Será que eles pensam que existem pessoas que se excitam com isto? Que seus mamilos são tão sensíveis quanto os de uma moça?. Isto é um tanto insano, ao mesmo tempo em que supervalorizam certas características “femininas” esquecem que as têm! Adoram cu, cílios grandes e mamilos, mas, comicamente, apagam em suas mentes a existência de tais pontos em seus próprios corpos!

3 Comentários

  1. Deborah, ótimo texto.

    O que eu vou falar agora sai um pouquinho do contexto, mas foi o primeiro insight que me veio à cabeça.

    Isso tudo acaba tendo como causa a tradição da roupa.
    Tirando os fins de proteção à temperatura do ambiente, fomos condicionados a tapar nossa vergonha, a causa do nosso pecado.

    É daí que chega naquele ponto que você citou:
    “…Alguns podem alegar que andar com os peitos de fora mataria toda erotização deles, banalizando o esconder as diferenças de características sexuais secundárias.”

    Entre os indígenas e as comunidades nudistas é exatamente isso o que acontece.

    Acredito que seja um dos mais altos graus de liberdade física e psicológica que um ser humano possa ter.

  2. marina said,

    dé, já viu o trabalho desse fotógrafo?
    http://www.jordanmatter.com/exhibits/default.asp?name=nudes

    “Descoberto: Mostrando o busto em NY

    Esta é uma coleção de fotografias mostrando mulheres com os seios de fora em público por Nova Iorque, geralmente apresentadas com entrevistas sobre as questões acerca da imagem do corpo e da sexualidade da América hoje em dia. A natureza informal e humorística destas imagens celebram as mulheres sem sexualizá-las ou objetificá-las, enquanto cria a ilusão de um mundo tolerante no qual mulheres sem camisa saem por aí casualmente. Este ensaio representa apenas um aspecto de como a América poderia ser se fôssemos livres da vergonha e libertos do julgamento moral.”

    é como o caso da modelo que se recusou a amamentar o filho porque seus seios são eróticos demais…
    principalmente em contraste com o caso da outra modelo que se recusa a parar de amamentar e critica que os peitos das mulheres sofrem com dois pesos e duas medidas: peitos a torto e a direito em bancas de revistas, filmes, novelas, comerciais e afins – tudo bem, pode. peitos que amamentam e ajudam os próximos cidadãos – não pode.

    ah, e eu curto um mamilo masculino! hahaha :]

  3. Débora said,

    Abri o site por engano mas mesmo assim li o texto e achei muito interessante e realista.
    Eu particulamente não gosto de usar a generalização dos homens com relação a este tipo de assunto, pois muitos q eu conheço tem uma visão diferente, mas para os muitos homens e mulheres q ainda tem essa visão antiquada e desrespeitosa sobre o corpo da mulher mereciam ler um texto desses q fala claramente das hipocrisias da sociedade sobre o assunto.


Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: