22 setembro, 2010

Masturbação, Sexo Oral e Clitóris

Posted in Corpo, Sexo tagged , , , at 5:18 pm por Deborah Sá

A masturbação é o momento de viabilizar o desejo, um dos maiores equívocos femininos é não praticá-la na dependência sexual de terceiros. Se você não gosta de intercurso e adora estimulação clitoriana não há razões em “forçar” práticas que não lhe trarão satisfação.

Em meio a mitos e silenciamentos a vagina permanece um enigma para muitas, dizem que a “Revolução Sexual” permitiu maior liberdade. Basta conviver com mulheres para constatar que os padrões de beleza e comportamento cada vez mais rígidos nos “castram” psicologicamente.

“Não agüento tanta reclamação” ou “Ela é frígida”

Se sua companheira freqüentemente se queixa da própria aparência e isto te incomoda tenho de lhe informar: Megan Fox, Angelina Jolie e outras mulheres para as quais bate punheta interpretam personagens. Se sua namorada é franca, agradeça, converse e reveja seus conceitos, assim podem juntos construir um relacionamento.

Mas a culpa é dela, nunca me diz o que gosta

Ninguém gosta de trepada medíocre (daquela que dá na mesma fazer as unhas), há vários motivos que levam uma mulher a não explorar o próprio corpo: Educação religiosa, traumas, vergonha do próprio corpo…

Caso 1
Mulher por algum motivo perde o desejo

M: Ai desculpa. Não dá mais, vamos parar!.
H: Hum, acho que você é frígida, minha ex-namorada adorava isso. Sou homem, tenho as minhas necessidades, acho que vou trepar com outra. [Alguns tem coragem de verbalizar]

Pressioná-la a fazer sexo sem vontade só vai diminuir paulatinamente o desejo e deixá-la ainda mais insegura.

Caso 2
Homem por algum motivo perde o desejo

H:*Chuinf*
M: Tudo bem querido, não tem proble…(pensando: O que eu fiz de errado?).
H: Nunca me aconteceu antes. Estou cansado, vamos dormir?
M: Mas é claro, mas se quiser podemos tentar novamente.
H: Melhor não.
M: Pensando: - Preciso descobrir onde foi que errei.

São poucas as mulheres tão insensíveis ao ponto de dizer: “Você é brocha, sou mulher e tenho orgasmos mais intensos. Preciso de um amante”.

O que há de errado com a minha vagina?

Sem referenciais é de se esperar que a mulher questione o cheiro, gosto e aspecto de sua vagina, já que todas as associações são relacionadas a algo negativo.

Cheiro: Sempre ouvi que vaginas “cheiravam a bacalhau” o que me deixava intrigada, já que julgo o cheiro estimulante e convidativo. Há diversos produtos que prometem “mascarar” o odor como lenços umedecidos e sabonetes especiais.

Gosto: Se deseja que alguém lhe lamba, não seria importante saber se o sabor é realmente bom? Isso também vale para homens. A vagina é tão “invisível” que nossa “porra” é inominável.

Aspecto: O que é uma vagina “normal”? É aquela que te dá prazer, se seu método de comparação é com fotos e vídeos da internet, seria interessante conversar abertamente com mulheres reais (de maior variedade anatômica).

Como alcançar um orgasmo?

Se sua parceira for mulher, provavelmente não encontrará problemas na prática do sexo oral (afinal, ela sabe como é ter uma vagina). Já em um relacionamento hétero muitos homens não obtêm boas performances entre um dos motivos, as reproduções pornográficas.

Em qualquer site padrão, o maior número de visualizações é: Sexo anal, sexo oral (no homem) e Bukkake (gozar na cara), onde a força e pressa são mais importantes que a dedicação. Atire a primeira pedra a mulher que nunca teve de avisar “Ei, assim você me machuca” porque o parceiro realmente acreditou que aumentar a velocidade e “ir mais fundo” causaria prazer.
Isto explica o motivo de tantos homens não saberem como lamber* uma mulher, algumas dicas:

- Língua dura não é legal, principalmente quando insistem em usá-la da mesma forma que usam o pênis (em movimentos mecânicos).

