29 abril, 2008

Fat Power

Posted in Gênero tagged , , , às 10:09 pm por Deborah Sá

Já fui mais gordinha (aos 15 anos pesei 78 quilos), entrei em uma paranóia de ser “gostosa” e minha dieta passou a ser: água, caminhada e pouca comida. Em termos anoréxicos: Low Food.  Nem sabia destes termos na época, internet só usava para e-mail. Perdi 10 quilos em quase um mês,  perto de uma anemia voltei a comer engordando quase tudo o que perdi. Cortei o cabelo, mudei minhas roupas e passei a me analisar em um caderno que usava para as minhas reflexões. Era a garota que sentava na frente e “os do fundão” adoravam tirar sarro e falar coisas como “você só vai ganhar um beijo no dia em que pagarem para o cara”. Mudei para caramba, não entrarei em mais detalhes sobre minhas humilhações escolares /familiares/ “amigáveis” pois este não é o foco do post. Gordas querem ser tão desejadas quanto a Flávia Alessandra,  há um grupo de “Pussycat Dolls” GG declararando “esta vitória para a comunidade fat”. Comercial de cerveja com gordas sedutoras? Isto é reconhecimento? Não notam que o que almejam é cumprir sua “função”? Serem “femininas”?. A beleza “esquartejada” não valoriza a criatura. Não sou só minha bunda, meu braço ou minhas estrias.  A erotização vende isto: A boca da Jolie, a bunda da Mulher Melancia…Somos em pedaços. E isto não significa uma mudança efetiva.

1 Comentário

  1. Eu sempre admirei as gordinhas! Não gosto de mulher magra. Acho pouco feminina, de fato.

    http://www.orkut.com.br/Main#Home.aspx


Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: