19 novembro, 2008

Cramunhão usa Jeans

Posted in Cotidiano às 7:48 pm por Deborah Sá

Motorista: Isso é desde a época feudal, os caras tentavam fazer monopólio…
Amigo do Motorista: Até faz pacto…
Motorista: -Q?
Amigo do Motorista: Até faz pacto…(cara de caipira contando “causo”)
Eu (pensando): Não ri! Não ri!
Amigo do Motorista: Poizé! Sabe Jeans que todo mundo usa no mundo todo? O cara que criou fez…PACTO (tandããããn), ele matou 5 crianças pra que todo o mundo usasse…
Eu (pensando): Nãããããão ri! Nããããão ri!
Motorista: Eu respeito, mas não acredito nessas coisas…
Amigo do Motorista: Vi na internet, até a coca-cola, a música da Xuxa, ela foi pra outro estado e colocaram o disco ao contrário, coisas…coisas…SATÂNICAS….

Juro, eu não ri!

Anúncios

14 novembro, 2008

Depilar

Posted in Desabafos, Gênero tagged , , às 3:34 pm por Deborah Sá

O intuito deste blog é registrar e expressar a minha visão do mundo. Isto me faz muito bem, mas certas vezes me pergunto se esta não é uma maneira pública demais…ou talvez por ser mulher fui ensinada a me conter e ser o mais discreta possível. O fato que pretendo expor é delicado. Delicado pois é íntimo, íntimo pois se trata do meu corpo e do corpo de outras mulheres sem voz. E eu canso sabe? Sinto como se passasse muito tempo da minha vida em silêncio. É óbvio que eu falo muito, mas a maior parte do tempo falei da impressão que o mundo me causa, pouco de como sou internamente. E essa fase que vivo é esta de inquietação, de vontade de gritar, rir, chorar e sentir tesão. Às vezes em combos explosivos. Eu detesto a minha mania de justificar. Como se precisasse sempre pedir desculpas pelo o que sou. E este post é sobre depilação. Mas o que é essa tal depilação? Oras, todo mundo sabe que até homens se depilam. Mas a cobrança feminina é compulsiva, têm mulher que passa gilete todos os dias. E porque elas fazem isto? Depilar é uma imposição. Há várias notícias de famosas que foram flagradas com suas axilas peludas, pronto, são “desleixadas”, “porcas”… É inconcebível para a maioria das pessoas que uma mulher se sinta sexualmente atraente com seus pêlos. Acreditem, é possível. Certa vez li em uma comunidade: “A maioria das mulheres que cobram a depilação aceitam um homem das bolas bem peludas entrando nelas”. Fato.

Vejo muitos depoimentos, reportagens e mulheres que me dizem: “Eu fico X dias sem fazer quando estou solteira”. Então muitos afirmam, que com “auto-estima” qualquer mulher se “cuida”. O que é cuidar de si? E se amar? Só é possível se amar quando se torna sem gosto? “Limpa”? É completamente inusitado que outros digam como é que devo amar meu próprio corpo. Que só quando eu for atraente para “eles” o serei pra mim. Questão higiênica? Quantos homens que não se depilam e são cheirosos? Então alguém aí pode dizer: “Ninguém vai te bater por que é peluda”. Falo por mim e muitas (mas não todas, obviamente) mulheres:

Não queremos nos depilar, se depilamos é pra não ser chacota, humilhação pública, é nossa letra escarlate. Não podemos gostar de nossas bucetas, de nossas formas e nosso próprio gosto. E quando nosso corpo denuncia sua forma, temos de fingir nossa eterna juventude, pêlos não existem em crianças. Nem em nossos corpos. Cortamos, queimamos, sangramos por este ideal. Ser limpa, ser pura, virginal. Nossa sexualidade é vigiada, muitas vezes contestada e o ritual depilatório é passado de geração em geração, como o papai que leva o filhão pro puteiro, a mamãe ensina o quando o sexo é feio. Tá, pode não ser a mãe que ensina, pode ser uma coleguinha ou tia também. Porque se elas passaram, você tem que ser assim também. E ai de você se discordar! Aliás, é piloto automático, não? Oras, se minha mãe e todas as mulheres que eu conheço depilam…nada mais natural do que eu o fazer certo? “Coisa de mulher”. E neste discurso que só tem dois lados, quando não se faz coisa de mulher é coisa de quê? De homem? Ou sapatão, que na cabeça de muita gente “é querer ser homem”.

Eu nasci no tempo errado ou quem sabe no tempo exato pra esfregar na cara desse bando de conservador que eles vão ter de me aceitar. “Se camufle pra evitar conflitos”. Aham…se eu e toda mulher tiver medo de agir quando é que as coisas mudam? Pelo amor ao seu corpo, liberte-o.

6 novembro, 2008

O que Jesus faria em meu lugar?

Posted in Animais, Cotidiano, Crenças, Desabafos tagged , , às 7:59 pm por Deborah Sá

Essa é uma colocação que muitos adoram fazer. Acham horrenda a história da crucificação de Cristo. “Deus mandou seu único filho para o sacrifício de nossas almas”. Hoje passei em frente á uma casa, tinha um lindo labrador marrom de olhos claros. Já havia o afagado outras vezes, fiz o mesmo.  Alguns metros dali, havia outro cão. Este era preto, e seu pêlo era médio e embaraçado. A cada passante o seu rabo balançava, na esperança de um pouco de atenção.   Aproximei-me. Ele abanou o rabo (a pontinha era branca). Seu pêlo era um pouco duro, seus olhos castanhos e dóceis. Enquanto ganhava carinho, abria as perninhas deitado de lado. Como se mostrasse a pata traseira pra mim. Quando me afastei olhei pra trás. A patinha traseira que ele levantava na verdade estava machucada. Ele mancava e saiu pulando. Perdido, sozinho. E ninguém se importava com ele. Eu quis chorar, na verdade, choro agora.

O trânsito foi muito longo, e enquanto eu ouvia Belle & Sebastian (que combina magistralmente com a garoa e a cidade), pensei na frase que deu título a este post. E o que Jesus faria em meu lugar? Eu não sei…mas o que faria um cão no meu lugar? Os animais são grandes mártires. Muito mais resistentes em vários aspectos. Quando me corto reclamo de dor. E quantos cães machucados eu vejo todos os dias? Quantos não mancam e irreversivelmente tem sua mobilidade reduzida? Passando por um caminhão, vi homens fortes na janelinha. Eles estavam espremidos. E quantos animais não estavam em situações muito piores que aquela? Quantas vezes eu passo em frente a granjas, todos de crista caída, imóveis. Vejo as donas de casa com suas saias até o joelho, estampas floridas e dinheiro amassado na mão. Quase sempre é um chinês. E há uma horrenda janelinha onde provavelmente se vê a morte. Deus mandou seu filho pra morrer pelos nossos pecados? Poderia cessar então, já que milhares de animais morrem todos os dias para saciar nosso costume e paladar. Isso é bem menos nobre, bem mais vergonhoso.

Jesus virou vitela? Não, ele já tinha 33 anos. Se fosse abatido teria antes de estar bem gordo. Sua mãe, de tetas doloridas sangrando, dando além de sua capacidade. Ao final de sua vida “produtiva”, ela viraria um ingrediente de uma lanchonete qualquer, com um brinde em caixinha colorida. Uma vaquinha sorridente no brinde do mês? Cairia bem…muitas caixinhas de leite o fazem. Entregando a um estranho mais um mártir. Você adora o seu Deus? Você adora Maria? Vá em frente.

Eu prefiro admirar a vaca. Ela dá seu leite, não por escolha, mas pela falta dela. A cada término de gestação, se vai o filho. Diria ela: “Perdoai, eles não sabem o que fazem?”.

5 novembro, 2008

Hello Stranger?!

Posted in Cotidiano tagged às 8:58 pm por Deborah Sá

– Hola, Olá, Oi (cutuca ombro)
– Oi
– Do you speak english? Hablas Español?
– (Faz gesto de “mais ou menos”) Por que?
– (Sotaque carregado) É que eu não sou brasileiro, saí pra “esfriar cabeça” quer me acompanhar?
– Ahhhn não (careta franzindo o nariz)
– Você mora perto?
– Ahnn no, no…I gotta go…
– Mora longe?
– Por que quer saber?
– Quero conhecer você
– Ahn, não, não, obrigada
– Por que não? Não gosta de preto?
– Não…não é isso, meu namorado (mostra braço e esfrega mão), my boyfriend is not…
– É preto?
– É, é
– Tenho que ir
– Prazer meu nome é Mike (acho que era isso)
– Ah, eu sou Deborah, prazer (aperta mão)
– Tchau, boa sorte, good luck
– Boa sorte, god luck

OMG!!!!

Isso acabou de acontecer! Andei um pouco e entrei no cabeleireiro (queria cortar mesmo, mas ajudaria a despistar).

– Oi
– Oi, tem como cortar hoje?
– Tem, Júnior?
– Tem sim.
– Vamos lavar o cabelo? Ai menina! Que sobrancelhas maravilhosas que você tem. Acho bonito, grossas assim.
– Ah, obrigada, um monte de gente pede pra eu tirar, é um absurdo não? Não temos poder de decisão nem sobre nosso corpo…(blá,blá falo sobre).
– Vamos pra cadeira? O que quer?
– Ah, bate na nuca, desfia, pode cortar um pouco mais.
– Ah sua nuca é linda, bláblá (inflando o ego da moça perseguida por um estranho)
– Nossa, tô fugindo de um cara estranho que me seguiu.
– Ah, esses moleques de rua, feio.
– Não, não era de rua e até que era bonito o rapaz. Mas deu medo.
– Era queniano?
– Sei lá, o sotaque era estranho…
– Ixi! Pior que a maioria dos quenianos daqui é traficante…
– O_o

Mente paranóica em ação O_O

Imagina só se o cara me segue? Pensei até que fosse por causa do meu bottom da mochila “Pergunte-me por que sou vegan”, mas ele não mencionou nada sobre…Será que ele pensou que eu era puta? Brasileira tem fama de puta lá fora…mas eu estou de jeans, sandália rasteira e camiseta branca: “Liberdade Animal, Liberdade Humana”. Tenho pancinha e cabelo curto, não tenho perfil estereotipado de puta. Uma puta exótica talvez? Cara, isso é muito estranho eu não recebo mais cantadas desde que cortei o cabelo. Daí um cara vem do nada e me aborda assim… Claro, cheguei, liguei em desespero pro Yuri (eu fico suada como uma porca quando estou com medo), contei tudo, e mais alguns detalhes.

1 – Hoje descobri que o cãozinho perto do meu serviço faleceu, a dona disse que o rim dele já não mais funcionava, ele tinha mais de 15 anos. Ela ainda tem a preta que me recebe todo dia na rua abanando o rabo, enquanto me esforço para que ela não se esfregue na minha roupa :p

2- Vi um beagle, que me lembra muito o Snoopy, o nome dele era Pepe, apertei as coxinhas, fiz carinho na orelha e ele nem olhou pra mim. Blasé.