- Não morda o clítoris! Possuindo mais de oito mil nervos, o clítoris é a parte do corpo da mulher que contém mais terminações nervosas, inclusive mais do que a língua ou o pênis masculino. Então nada de apertá-lo como um botão do controle de videogame.

A ciência

Outrora responsabilizado por histeria e loucura, perversão demoníaca ou instabilidade emocional, o estudo do prazer feminino e sua anatomia é constantemente renegado a segundo plano. Muitos homens recusam-se a realizar um exame de próstata, mas o que é isso em comparação a uma Coloscopia, Vulvoscopia (com biópsia) e o Papanicolau?

Espéculo usado em exames ginecológicos

Excesso de força é o maior erro que os homens cometem no sexo oral, dizem as brasileiras

Documentário – O Clitóris
(vi na comunidade Feminismo e Libertação)

Parte 2Parte 3 - Parte 4Parte 5Parte 6

*Lamber uma mulher: Dizer “chupar” pode levar à má interpretação que o modo “correto” é a sucção.

About these ads

7 Comentários »

  1. Camila/Vegan said,

    Nossa “porra” não tem nome, nossos orgasmos são escandalizados pelos filmes pornôs, o intercurso é tratado como se fosse o sonho de toda mulher, e o pênis como algo indispensável no relacionamento sexual, o único que “tira a virgindade”.
    Nossa sexualidade é difamada e temida nas igrejas, exagerada e deturpada na pornografia, e invisível até mesmo em revistas femininas – já que as “dicas” sempre se voltam para agradar o homem, não a leitora.
    Concordo com você que a tal “Revolução Sexual” não ocorreu de fato, e acho que quando essa revolução vier, é porque muita coisa vai mudar junto… Acreditar em uma revolução sexual dentro do patriarcado é, a meu ver, ilusão, pois se o patriarcado persiste, o que ocorre são apenas mudanças nas exigências sobre as mulheres, não implicando necessariamente em uma maior liberdade feminina.

    No mais, lindo o seu post, adorei ^^

  2. Raiza said,

    Achei o documentário muito interessante.Com um monte de informação que eu desconhecia (tipo as extirpações clitorianas do ocidente ¬¬),só teve um ponto que eu achei ruim.Elas insistirem que TODO o prazer feminino vem do clitóris.É claro que é o mais fácil de atingir,mas nem por isso creio que seja o único.Não é porque a vagina tem menos terminações nervosas que não tenha nenhuma né?Acho que o foco deveria ser ensinar sobre as diversas possibilidades de prazer,não simplesmente dizer “Se você não tinha um orgasmo é porque estava focando no lugar errado!”.Senti que o documentário fez isso um pouco.De resto foi excelente.Sobre o negócio do sabor,de experimentar e tal,achei a dica ótima.É uma coisa simples,bem óbvia até,mas que quase ninguém pensa.

    • Deborah Sá said,

      Entendo, o foco do documentário (ao meu ver) é que não há nada de errado em não sentir tanto tesão assim com intercurso (realidade da maioria das mulheres), e criticar a associação infantil que fazem as práticas clitorianas, como se “maturidade” sexual fosse diretamente ligada ao pênis.

      Um abraço querida, é ótimo contar com sua opinião aqui :)

  3. Sydney said,

    Parabéns pela matéria, são realmente poucos os homens que se importam com a parceira. Eu precisei de muita conversa para que a minha deixasse eu ajuda la, de forma descontraida claro, e no tempo dela.

    • Deborah Sá said,

      :)

      • MARGA said,

        ACHEI ÓTIMO,UM COMENTÁRIO MUITO ESCLARECEDOR.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 166 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: