28 julho, 2008

Princess

Posted in Filmes, Gênero tagged , , às 5:31 pm por Deborah Sá

Como o filme dificilmente será assistido novamente por alguém, afinal é dinamarquês e só passou no Anima Mundi, tentarei ser o mais fiel ao que vi. Aproveitando que minha memória ainda está fresca, descrevo para que tenham o máximo de aproveitamento possível. Atenção: O texto é cheio de spoilers e sou muito detalhista, então se procuram algo objetivo fico devendo essa =P

August: Loiro, alto, magro, com aquela coisa branca que padres usam na gola da blusa (não sei o nome daquilo), se aproxima da porta de uma das casas de subúrbio (aquele cenário típico americano). Ao abrir a porta e entrar em um cômodo da casa vê sua irmã Cristina fazendo sexo com dois homens. Enquanto é filmada, ele fica horrorizado ao notar sua barriga de grávida (balançando). A câmera focaliza a imagem da irmã na câmera do camera-man, enquanto ouve-se a conversa entre os dois por telefone.

– Alô?

– August, meu irmão moralista.

– Está grávida, é menino ou menina?

– (silêncio)..é uma menina, mas o que importa?

Entra a introdução do filme, uma música (legal) com guitarras, umas revistas com Cristina na capa, vestindo roupas típicas de fetiche: Colegial, esportista…todas escritas “Princess” com letras garrafais, as revistas se sobrepõem umas sobre as outras, o clima é de anime. Volta à cena para August, ele relembra: Um dia ele e a irmã no banco de trás do carro, a irmã começa a bater os pés nas costas do banco do passageiro onde está a mãe, os pais pedem para ela parar, o carro perde o controle e capota. August e Cristina tornam-se órfãos. Manchetes de jornal anunciam a morte da “Princesa” do gênero pornô. Cristina morre. August vai até a casa dela, onde uma senhora (prostituta, loira, fumante) o recepciona, ele busca por Mia (sua sobrinha). A prostituta loira reluta um pouco, mas concorda em deixar Mia com ele, Mia é uma garotinha de 5 anos, que anda sempre com Multe seu bichinho de pelúcia.

Ele leva (a pedido da prostituta), uma caixa de papelão fechada com coisas da Cristina, e também um caderno com a ficha médica de Mia. Diz que “ele vai gostar”. Antes de Mia sair, coloca um papel no bolso dela dizendo: “Se não quiser mais morar com August não esqueça…”
Mia é indiferente, ao chegar na casa de August, ela vê um quarto só para ela, mas não se interessa, vira as costas, vai até a mesa e derruba o cereal no chão e começa a comer (como um salgadinho), ele oferece leite e ela toma na caixinha. Ainda indiferente liga a TV e continua a comer cereal. Ele tenta conversar, mas ela não responde. Põe ela para dormir:

http://www.estadao.com.br/interatividade/Multimidia/ShowVideos.action?destaque.idGuidSelect=EDCD1DD032B0460B9A972F2DF58B2965

 [Acima caso alguém tenha preguiça de abrir o link, neste trecho ele nota que ela tem marcas roxas no corpo e fica triste com isto]

Eles vão a cemitério no outro dia procurar pelo túmulo de Cristina, mas não encontram no local que foi especificado, ao perguntar para o coveiro este diz: “Você também faz parte deste circo? Está ali!” Ao subirem as escadas notam o “altar” construído. No centro, a lápide. Á esquerda, um belo chafariz. Ao redor, vários pênis grandes ornamentando. Ao ler a lápide, vê a mensagem: “Abra suas pernas para os anjos, assim como abriu para nós, Com amor seu Charlie”. Ele diz que o local é horrível (bravo), Mia briga com ele discordando que lá era lindo e que tinha até peixinhos (no chafariz) e lê na lápide: “Ali está escrito Charlie né?”. Ela também afirma que Multe (bichinho de pelúcia), não gosta de adultos, e é vivo, só não fala pois é preguiçoso. August durante a noite, abre o registro médico de Mia e vê várias fotos de seu corpo machucado, em fúria quebra cadeiras e ao levantar Mia chega, ele pede desculpas e explica que não está bravo com ela. Na noite seguinte, diz a ela que precisa tomar banho, mas ela não quer tirar a blusa, ele justifica dizendo se quer morar ali, precisa tomar banho, a coloca na banheira, e ela diz: “Ok…” e tenta abrir o zíper dele. Ele se assusta e pede para ela parar, pergunta quem fez isto. Ela fica brava e chora. August tem mais uma lembrança: Depois da morte de seus pais, eles vão morar em um apartamento juntos. August tem a mania de filmar tudo. Na hora da compra o proprietário do imóvel explica: Nada de música, nada de barulho etc., etc. Pouco depois, Cristina é vista sentada conversando com ele (que está com a câmera): “Eu me sinto culpada por matar nossos pais”, “A culpa não é sua”, “Agora estou com um cara legal, é o Charlie, ele tem carro”. August, em uma das suas filmagens entra no quarto e pega a irmã e o Charlie fazendo sexo, pede desculpas e tenta sair do quarto. Nisso entra o dono do imóvel, Charlie se levanta e apanha do proprietário, sangrando no chão diz: “Ele vai ver só”.

August filma o jardim, nisso Charlie diz: “Filma ali! Filma ali! Ele filma, Cristina aparando a grama, que chama o proprietário, ele a “encoxa” e ela (olhando para a câmera) o leva para o mato, August tenta sair de perto e Charlie rouba sua câmera (depois de brigarem). Charlie filma Cristina enquanto diz: “Isso, fode ela, fode essa piranha”. August abre a caixa de papelão e passa a assistir os VHS que estão nela. Um deles é de sua irmã em uma festa com Charlie onde cantam: “Ela é uma grande atriz pornô, ninguém pode negar!”. Charlie diz: “Sobe na mesa baby! E vamos filmar muito mais filmes da Princesa! Graças ao sucesso de ‘A Princesa e o Rei Charlie’! Obrigada ao August, sem ele sua irmã nunca seria uma grande atriz pornô!!” Mia começa a conversar mais e parece mais feliz. August passa a ligar para a produtora de filmes pornôs e ameaça: Se não destruírem todo o material da “Princesa” eu o farei. A produtora ri. August quer falar com Charlie, mas ninguém sabe onde ele está. Enquanto fala no fone, Mia vai brincar com crianças do prédio.Menino 1: Mas eu sou o pai

Menino 2: (Deitado como um bebê)

Garota: Eu sou a mãe, você tem que passear com o cachorro!

Menino 1: Mas nós não temos cachorro!

Mia: Posso brincar?

Garota: Mas nós já temos um bebê!

Mia: Eu posso ser a prostituta!

Crianças: O_o

Mia vai para onde guardam bicicletas, fica sem graça, levanta o vestido e diz: Agora vocês deitam em cima de mim. A outra garota fica brava e sai de perto.
Fica só Mia e os dois garotos, um dos garotos pega um graveto e diz: “Enfia isto”. Ela diz que não. Ele se aproxima de modo intimidador, nisto aparece August, quebra o braço do garoto e o joga longe. No banho, Mia diz: “Eu queria ser forte, me ensina a ser como você”. August ensina Mia alguns passos de defesa pessoal e ela sorri. Multe também pula e demonstra felicidade.

Mia conta quem fez “aquilo” a ela, August entra na casa do sujeito (é um dos caras que trabalha na empresa pornô do Charlie), o segura e rende, Mia vem arrastando um pé de cabra no chão, com um pouco de dificuldade. August diz: “Fique tranqüilo ela é só uma criança, abra as pernas”, Mia levanta e bate no pênis com pé de cabra, o sujeito urra. Ela bate sucessivamente e tem muito sangue (como em animes), depois já cansada, ela pára. Eles se preparam pra sair, August a pega pela mão, ela solta e volta correndo, bate agora no rosto do sujeito até o matar, e parte. Multe sorri. Um dia ao chegar em casa vê Mia assistindo um dos VHS (ela encontrou ao procurar cereal no armário), ela imita a dança que sua mãe faz no vídeo:  Simular “créu” e sexo oral com a língua na bochecha, enquanto diz: “Olha, sou como a mamãe”. Ele briga com ela, ela chora e diz que na casa do Charlie ela podia dançar. Em outra ocasião, ela vê uma fita onde mostra August implorando pra que ela deixe ele pegar Mia, Cristina totalmente drogada, ameaça matar Mia com uma faca enquanto ela muito nova grita e chora . Mia diz a August: “Por que você não me pegou?”, “Eu não consegui” disse ele.

August invade a empresa pornô, mata os seguranças, um dos “grandes na empresa” diz: Isto é um pequeno pedaço do quebra-cabeça, a indústria pornô é muito maior, é besteira acabar com isto aqui. Em seguida tem sua orelha arrancada por August. Ao render o responsável pela vigilância do estoque, chama Mia que antes de despejar a gasolina no local pergunta se é ali mesmo. A seguir, o arquivo de imagens da empresa vai aos ares, explodem também Sex Shops e etc (com imagens de capas pornográficas sendo devoradas pelo fogo). August recebe em casa um telefonema que diz: Você é louco, ok, você venceu, nos encontre em tal local, sozinho, Charlie estará lá. Ao entrar no restaurante August é surpreendido com todos os presentes armados. Rendido,  olha para a luz solar e pensa: “Senhor, me abandonou?”. Olha então para o crucifixo de um homem e pensa: “Obrigado”. Usa um homem de escudo e mata quase todos com tiros. Charlie não estava ali. Ao voltar cansado e muito machucado, Mia o recebe e diz que quer ir morar com Charlie depois que August for preso. Ela conta que sabe onde Charlie mora, e dá o papel do bolso para ele.  Eles vão até a mansão, August pede desculpas a Mia e pega Multe, abre suas costas,  ativa uma bomba. Tenta pular a cerca mais cai, restando apenas Multe do lado de dentro do jardim da mansão. Mia entra e pega Multe, corre para a mansão, August grita pedindo que retorne. Mas ela não volta. Lá dentro em “clima de balada”, ela conversa com uma moça, deixa Multe e volta para August, já perto dele lembra de Multe e volta para pegá-lo. A bomba explode.

Aparece Charlie chegando em três lápides onde deixa três flores: Uma pra Cristina, uma pra Mia e uma pra August. Em uma paisagem de “céu” estão Cristina, Mia e August felizes. Acaba o filme. Minha avaliação: O filme é lindo e comovente, o Multe é um ótimo personagem e sempre revela antecipadamente o sentimento de Mia, se ela está triste ele fica triste, se ela sorri, ele sorri. É muito fofinho.

%d blogueiros gostam disto: